Phoenix Effect: Grunge dos anos 90 misturado com o alternativo

Resenha - Cyanide Skies - Phoenix Effect

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Pagliaro Thomaz
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Vou aproveitar a oportunidade e a calmaria do fim do ano para me retratar de uma injustiça, falando sobre uma banda que conheço já faz bastante tempo, mas quase nunca a trouxe para a atenção de todos aqui por razões que eu mesmo desconheço. Trata-se de um grupo finlandês chamado Phoenix Effect. A banda surgiu lá para meados de 2007, mas por alguma razão sumiu do mapa após o segundo álbum de 2010. Falarei aqui sobre o disco de estreia do grupo, intitulado Cyanide Skies.

Vocalistas: cantora clássica analisa cinco ícones do Heavy MetalMetallica: ouça apenas o baixo de Cliff Burton em clássicos

Deixe-me primeiramente apresentá-los. A banda é formada pelos músicos Janne Kärkkäinen (vocais, guitarra), Pyry Nikkilä (guitarra), Lauri Hämäläinen (baixo, vocais) e Anton Laurila (bateria). O som deles é bastante reminiscente do grunge dos anos 90 misturado com o alternativo, em outras palavras, para você que já conhece bandas como Pearl Jam, Alice in Chains, Soundgarden, possivelmente irá se identificar com o som deles aqui.

Produzidos por ninguém menos que Markus "Captain" Kaarlonen, sim, o Captain do Poets of the Fall, aliás, lançados sob o mesmo selo que a banda de Marko Saaresto, o selo Insomniac, o som grunge do Phoenix Effect mostra-se bastante enérgico e variado, tendo desde baladas e semi-baladas até músicas mais densas e outras mais pesadas. O grupo já havia despontado em 2008 com um single chamado Broken Promises, mas talvez não tenham chamado tanto assim a atenção, mesmo com o clipe da música que é muito bem produzido.

No ano seguinte sai o debut do grupo em 18 de Fevereiro que tem uma arte gráfica simples, porém intrigante mostrando uma folha azul e seca, caracterizando uma certa frieza de sentimentos; o nome do disco, Cyanide Skies também faz a empreitada soar bem interessante.

O single do grupo que abre o álbum, "Broken Promises", já começa o disco muito bem, uma composição forte, daquelas canções que ficam na cabeça. O grupo também trabalha muito bem o drama em suas composições, com passagens muito bem colocadas e enérgicas, acompanhadas pelo vocal bem colocado.

"Lucky Star" e a pancada "King See no Evil" são ótimos destaques, e na primeira dá para se notar claramente uma breve participação de Marko Saaresto, do Poets of the Fall, meio contido, fazendo uma ponta no disco do grupo, provavelmente com a intenção de ajudar a promover seus amigos. Quanto à segunda que também ganhou um clipe de divulgação e também conta com a participação do vocal do Poets of the Fall sussurrando algumas linhas, é daquelas que te faz pensar que o gênero grunge ainda possui ótimos representantes; pesada, vibrante, cheia de força. Guitarras rufantes, solos e riffs bem colocados fazem dela mais um grande destaque no disco.

Outras grandes sacadas do álbum são "A Perfectly Good Day", que tem um clima na medida, densa e quando rufam guitarras e tambores, não desaponta; "Carry Me", "Bye Bye Arizona" e "Flashbacks N' Memories" são outros bons exemplos de baladas e semi-baladas bem escritas, a última conta com um climax final bem épico; "Hey You" acelera o ritmo em um Rock mais dançante, "Magic" que fecha o disco mantém aquela tradição do Poets of the Fall de ter uma faixa de descanso para fechar o álbum, belíssima composição e "My Heart is a Beating Drum" mais puxada para o blues é a que contém um dos melhores trabalhos de solo de guitarra do disco.

No fim das contas a minha sensação é de querer voltar o disco do começo e ouvir tudo novamente. A primeira empreitada do Phoenix Effect soa eficiente e uma grande nova promessa. Eu realmente não sei a razão de ter demorado tanto tempo para falar sobre este grupo, mas gosto bastante da proposta musical deles desde o começo e recomendo a todos que deem uma procurada, vale muito a pena.

Cyanide Skies (2009)
Phoenix Effect

Tracklist:
01. Broken Promises
02. A Perfectly Good Day
03. Carry Me
04. Bye Bye Arizona
05. Hey You
06. Lucky Star
07. King See No Evil
08. My Heart Is A Beating Drum
09. Flashbacks N' Memories
10. Magic

Selo finlandês: Insomniac

Site oficial:
http://www.phoenixeffect.fi



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Phoenix Effect"


Vocalistas: cantora clássica analisa cinco ícones do Heavy MetalVocalistas
Cantora clássica analisa cinco ícones do Heavy Metal

Metallica: ouça apenas o baixo de Cliff Burton em clássicosMetallica
Ouça apenas o baixo de Cliff Burton em clássicos


Sobre Ricardo Pagliaro Thomaz

Roqueiro e apreciador da boa música desde os 9 anos de idade, quando mamãe me dizia para "parar de miar que nem gato" quando tentava cantarolar "Sweet Child O'Mine" ou "Paradise City". Primeiro disco de rock que ganhei: RPM - Rádio Pirata ao Vivo, e por mais que isso possa soar galhofa hoje em dia, escolhi o disco justamente por causa da caveira da capa e sim, hoje me envergonho disso! Sou também grande apreciador do hardão dos anos 70 e de rock progressivo, com algumas incursões na música pop de qualidade. Também aprecio o bom metal, embora minhas raízes roqueiras sejam mais calcadas no blues. Considero Freddie Mercury o cantor supremo que habita o cosmos do universo e não acredito que há a mínima possibilidade de alguém superá-lo um dia, pelo menos até o dia em que o Planeta Terra derreter e virar uma massa cinzenta sem vida.

Mais matérias de Ricardo Pagliaro Thomaz no Whiplash.Net.