Red In White: Técnica e Hard Rock

Resenha - Wildness Within - Red In White

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade


Mesclar Hard Rock e Heavy Metal pode parecer uma tarefa fácil, mas não é bem assim. O equilíbrio tem que ser exato e corre-se o risco de não atingir certos objetivos. Mas, os catarinenses do Red In White fazem isso com maestria e isso fica evidente neste debut de ótima qualidade.

Journey: o famoso erro geográfico em "Don't Stop Believin'"Mike Portnoy: a reação ao ouvir garoto de 8 anos tocando cover do Dream Theater

O primeiro destaque de "Wildness Within" são os próprios músicos. Desde o trabalho de guitarras primoroso com riffs pesados (até demais para a proposta musical), boas melodias e solos muito bem encaixados e executados, passando pela cozinha consistente, com uma bateria versátil e muito bem explorada, principalmente nos bumbos duplos. A frente vocais na medida certa unindo lirismo e agressividade ao mesmo tempo.

As músicas demonstram uma energia cativante e isso já fica evidente na faixa título que abre o disco. Don't Touch My Boots é mais um destaque, um baita Hard Rock, sendo que Ashes & Fears faz a vez da semi-balada mesclando suavidade e peso. Ainda pode-se destacar Deep In The Fire e Vendetta.

A produção de "Wildness Within", a cargo de Daniel Scarr é um dos pontos fortes, dando certa crueza à sonoridade deixando audível todos os instrumentos. O pormenor fica por algumas faixas longas para o gênero, mas nada que tire o brilho de um disco bem feito, com músicas bem executadas e que realmente empolgam. Muito bom!

http://redinwhite.com/
https://www.facebook.com/RedInWhiteOfficial


Outras resenhas de Wildness Within - Red In White

Red in White: Revelação do hard/heavy nacional



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Red In White"


Journey: o famoso erro geográfico em Don't Stop Believin'Journey
O famoso erro geográfico em "Don't Stop Believin'"

Mike Portnoy: a reação ao ouvir garoto de 8 anos tocando cover do Dream TheaterMike Portnoy
A reação ao ouvir garoto de 8 anos tocando cover do Dream Theater


Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.