Moonspell: "Wolfheart" é um álbum para todos os amantes do metal

Resenha - Wolfheart - Moonspell

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marcus Spinelli
Enviar correções  |  Ver Acessos


Wolfheart é o álbum de estreia da banda portuguesa Moonspell, lançado a 4 de Janeiro de 1995. A sonoridade deste álbum está mais voltada para o Folk e Black Metal.

Slash: por que ele usa óculos escuros o tempo todo?Krisiun: "Edu Falaschi não viveu o underground"

Um grande álbum com a atmosfera mais incrível que eu já ouvi na cena metal. O álbum é muito bem estruturado. As guitarras distorcidas e acústicas são fantásticas, o som cristalino é mostrado nos momentos mais depressivos do álbum, e os vocais são cheios de raiva no gutural e cheios de dor nos vocais limpos. Este álbum é uma verdadeira obra-prima.

As letras são profundas e filosóficas, as músicas estão cheias de histórias de vampiros e deusas de outros mundos (Trebaruna , Ataegina).
Trebaruna (uma das melhores músicas do álbum) fala sobre um guerreiro sagrado e uma deusa do amor, é sobre a vida e a morte, os dois lobos em guerra constante, que nos alimenta de amor e de guerra, etc ...

A música do Moonspell tem elementos góticos, fundamentos Black, conceito Folk e tudo está aqui escrito de uma forma bonita, cada instrumento tem seu momentos, por exemplo, na terceira faixa "... Of Dream And Drama (Midnight Ride)" tem um dos melhores solos de teclados que eu já ouvi. Os teclados em Wolfheart são uma coisa muito importante, é incrivelmente usado na maioria das introduções e também com muita precisão para criar um ambiente sombrio ou de atmosfera introspectiva, as linhas de baixo são incríveis acompanhando a bateria precisa. Cada canção em Wolfheart é linda em todo o álbum. Todas as faixas são em inglês com a excepção de "Trebaruna", "Ataegina", e o refrão de "Alma Mater", que são em português. A canção "An Erotic Alchemy" é um dueto, inspirado e com citações de Marquês de Sade.

"Love Crimes" é a canção mais violenta do álbum, com letras poéticas incríveis (como um livro antigo), os vocais são versáteis, uma mistura de sentimentos dolorosos e acordes sentimentais e muitas vezes irados."Vampiria" vem novamente uma introdução louca, triste e deprimente, então o contrabaixo começa perfuração em sua cabeça, tempo irregular, preenchimentos loucos, os mais impressionantes vocais do álbum. "Alma Mater" a melhor música em questão pela estrutura, os instrumentos são tocados com sangue nos olhos, o ritmo vocal é muito cativante.

Um fodástico álbum, para todos os amantes do metal, não importa o gênero que você gosta, este álbum vai explodir sua mente... eu garanto.

Fernando Ribeiro - Voz
Ricardo Amorim - Guitarra
Mike Gaspar - Bateria
Pedro Paixão - Teclado e Guitarra
Ares - Baixo

Faixas
"Wolfshade (A Werewolf Masquerade)"
"Love Crimes"
"...Of Dream and Drama (Midnight Ride)"
"Lua d'Inverno"
"Trebaruna"
"Vampiria"
"An Erotic Alchemy"
"Alma Mater"
"Ataegina" (Digipack Bonus Track)


Outras resenhas de Wolfheart - Moonspell

Moonspell: "Wolfheart" ainda impressiona depois de 15 anos




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Moonspell"


História: o terremoto de 1755 que inspirou o MoonspellHistória
O terremoto de 1755 que inspirou o Moonspell

Exportando metal: músicos brasileiros que atuam ou já atuaram em bandas gringasExportando metal
Músicos brasileiros que atuam ou já atuaram em bandas gringas


Slash: por que ele usa óculos escuros o tempo todo?Slash
Por que ele usa óculos escuros o tempo todo?

Krisiun: Edu Falaschi não viveu o undergroundKrisiun
"Edu Falaschi não viveu o underground"


Sobre Marcus Spinelli

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adGooILQ