Nervosa: Consolidando nome dentre grandes do thrash contemporâneo

Resenha - Agony - Nervosa

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar Correções  

9

Agora já com uma carreira estabilizada no underground nacional e internacional, a NERVOSA retorna com tudo em seu segundo trabalho, calando a boca de quem achava que se tratava de um grupo sem talento e que ficaria apenas no debut "Victim of Yourself", e colocando de vez o nome da banda dentre as melhores do thrash metal contemporâneo.

publicidade

Com um thrash metal vigoroso e brutal, na linha de bandas como SLAYER, EXODUS, KREATOR e DESTRUCTION, e trazendo cada vez mais influências de death metal, as meninas mostram um poder de fogo inquestionável. E dessa vez contando com a produção de Brendan Duffey, e mixagem e masterização de Andy Classen, conseguiram superar o debut, e lançarem um dos grandes discos do estilo em 2016.

publicidade

A formação da banda foi mantida, com Prika Amaral nas guitarras, Fernanda Lira no baixo e vocais, e Pitchu Ferraz na bateria, e mostrando que o tempo de estrada fez bem, pois o nível técnico e de composição aqui apresentado é de tirar o chapéu.

Embora diretas e sem concessões, as composições são todas muito trabalhadas, com arranjos diversificados e trazendo latentes influências variadas, mas encaixadas de forma que não soe forçado ou fora de contexto, e mantendo uma identidade sonora, que é o mais importante.

publicidade

Todas as faixas são ótimas, mas vou citar aqui minhas preferidas: "Deception", com várias mudanças de andamento, e que mostra toda o alto nível técnico das composições que mencionei acima; "Intolerance Means War", a primeira música de trabalho, com uma ótima letra; "Cyberwar", com um toque de metal tradicional e uma levada bem interessantes; e "Guerra Santa", um verdadeiro caos em forma de música, com a letra em português, criticando a intolerância religiosa.

publicidade

Assim, pode preparar o pescoço, pois o negócio aqui é da melhor qualidade, sendo mais um claro exemplo de uma banda que orgulha nosso país pela luta em prol de um estilo tão marginalizado, colhendo ótimos frutos graças à determinação e ao talento, nada mais.

publicidade

Agony - Nervosa
(2016 – Shinigami Records - Nacional)

Formação:
Prika Amaral - Guitars, Vocals
Fernanda Lira - Vocals, Bass
Pitchu Ferraz - Drums

Track List:

1. Arrogance
2. Theory of Conspiracy
3. Deception
4. Intolerance Means War
5. Guerra Santa
6. Failed System
7. Hostages
8. Surrounded by Serpents
9. Cyber War
10. Hypocrisy
11. Devastation

Bonus Track:
12. Wayfarer

publicidade


Outras resenhas de Agony - Nervosa

Nervosa: Mostrando ao mundo a que veio

Nervosa: "Agony", a realidade do Metal nacional


WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin