Matérias Mais Lidas

Slipknot: Nunca pesquisem Duality no YouTube, alerta fã de k-pop assustadaSlipknot
"Nunca pesquisem Duality no YouTube", alerta fã de k-pop assustada

Matt Sorum: Duff não tinha palavras pra dizer que ele não estaria na reunião do GunsMatt Sorum
Duff não tinha palavras pra dizer que ele não estaria na reunião do Guns

Lacuna Coil: fãs queriam ver live, mas viram a banda em silêncio; leia explicaçãoLacuna Coil
Fãs queriam ver live, mas viram a banda em silêncio; leia explicação

Montrose: morre Robert Bob James, vocalista que substituiu Sammy Hagar na bandaMontrose
Morre Robert "Bob" James, vocalista que substituiu Sammy Hagar na banda

AC/DC: Amigo de Brian ouviu o Back in Black, achou horrível e o chamou pra beberAC/DC
Amigo de Brian ouviu o "Back in Black", achou horrível e o chamou pra beber

Dio: 14 músicas que definem a carreira da lenda, segundo a Classic RockDio
14 músicas que definem a carreira da lenda, segundo a Classic Rock

Vinny Appice: ele temeu briga com o incontrolável Bill Ward ao conhecê-loVinny Appice
Ele temeu briga com o "incontrolável" Bill Ward ao conhecê-lo

Axl Rose: gentil e como Batman, como ele gravou participação em Scooby-DooAxl Rose
Gentil e como Batman, como ele gravou participação em "Scooby-Doo"

RATM: Tom Morello revela por que não corta as cordas de sua guitarraRATM
Tom Morello revela por que não corta as cordas de sua guitarra

Kreator: Mille Petrozza conta como a Alemanha dividida influenciou a sua visão do mundoKreator
Mille Petrozza conta como a Alemanha dividida influenciou a sua visão do mundo

Ozzy Osbourne: quando Slash e Tom Morello quase foram mortos em um show deleOzzy Osbourne
Quando Slash e Tom Morello quase foram mortos em um show dele

Epica: A banda está de volta, revigorada, em novo álbumEpica
A banda está de volta, revigorada, em novo álbum

AC/DC: por que Angus Young usa uniforme escolar no palco - e de quem é a ideiaAC/DC
Por que Angus Young usa uniforme escolar no palco - e de quem é a ideia

João Gordo: quando ele brigou com Sérgio Mallandro na TV e o Bozo teve que apaziguarJoão Gordo
Quando ele brigou com Sérgio Mallandro na TV e o Bozo teve que apaziguar

Metallica: papagaio metaleiro vai ao delírio ouvindo Enter SandmanMetallica
Papagaio metaleiro vai ao delírio ouvindo "Enter Sandman"


Revolted: Nem só de música sertanojo vive o estado de Goiás

Resenha - Revolutionary Order - Revolted

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Leonardo Daniel Tavares da Silva
Enviar Correções  

Nota: 8

Nem só de música sertanojo vive o estado de Goiás. Bandas como a REVOLTED (de Anápolis) são um bálsamo, ou melhor, uma "revolução", como sugere o acróstico na contra-capa de seu debut "Revolutionary Order", mixado na França e produzido pela própria banda com Junior Xavas e Xavier Collard.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A intro, que dá nome ao disco, até parece longa ou confusa, mas quando começam os riffs podemos nos entregar ao thrash metal. "Heartbreaking" vem com os já citados riffs, que devem fazer a alegria dos bangers, além de um trabalho de bateria de yanomami, que foge do óbvio, e solo competente. O petardo é seguida por dois socos no estômago, "Behind The Sacred Verses" e "The Scars of Insanity". Nesta há alguns versos cantados com vocais melódicos, só que bem colocados, não descambando para o metalcore. O resultado final fica interessante.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mais uma vez a melodia nos vocais se apresenta discretamente na melhor faixa do disco até aqui, "Follow The Shadows". A banda usa os vocais melódicos a seu favor, não contra si. Em algumas faixas, até parece que temos dois vocalistas, mas como apenas Hedrey Glissierio é creditado no encarte, parece mesmo que todos os louros vão para o goiano.

"Hope Is Just An Illusion" (lyric video abaixo) adiciona um pouco mais de velocidade à mistura, enquanto "Imperfect Memories" termina de forma retumbante, mas a faixa mais empolgante do disco é, sem sombra alguma de dúvida, "Epidemia". Aqui temos tudo o que já vimos antes neste mesmo play: vocais diferenciados e competentes, riffs arrasadores, solo bem encaixado, cozinha bem arrumada, ecos de KREATOR, mas um detalhe que até poderia por em risco a aceitação ou popularidade da música, mas acaba por fazer toda a diferença. A letra é cantada em português. Uma surpresa que chega a eclipsar as duas (boas) faixas finais.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A arte do encarte é um tanto obscura, obviamente intenção da banda, mas um pouco de claridade para evidenciar detalhes do trabalho de Thiago Andrade ia bem.

O disco inteiro tem boas (e longas) letras, destacando ainda a já citada "Epidemia", que alcança um melhor efeito, pelo menos para brasileiros (mesmo aqueles que dominam o idioma anglo-saxão). Claro, cantar em inglês pode abrir portas lá fora e isto tem sido uma verdade para inúmeras bandas do Brasil, da Alemanha, da Suécia, mas, se a REVOLTED tiver intenção de figurar entre as maiores bandas que cantam na língua de Camões, já tem por onde começar.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

LINE UP:

Hedrey Glissiério – vocal
Alex Fernando - guitarra
Raphael Torlezzi - baixo
Yanomani Ami – bateria

TRACKLIST:
1- Revolutionary Order
2- Heartbreaking
3- Behind the sacred verses
4- The scars of insanity
5- Follow the shadows
6- Hope is just an illusion
7- Imperfect memories
8- Epidemia
9- Your faith is what destroys you
10- We are only free


Outras resenhas de Revolutionary Order - Revolted

Revolted: Entre a tênue linha do Thrash e Death Metal

Revolted: Thrash Death brazuca de muita qualidade


Stamp
publicidade
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Como consegui viver de Rock e Heavy Metal


Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Capas de álbuns: 30 das piores artes da históriaCapas de álbuns
30 das piores artes da história

Dave Mustaine: Maroon 5 o deixou boquiabertoDave Mustaine
Maroon 5 o deixou boquiaberto


Sobre Leonardo Daniel Tavares da Silva

Daniel Tavares nasceu quando as melhores bandas estavam sobre a Terra (os anos 70), não sabe tocar nenhum instrumento (com exceção de batucar os dedos na mesa do computador ou os pés no chão) e nem sabe que a próxima nota depois do Dó é o Ré, mas é consumidor voraz de música desde quando o cão era menino. Quando adolescente, voltava a pé da escola, economizando o dinheiro para comprar fitas e gravar nelas os seus discos favoritos de metal. Aprendeu a falar inglês pra saber o que o Axl Rose dizia quando sua banda era boa. Gosta de falar dos discos que escuta e procura em seus textos apoiar a cena musical de Fortaleza, cidade onde mora. É apaixonado pela Sílvia Amora (com quem casou após levar fora dela por 13 anos) e pai do João Daniel, de 1 ano (que gosta de dormir ouvindo Iron Maiden).

Mais matérias de Leonardo Daniel Tavares da Silva no Whiplash.Net.