Nando Moraes: Mais um herói das seis cordas

Resenha - Ignited! - Nando Moraes

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar Correções  

publicidade


Não se pode chamar de febre, mas quando uma boa parte de guitarristas (ou que tentavam o ser) resolveu gravar álbuns solos e instrumentais, muitos deles o fazia para outros guitarristas. Era aquela ‘fritação’, como se fosse cartilha pra aprendiz de guitarras, sem ‘feeling’, notas e mais notas, ‘licks’, arpejos, solos, enfim... chato pra ‘dedéu’, um terror pra quem não é músico, como este que vos escreve.

Hoje a coisa mudou pra melhor, mesmo sendo um ‘tipo de música’ que não atraia tanta gente. Os músicos atuais se preocupam com o conjunto da obra, mesmo com ênfase e um instrumento (no caso aqui, a guitarra), melodia e agradar também aos leigos. Este primeiro disco de Nando Moraes (ex-Lethal Fear) tem exatamente esta proposta.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em "Ignited" Nando traz composições que caminham entre o Rock e o Metal, mas que ainda abrem passagens para o Blues, como pode se ver em Once A Shuffle Time, uma canção bem diferenciada para o gênero, que possui ótimos arranjos e talvez seja a mais leve do disco.

O guitarrista não varia muito nos ritmos, sendo que a maior parte das canções é cadenciada, mas não lentas (se é que dá pra entender). A música mais dinâmica é Rite of Passage (Staring The Flames) que abre o disco, mas mesmo assim não chega a ser rápida e possui boas viradas.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Aliás, o guitarrista dá bastante espaço para a cozinha, tendo evidentes as linhas de baixo de André Garcia e a bateria de Bruno ‘Méba’ bastante explorada. Ainda há espaço para ótimas camadas de teclados, a cargo de Bruno Santos, que casaram perfeitamente na proposta do disco.

Vale mencionar que Nando destila ótimos solos, sem ‘mirabolância’, mas desenvolveu ótimos riffs que soaram fundamental para dar peso e equilíbrio à "Ignited!". Destaque ainda para The Voyager e para a faixa título. A produção é ótima, a cargo de Nando e Fabio Ferreira e o disco vem numa bela embalagem digipack. Vale à pena conferir.

http://www.nandomoraes.com.br/
https://www.facebook.com/nandomoraessolo?fref=ts

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Rodolfo: 100% arrependido das letras dos RaimundosRodolfo
100% arrependido das letras dos Raimundos

Presença de Palco: dicas para iniciantesPresença de Palco
Dicas para iniciantes


Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

Goo336 Cli336 Goo336 Goo336