RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas


Stamp

Marilyn Manson: álbum é um clássico moderno segundo Metal Hammer

Resenha - Holy Wood (In the Shadow of the Valley of Death) - Marilyn Manson

Por Narcissus Narcosis
Fonte: Metal Hammer
Postado em 17 de agosto de 2014

Entre o lançamento de "Antichrist Superstar" (1996) e o ano 2000, MARILYN MANSON criou um nome para si mesmo muito além dos parâmetros do mundo do rock e do metal, em quatro anos de terror religioso, expressão sexual (aquela capa do "Mechanical Animals" me apavorou quando era garoto) e nudez do traseiro toda vez que foi possível. MANSON não apenas se tornou o maior nome do metal como também um dos mais quentes em Hollywood, além de um vilão de renome mundial. Esse não é o cara que nos fazia escalar em nossas TVs porque os deuses no programa "Later...With Jools Holland" não o consideraram digno de um slot ou todo mundo assistindo ao METALLICA encabeçando o Glastonbury. Esse cara foi além disso ou de ser um fenômeno cultural de boa fé. Ele foi ao Letterman, foi fotografado nos tablóides com uma série de belas mulheres do cinema e da TV e, francamente, ele horrorizou a merda sempre amorosa no meio da América e fora dela. Vocês todos devem saber da controvérsia que cercou MANSON e a censura estúpida à sua arte e persona pela tragédia sem sentido que ocorreu em Columbine, mas que fez MANSON se tornar uma relutante figura odiada mundialmente (até o The Sun publicou um artigo de ódio ao MANSON). Em consequência, e com os olhos do mundo sobre ele, o cantor devolveu essa obra de arte com 19 canções.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 1

Retornando aos solos mais industriais e metálicos após o flerte com o glam rock e o eletrônico dos anos 90 (que não envelheceram bem, de fato), "Holy Wood" foi um álbum sombrio e compreensivelmente colérico, mas a sua força pode ser encontrada em suas camadas. Musicalmente, é um disco complexo que vai dos tiros na cabeça de fora-a-fora em "The Fight Song" e "Disposable Teens" ao balanço da sedução autoritária em "GodEatGod" e a ultrassinistra "Cruci-Fiction in Space".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 2

"Antichrist Superstar" pode ser anárquico e voltado à selvageria, mas "Holy Wood" é um exercício psicológico perturbador que canaliza as profundezas da música. Se você quer ler mais sobre o assunto e ver o quanto de pensamento e empenho foi aplicado na criação de "Holy Wood..(In the Valley of the Shadow of Death)", reserve um par de horas e confira o website The Nachtkabarett para detalhes no simbolismo usado em toda a artwork do álbum e dos temas, e para ganhar um conhecimento maior nesse álbum conceitual sobre a cultura americana.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 3

Trazendo as coisas de volta ao básico, tudo em "Holy Wood" é muito legal. A capa que traz o MANSON sem mandíbula em uma pose de crucificação é tão má quanto a cobertura difamatória retratada na mídia sobre ele naquele momento. O vídeo que acompanhou "Disposable Teens" - com o MANSON em uma variedade de disfarces, incluindo um Papa diabólico e um monstro de 40 metros - foi grotesto e teatral de uma forma que só o metal pode ser, mas o clipe de "The Nobodies" pareceu encapsular toda a escuridão do MANSON perfeitamente e, música e visualmente, é um dos melhores vídeos já feitos. Luz estranha, roupas fantásticas e técnicas de câmera e uma inesquecível performance do MANSON emergindo da neve com chifres de veado e antebraços feitos com galhos e gritando na cara de um cachorro que rosna. Todo esse conjunto para a trilha sonora do que é um dos maiores hinos do MARILYN MANSON e que concentra tudo o que de melhor ele tinha naquela época.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 4

MARILYN MANSON sempre será um fenômeno pelo seu trabalho em "Holy Wood" e para a virada do século, com uma série de três álbuns. Os temas de cólera, desprezo e ódio de "Antichrist Superstar" deu lugar à droga propelida elegantemente ao sabor de "Mechanical Animals" antes de atingir o seu zênite criativo em "Holy Wood". Depois de ser submetido a julgamento, se não literalmente, então certamente por caça às bruxas da mídia, MANSON estufou o peito e revelou um álbum que resiste ao teste do tempo depois de quase 15 anos do seu lançamento original. Descasque as camadas, mergulhe nos temas e ideologias do álbum e nessa jornada sinistra novamente. É realmente um presente que ele continua a nos dar.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 5
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 6
Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Summer Breeze 2024

Stratosphere Project: O eco estrondoso da Via-Láctea fundindo-se nas dimensões ocultas

Perc3ption: A arte em situações extremas

"Here Comes The Rain", último registro do Magnum com Tony Clarkin, é mais um bom registro

Resenha - Nebro - Vesperaseth

Sepultura: Em plena forma e com mais um disco brilhante

Deep Purple: Who Do We Think We Are é um álbum injustiçado?

Deep Purple: Stormbringer é um álbum injustiçado?

Megadeth: recuperando a fúria que faltava


publicidadeAdriano Lourenço Barbosa | Airton Lopes | Alexandre Faria Abelleira | Alexandre Sampaio | Andre Facchini Medeiros | André Frederico | Ary César Coelho Luz Silva | Assuires Vieira da Silva Junior | Bergrock Ferreira | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Alexandre da Silva Neto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cláudia Falci | Danilo Melo | Dymm Productions and Management | Efrem Maranhao Filho | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Fabio Henrique Lopes Collet e Silva | Filipe Matzembacker | Flávio dos Santos Cardoso | Frederico Holanda | Gabriel Fenili | George Morcerf | Henrique Haag Ribacki | Jesse Alves da Silva | João Alexandre Dantas | João Jesus Leitão Souza | João Orlando Arantes Santana | Jorge Alexandre Nogueira Santos | José Patrick de Souza | Juvenal G. Junior | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Marcus Vieira | Maurício Gioachini | Mauricio Nuno Santos | Odair de Abreu Lima | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Ricardo Cunha | Richard Malheiros | Roberto Andrey C. dos Santos | Sergio Luis Anaga | Silvia Gomes de Lima | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Victor Adriel | Victor Jose Camara | Vinicius Valter de Lemos | Walter Armellei Junior | Williams Ricardo Almeida de Oliveira | Yria Freitas Tandel |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Narcissus Narcosis

Narcissus Narcosis é fã de Marilyn Manson desde o final dos anos 90 e tirou o seu nome de uma música do cantor. Além do roqueiro, também é apreciador de literatura, cinema, filosofia, psicologia, teatro, shows, etc.
Mais matérias de Narcissus Narcosis.

 
 
 
 

RECEBA NOVIDADES SOBRE
ROCK E HEAVY METAL
NO WHATSAPP
ANUNCIAR NESTE SITE COM
MAIS DE 4 MILHÕES DE
VIEWS POR MÊS