Delain: Amadurecimento em segundo "full length", April Rain

Resenha - April Rain - Delain

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Sobreira
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O primeiro álbum é o responsável por apresentar uma banda para mundo, exibindo os resultados de um sonho, do esforço e da vontade de se criar músicas únicas que atinjam pelo menos algum reconhecimento. Com o segundo, a coisa muda um pouco, pois, é onde vemos se a banda veio ou não para ficar, e, é justamente isso que o Delain nos transparece em seu segundo CD, lançado três anos após sua estreia com Lucidity. Confira!

Prostitutas: As mais famosas e devassas do cenário Rock - Parte 1Guitarristas: os maiores do Hard & Heavy segundo a revista Burnn

O que vemos em April Rain é uma clara evolução musical, pois, faixas mais variadas brilham num repertorio que passa num picar de olhos. Se o Symphonic Metal mais tradicional do antecessor já contava com alguns detalhes 'pop', aqui são mantidos e somados a outros contornos modernistas, o que enriqueceu mais o som proposto pelo grupo holandês. Em alguns momentos, podemos observar uma certa vontade de soar mais acessível aqui e acolá, mas nada que prejudique esse trabalho.

Enquanto Martiyn (que se mostra bem influenciado por Tuomas Holopainen) explora mais de seus teclados, utilizando técnicas que vão de climas típicos do estilo à pomposas (porém, contidas) orquestrações até alguns efeitos vindos do Industrial/electro, Charlotte se mostra mais coesa e livre em seus vocais e também os explora mais em partes mais amplas. Não podemos esquecer aqui dos demais músicos envolvidos, pois, sempre precisos e sofisticados em seus respectivos instrumentos, sem eles a "engrenagem" não funcionaria.

Acho chato mencionar certas faixas e deixar outras "de lado", mas, faixas inesquecíveis como a abertura "April Rain", "On The Other Side", "Lost", "Go Away" e o encerramento apoteótico (que deixará você sem folego) "Nothing Left", são as minhas 'favoritas'.

Numa primeira audição, meu caro leitor, você poderá estranhar um pouquinho, mas garanto que a partir da segunda, você não vai mais querer parar de escutar!

Track List :

1. April Rain
2. Stay Forever
3. Invidia 03:49
4. Control the Storm (Feat. Marco Hietala)
5. On the Other Side
6. Virtue and Vice
7. Go Away
8. Start Swimming
9. Lost
10. I'll Reach You
11. Nothing Left (Feat. Marco Hietala)

Total Time : 45:42

Line Up :

Martijn Westerholt - Keyboards
Ronald Landa - Guitars, Vocals (backing )and Vocals (tracks 3, 6)
Rob van der Loo - Bass
Sander Zoer - Drums
Charlotte Wessels - Vocals

Lançamento : 20 de Março/2009 - Roadrunner Records.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Delain"


Musas do Metal: confira as 10 mais lindas atualmenteMusas do Metal
Confira as 10 mais lindas atualmente

Delain: vídeo da ruptura de testículo de baixista em pleno palcoDelain
Vídeo da ruptura de testículo de baixista em pleno palco

Delain: baixista quase perde testículo no palco - veja vídeoDelain
Baixista quase perde testículo no palco - veja vídeo


Prostitutas: As mais famosas e devassas do cenário Rock - Parte 1Prostitutas
As mais famosas e devassas do cenário Rock - Parte 1

Guitarristas: os maiores do Hard & Heavy segundo a revista BurnnGuitarristas
Os maiores do Hard & Heavy segundo a revista Burnn

Sepultura: Pavarotti gravou uma versão de Roots Bloody Roots?Sepultura
Pavarotti gravou uma versão de "Roots Bloody Roots"?

Heavy Metal: as 10 capas mais "de macho" de todos os temposMetal norueguês: as dez melhores bandas segundo o About.comSlayer: King não entende como alguém pode querer entrar no MegadethLed Zeppelin: a curiosa capa de "Houses of the Holy"

Sobre Vitor Sobreira

Moro no interior de Minas Gerais e curto de tudo um pouco dentro do maravilhoso mundo da música pesada, além de não dispensar também uma boa leitura, filmes e algumas séries. Mesmo não sendo um profissional da escrita, tenho como objetivos produzir textos simples e honestos, principalmente na forma de resenhas, apresentando e relembrando aos ouvintes, bandas e discos de várias ramificações do Metal/Heavy Rock, muitos dos quais, esquecidos e obscuros.

Mais matérias de Vitor Sobreira no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336