Anthrax: diferente, mas mantendo a qualidade

Resenha - Stomp 442 - Anthrax

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Mesmo após os excelentes frutos colhidos com o lançamento do clássico "Sound of the White Noise", que marcou a estréia do então novo vocalista John Bush, o ANTHRAX ainda vivia um período turbulento em sua carreira quando, em outubro de 1995, colocou no mercado originalmente "Stomp 442", seu sétimo álbum de estúdio, e segundo com o novo vocalista. Isso porque, novos problemas internos culminaram com saída do guitarrista Dan Spitz que passou a se dedicar à sua profissão de relojoeiro.

Rob Caggiano: ele não se arrepende de ter deixado o Anthrax e entrado para o VolbeatIron Maiden: Steve Harris pensou em acabar com a banda em 1993

Mesmo sem um substituto efetivo (Paul Crook, do MEAT LOAF, contribuiu no trabalho, assim como próprio Charlie Benante), a banda voltou ao estúdio e lançou "Stomp 442", que como o disco anterior seguia uma linha mais voltada ao metal moderno, com muito groove, e também trazendo latentes alguns elementos de punk, hard rock e rock alternativo.

O grande hit do material, e uma das únicas faixas ainda tocadas pela banda em alguns shows, é "Fueled", bem trabalhada e intensa, com riffs muito legais e John cantando com a excelência de sempre.

Mas há também outros grandes momentos, como "Random Acts of Senselles Violence", que abre o trabalho com os dois pés na porta, e "Riding Shotgun" e "King Size", que contam com a participação do saudoso monstro sagrado Dimebag Darrel (PANTERA).

O pior momento do álbum fica para a tenebrosa balada "Bare", com influências de grunge, sendo uma das piores faixas já compostas pela banda.

A produção do trabalho, feita pela própria banda e pelos Butcher Brothers, é bem crua, dando um tom mais "sujo" ao material, em comparação com "Sound of the White Noise".

Já a capa (originalmente composta para ser de "Balls to Picasso", do Bruce Dickinson), também causou polêmica, tendo sido considerada ofensiva pela rede Wallmart, que se recusou a vender o álbum em suas lojas.

O disco, infelizmente, não emplacou, sendo um dos mais mal sucedidos da discografia da banda, embora tenha estreado na posição 47 da Billboard 200, mas a Elektra, que o lançou originalmente, acabou não fazendo um trabalho de divulgação satisfatório (que inclusive gerou posteriormente a rescisão da parceria entre as partes).

Mas, mesmo assim, "Stomp 442" tem grandes momentos, sendo consistente com a proposta dos caras em sua fase dos anos 90, e merece um lugar em sua coleção.

Stomp 442 - Anthrax
(Shinigami Records - 2016 - Relançamento)

01. Random Acts Of Senseless Violence
02. Fueled
03. King Size
04. Riding Shotgun
05. Perpetual Motion
06. In A Zone
07. Nothing
08. American Pompeii
09. Drop The Ball
10. Tester
11. Bare

Comente: Qual a sua opinião sobre o álbum Stomp 442 do Anthrax?




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Anthrax"


Rob Caggiano: ele não se arrepende de ter deixado o Anthrax e entrado para o Volbeat

VolbeatVolbeat
Em exclusiva, Rob Caggiano fala de novo álbum, turnês, metal e Anthrax

Anthrax: Volume 8 é um álbum injustamente esquecido

Wacken 2019Wacken 2019
Assista a todos os shows que tiveram transmissão

AnthraxAnthrax
Em 1987, um dos pilares do thrash metal

Slayer: Charlie Benante mostra banda se despedindo dos fãs na Europa

Wacken 2019Wacken 2019
Assista shows de Opeth, Demons & Wizards e mais

AC/DCAC/DC
Scott Ian comenta sobre a banda e sobre Malcolm Young

The Damned Things: segundo álbum fica abaixo da expectativaAnthrax: banda agora faz parte do Hall Of Heavy Metal History

Big 4Big 4
Músicas "subestimadas" do quarteto

Anthrax: Em 2004, John Bush mostrava quem manda

Guitar WorldGuitar World
11 Álbuns Essenciais do Thrash Metal

LoudwireLoudwire
Site escolhe as melhores "caras de guitarra"

AC/DCAC/DC
Segundo Scott Ian banda deveria parar


Iron MaidenIron Maiden
Steve Harris pensou em acabar com a banda em 1993

Raul SeixasRaul Seixas
Por trás da letra de "Carimbador Maluco"

PunkPunk
10 músicos que são mais ricos do que você pensa

Sabaton: Exército brasileiro retribuiu homenagem da banda suecaGuns N' Roses: os 10 melhores não-clássicos da bandaPantera: "odiei gravar Cowboys From Hell", diz Phil AnselmoLed Zeppelin: 200 milhões nos últimos 5 anos, a coleção de discos de Page

Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336