MX: De Santo André para o mundo!

Resenha - Re-Lapse - MX

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Durr Campos
Enviar Correções  

9


Troço complicado esse de regravar canções já imortalizadas/registradas. Alguns nomes gringos me ocorreram no momento em que traçava estas linhas e, sinceramente, não gostei praticamente de nada feito neste raciocínio.

Nicko McBrain: pedal duplo é pra caras como Aquiles PriesterBig Four: astros da cena Heavy escolhem banda preferida

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mudei de ideia ao escutar "Re-Lapse", recente investida em estúdio do MX. Senão vejamos. Os veteranos do ABC Paulista lançaram pelo menos dois trabalhos seminais no thrash metal, "Simoniacal" [1988] e "Mental Slavery" [1989], itens ainda mais especiais por contarem com um baterista/vocalista, o talentosíssimo Alexandre da Cunha. Pois bem, "Re-Lapse" não só reúne canções dos supracitados [e somente deles] como 'jogou' aos fãs a tarefa da escolha do repertório.

Se pensarmos na qualidade de gravação dos LPs originais também iremos aplaudir o novo álbum, pois agora é realmente possível ouvirmos tudo com clareza, especialmente o baixo de Morto, que divide os vocais ao lado de Alexandre e foi responsável pela arte da capa, simples e eficiente.

E o que escrever sobre as músicas em si sem soar repetitivo e enfadonho? Desde a abertura com a sensacional 'Dead World', passando pela pesadíssima 'Mental Slavery' [Alexandre detonando!], seguindo com a melódica 'Dark Dream' [uma homenagem à personagem Freddy Krueger, da franquia cinematográfica 'A Hora do Pesadelo'], a fortíssima 'Behind His Glasses' e o hino 'Fighting for the Bastards' [nota do redator: há uma versão alternativa trazendo os vocais de João Gordo, do Ratos de Porão], o que nota-se é uma aula de música pesada, veloz e cativante, tudo envolto à soluções harmônicas de primeira e muito, muito conhecimento de causa.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Outros destaques: A rifferama de 'Jason' [grandes Décio e Dumbo!], clara referência ao cidadão mais famoso de Crystal Lake, em Nova Jérsei; as eufóricas 'The Guf' e 'I'll Be Alive' - com um da Cunha encarnando o Dave Lombardo dos velhos tempos - além da perfeita 'Dirty Bitch', obrigatória nos shows do MX.

De Santo André para o mundo!

Ano de lançamento: 2014
Substancial Music

Tracklist:
01. Dead World
02. Mental Slavery
03. Dark Dream
04. Behind His Glasses
05. Fighting for the Bastards
06. I'll Bring You With Me
07. No Violence
08. Jason
09. I'll Be Alive
10. The Guf
11. Dirty Bitch
12. Fighting for the Bastards (com João Gordo)

Line-up
Alexandre da Cunha - Vocais, Bateria
Décio - Guitarras
Dumbo - Guitarras
Morto - Vocais, baixo

Links Relacionados
https://www.facebook.com/mx.br.oficial
http://www.bandamx.com.br/
https://twitter.com/BANDA_MX




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Ghost: De quais bandas brasileiras eles gostam?Ghost
De quais bandas brasileiras eles gostam?


Nicko McBrain: pedal duplo é pra caras como Aquiles PriesterNicko McBrain
Pedal duplo é pra caras como Aquiles Priester

Big Four: astros da cena Heavy escolhem banda preferidaBig Four
Astros da cena Heavy escolhem banda preferida


Sobre Durr Campos

Graduado em Jornalismo, o autor já atuou em diversos segmentos de sua área, mas a paixão pela música que tanto ama sempre falou mais alto e lá foi ele se aventurar pela Europa, onde reside atualmente e possui família. Lendo seus diversos artigos, reviews e traduções publicados aqui no site, pode-se ter uma ideia do leque de estilos que fazem sua cabeça. Como costuma dizer, não vê problema algum em colocar para tocar Napalm Death, seguido de algo do New Order ou Depeche Mode, daí viajar com Deep Purple, bailar com Journey, dar um tapa na Bay Area e finalizar o dia com alguma coisa do ABBA ou Impetigo.

Mais matérias de Durr Campos no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280