RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemA opinião de Slash sobre Dave Mustaine e "Rust In Peace", clássico do Megadeth

imagemComo Tommy Lee e o Mötley Crüe ajudaram Axl Rose a escrever "November Rain"

imagemOs 10 maiores vocalistas de heavy metal de todos os tempos, em lista do Ruthless Metal

imagemOs 4 fatores determinantes que levaram Renato Russo a dependência química

imagemEx-guitarrista do Megadeth não liga para Mustaine e diz que está "fazendo dinheiro para ele"

imagemPara John Lennon, os Beatles poderiam ter acontecido sem George e Ringo

imagemMike Portnoy comprou "Piece Of Mind", do Maiden, em excursão escolar

imagemRolê aleatório: Geoff Tate e Rhapsody se divertem em aeroporto no aeroporto

imagemA medida extrema que Dio pensou em tomar por não curtir "Rainbow in the Dark"

imagemOs 10 maiores álbuns da história do grunge, em lista do Brave Words

imagemPor que Lemmy odiava tocar "Ace of Spades" nos shows do Motörhead

imagemQual era a opinião de Tony Iommi sobre Ozzy Osbourne solo e Randy Rhoads em 1984?

imagemPaul McCartney quase foi atropelado ao tentar recriar famosa cena de capa de disco

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical


Iron Maiden: X-Factor, um verdadeiro clássico, porém injustiçado!

Resenha - X-Factor - Iron Maiden

Por Edilson Luiz Piassentini
Postado em 19 de novembro de 2014

Fico imaginando se o álbum X-Factor de 1995 fosse lançado com Bruce Dickinson ainda nos vocais do Iron Maiden naquela época. Com certeza seria tratado como mais um grande clássico, incomparável, ou coisas a mais. Só que não foi o que aconteceu, e esse álbum se tornou um dos mais injustiçados da banda!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O que se pode dizer é que X-Factor é muito diferente dos demais álbuns do Iron Maiden, mas isso não significa que seja ruim, muito pelo contrário, é um excelente álbum, e mais um grande clássico da banda.

Após passar por problemas pessoais, e por estar chateado com a saída de Bruce Dickinson da banda, veio a tona o lado mais obscuro da criatividade de Steve Harris. O álbum aborda temas sobre medo, guerra e depressão, mesclando com a atmosfera obscura e com passagens progressivas, e com uma grande técnica por parte dos integrantes.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A épica Sign Of The Cross abre o álbum com seus mais de 11 minutos, com belas passagens e solos. Uma música de abertura muito diferente que estamos acostumados a ouvir nos álbuns do Iron Maiden.

Na sequencia, Lord of The Flies, apresenta uma grande performance vocal de Blaze Bayley, e possui um refrão poderoso e grandes solos da dupla Dave Murray e Janick Gers.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Man on the Edge é o grande single do álbum. Uma música rápida, com solos rápidos, um excelente trabalho do baterista Nicko McBrain, um forte refrão e como de costume, o baixo pulsante de Steve Harris.

A quarta faixa Fortunes of War tem um introdução lenta, com violões e uma voz suave de Blaze Bayley, que logo depois dá lugar a um som pesado e um ritmo bem cadenciado. Outra grande performance de Blaze Bayley.

Look for the Truth também possui um pequena introdução lenta, mas logo depois da lugar a um instrumental empolgante e com belas melodias.

A seguir, The Aftermath é cadenciada, pesada, com um bonito refrão, e que vai aumentando seu ritmo gradativamente com o decorrer do tempo e possui solos avassaladores.

Mais um grande destaque vem com Judgement of Heaven, com uma atmosfera menos obscura que as demais, com um instrumental mais rápido e alegre, e com grandes duetos dos guitarristas Dave Murray e Janick Gers. O baterista Nicko McBrain mostra também um grande nível técnico nessa faixa.

Blood on The World's Hands abre com um dos melhores solos de baixo já feito por Steve Harris. É pesada e obscura, com passagens de teclados muito bem elaboradas.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

As pegadas típicas do Iron Maiden aparece em The Edge of Darkness. Após um pequeno começo lento, a música da lugar as típicas cavalgadas, guitarras em duetos, e solos extremamente técnicos!

2 A.M é a música mais depressiva do álbum tanto pela sua letra quanto pelo instrumental. A mesma segue arrastada durante toda sua duração, com belas melodias e solos bem encaixados, e arranjos de teclados que dão todo o clima melancólico da música.

Para fechar o álbum, The Unbeliever, com boas pitadas progressivas, com arranjos de violões que combinam perfeitamente, e um refrão muito bem elaborado. Na metade da, uma caída seguida maravilhosa com o baixo de Steve Harris pulsante como de costume e solos com as assinaturas de Murray e Gers!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

X-Factor mostra o lado sombrio do Iron Maiden, influenciado pelos problemas que seu lider Steve Harris passou em sua vida, que conseguiu transformar em músicas sensacionais. Um álbum que o próprio Steve Harris admitiu ter sido o melhor que ele já compôs, ao lado de Seventh Son of A Seventh Son e The Number of the Beast.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Também vale destacar que X-Factor foi um dos melhores trabalhos de Blaze Bayley em sua carreira. Um álbum que foge dos padrões do Iron Maiden, com pitadas progressivas, que atualmente são usadas nos mais recentes álbuns da banda, e que de forma injusta foi "desconsiderado" por muitos, porém, como dito no começo desse texto, se fosse com Bruce Dickinson, seria exaltado de outra forma!

Com certeza um dos grandes álbuns da história do Iron Maiden e também do heavy metal!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


Outras resenhas de X-Factor - Iron Maiden

Resenha - X-Factor - Iron Maiden

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Edilson Luiz Piassentini

Amante do metal desde os 13 anos de idade, fã indiscutível de King Diamond e Mercyful Fate, e também um grande apreciador das cervejas estilo Weiss e um dos editores do site Rock N'Breja! Rock e Cerveja, a combinação perfeita.
Mais matérias de Edilson Luiz Piassentini.