Pantokrator: Encarnados no Melodic Death Metal

Resenha - Incarnate - Pantokrator

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Márllon Matos
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Depois de 7 anos incubados em algum canto esquecido da Suécia, o PANTOKRATOR retorna com o seu 3º full length em seus quase 20 anos de história, agora em nova casa, a Rottweiler Records.

Humor: os dez maiores picaretas da música internacionalA História Impopular dos Rolling Stones

A missão de início seria bem complicada, superar o magistral álbum Aurum, que, de longe, foi o melhor trabalho na carreira do quinteto. Bem, dizer que conseguiram é um pouco cedo (isso só o tempo dirá), mas que esse Incarnate é um belo lançamento não há como negar!

São pouco mais de 51 minutos de música distribuídos em 9 faixas matadoras onde a banda mostra que esse tempo de "reclusão" foi muito bem utilizado. A sonoridade sofreu uma grande progressão em relação aos lançamentos prévios. Doses maiores de melodia foram inseridas e na maioria das canções ocorreu uma valorização dos arranjos cadenciados, mas ainda sim o Pantokrator é uma banda de Metal e faz tudo isso com maestria!

Incarnate (a faixa) nos trás elementos de um AMON AMARTH sem as partes Vikings e mais focados na melodia; Cast Down é mais rápida e tem um refrão que, de certo modo podemos dizer que chega a ser "acessível". Bem, pelo menos em comparação ao que se ouve por ai no estilo; Revolution foi escolhida para ser single e lyric vídeo do álbum e não é difícil entender o motivo disso. A faixa é de longe a melhor do trabalho. Abertura contagiante, riffs grudentos, refrão que gruda na cabeça e de melodia facilmente assoviável. Não tem como não sair cantando logo deposi de ouvir pela primeira vez; Amidst The Wolves evidencia ainda mais a cadência e é boa, apenas isso; Seraphim Wings é uma faixa instrumental bem bacana e que serve como uma divisória do álbum pois a partir dela encontramos as faixas mais pesadas onde os pedais duplos se fazem mais presentes e as guitarras mais aceleradas, o destaque desta segunda parte fica pro conta de Millenium In Chains, mas sem desmerecer em momento algum as faixas Icarus Burning e Sammath Naur. Para finalizar, Ökevandring, faixa mais melódica e na maior parte do tempo instrumental, sendo completada no final com um belo vocal feminino de Rebecka Gustafsson, que agregou muito valor a esse camarote, hehehe

Individualmente não tem muito o que se falar dos membros da banda, todos executam muito bem as suas funções, mas ninguém chega a ser a nova estrela do gênero, mas se tem que ter um destaque, que fique por conta do vocalista Karl Baltazar e o seu timbre único. Seu vocal é rasgado mas de fácil entendimento, mas mesmo assim impõe respeito e é bem "carismático".

Para quem já conhecia a banda este cd não via decepcionar e para aqueles que nunca ouviram falar do PANTOKRATOR este é um ótimo começo.

Line-up:

Mattias Johansson - guitar
Karl Walfridsson - vocals
Rickard Gustafsson - drums
Jonas Wallinder - bass
Jonathan Jansson - guitar

Track list:

1 - Incarnate
2 - Cast Down
3 - Revolution
4 - Amidst The Wolves
5 - Seraphim Wings
6 - Icarus Burning
7 - Sammath Naur
8 - Millenium In Chais
9 - Ökevandring


Outras resenhas de Incarnate - Pantokrator

Pantokrator: Banda sueca de death metal melódico



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Pantokrator"


Humor: os dez maiores picaretas da música internacionalHumor
Os dez maiores picaretas da música internacional

A História Impopular dos Rolling StonesA História Impopular dos Rolling Stones

Kid Vinil: Uns 10 mil vinis e mais uns 10 mil CDs!Kid Vinil
"Uns 10 mil vinis e mais uns 10 mil CDs!"

Fotos de Infância: Robert Plant, do Led ZeppelinFotos de Infância
Robert Plant, do Led Zeppelin

História do Rock: dos primórdios aos anos 70História do Rock
Dos primórdios aos anos 70

Judas Priest: como soa a voz de Rob Halford isolada?Judas Priest
Como soa a voz de Rob Halford isolada?

Judas Priest: baterista de 10 anos tocando o clássico PainkillerJudas Priest
Baterista de 10 anos tocando o clássico Painkiller


Sobre Márllon Matos

Nascido em 1990, despertou para o rock em 2002 e desde lá vem sendo o terror dos vizinhos, seja tocando bateria ou ouvindo Metal no mais alto volume. Cristão convicto, curte de Palavrantiga a Crimson Moonlight, e o seu sonho é conseguir ir para a Austrália ver algum show do Mortification.

Mais matérias de Márllon Matos no Whiplash.Net.