RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemFatboy Slim confessa ter se arrependido de conhecer David Bowie pessoalmente

imagemA influente banda que acabou causando a "separação" do Guns N' Roses

imagemQuando Roberto Carlos foi alfinetado por Raul Seixas, mas o Rei gostou do que ouviu

imagemO megahit dos Beatles inspirado em desenho de amiguinha do filho de John Lennon

imagemOzzy Osbourne é contemplado com dois Grammy na edição de 2023 do evento

imagemO grande amor de Renato Russo que durou pouco mas marcou sua vida para sempre

imagemAs polêmicas escolhas do Nirvana para o "MTV Unplugged in New York"

imagemAs 5 bandas confirmadas no Summer Breeze Brasil que não tocarão em outras cidades

imagemO hit da Legião Urbana que Renato Russo considerava "pretensioso e babaca"

imagemA única música tocada no Festival de Woodstock que atingiu o primeiro lugar nas paradas

imagemQuando o Lynyrd Skynyrd irritou Mick Jagger ao abrir o show dos Rolling Stones

imagemNovo álbum do Angra será o melhor da era Fabio Lione, segundo Felipe Andreoli

imagemLendário empresário do Kiss se manifesta sobre acusações de playback de Paul Stanley

imagemKiss: Segundo Gene Simmons, Ace Frehley votou pela demissão de Peter Criss, em 1980

imagemMax Cavalera escolhe seus álbuns "não metal" preferidos


Stamp

Pretties For You: A estreia da lenda de Alice Cooper

Resenha - Pretties for You - Alice Cooper

Por Neimar Secco
Postado em 30 de dezembro de 2013

Oriundos de Phoenix, Arizona, uma terra não muito fértil de bandas de rock e, em plena era de psicodelia, de paz e amor, mas também da contestação e da ideologia libertária e literária de Jim Morrison, que nos abria todas as portas da mais fina percepção, a que vinham esses cinco forasteiros cabeludos do Arizona? O tempo mostraria, mas Pretties For You nos deixaria com mais perguntas que respostas.

No começo de tudo, Alice Cooper era tanto um vocalista como, em extensão, a banda formanda por Michael Bruce (guitarra e teclados), Glen Buxton (guitarra) Neal Smith (bateria) e Dennis Dunaway (baixo) e que já tinha contado com John Speer (bateria) e John Tatum (guitarra), nos tempos em que ainda se apresentavam com o nome de The Earwigs, The Spiders e The Nazz.

Naqueles tempos iniciais tudo o que passamos a conhecer como Alice Cooper ainda estava em formação. Como disse Bob Ezrin no começo de seu trabalho com a banda:

"Ninguém sabe ainda o que é Alice Cooper. Nós vamos moldá-lo aqui, nesse celeiro, como um Frankenstein". Mas o toque de Midas de Ezrin surgiria apenas no terceiro álbum, Love It To Death.

Aqui, ainda estamos em Los Angeles e Alice Cooper, depois de ter adquirido fama como, digamos, a pior das bandas, já que em Los Angeles em 1969, a moda era pagar para ver a banda tocar e sair no meio do show, deixando-os tocar sozinhos. E ainda faltavam gravar os primeiros álbuns, ou seja, eles ainda tinham um longo caminho a percorrer.

Pior de todas as bandas... Ótima referência para o "alternativo" Frank Zappa, que estava à procura de bandas para sua gravadora.

Segue parte de uma entrevista de Zappa, dada em 1976, em que ele fala sobre "ter descoberto" e contratado a banda:
Entrevistador: Você (que) descobriu Alice Cooper?
Frank Zappa: Bem, mais ou menos. (Eles vieram à minha casa (eu estava iniciando uma gravadora) e eles vieram à minha casa para uma audição para um contrato. Eles "vinham trabalhando" no Arizona e alguns amigos me disseram que eles vinham para uma audição e eu estava dormindo no andar de cima e eu tinha esse porão, e eles (chegaram e) montaram o equipamento e eu acordei com isso.
Entrevistador: Por que você achou que eles tinham potencial para serem rock stars?
Frank Zappa: Bem, eu tinha ido vê-los algumas vezes e eles (também) abriram para nós algumas vezes e quando eles tocavam e milhares de pessoas saíam da sala (Cheetah - em Los Angeles) eu sabia que eles tinham algo (risos da plateia).
Entrevistador: Não tenho certeza se estou entendendo. Deixavam a sala de show e você sabia que eles tinham algo...
Frank Zappa: Sim, as pessoas tinham uma reação muito violenta (a eles) e olhando para as pessoas reagindo daquela maneira, a reação delas e você ouve o que está acontecendo, você presume que algo está acontecendo e a gravadora que eu tinha estava lançando álbuns de gente como Welman Fischer (?) e coisas do tipo e eu deduzi, bem, "vamos nessa"...

Nas palavras de Alice: "Miss Christine (membro de um grupo multimídia da época (The GTOs) e também uma espécie de assistente pessoal de Zappa, depois de muito "implorar" e de insistência de nossa parte, me levou a uma festa e Zappa estava sentado em um sofá, bebendo vinho com seu bigode 'maior que a vida'. No momento em que nos encontramos, nós nos demos bem.

[an error occurred while processing this directive]

Zappa nunca tinha sido um grande sucesso comercial. 'extraoficialmente' tinha reputação de ser maníaco por drogas, um 'doido', mas esse não era o caso em absoluto. Ele nunca tocava em drogas e era o cara mais careta e o mais correto homem de negócios com quem já lidei. Ele me disse que estava abrindo sua própria gravadora e que estava procurando novos artistas para contratar, especialmente, comediantes e artistas psicodélicos. (...)

[an error occurred while processing this directive]

Perguntei a ele se ele iria ao Cheetah para nos ouvir, mas ele recusou, dizendo que estava ocupado demais, mas eu não aceitei não como resposta. No decorrer da festa e com o Zappa mais bêbado, fiquei mais insistente. Finalmente, ele disse: 'Venha de manhã e eu os ouvirei'".
(...)
"Eu supus que ele quis dizer que a gente tinha que trazer uma fita, ou que talvez tivesse esquecido que o dia seguinte era domingo. Miss Christine nos deixou entrar na casa dele no romper da madrugada, e nós montamos nosso equipamento e luzes no porão e começamos a tocar. Zappa desceu correndo, nu, com as mãos nos ouvidos. 'Tá certo, tá certo', ele gritou, 'vou contratar vocês, apenas parem de tocar.'"

[an error occurred while processing this directive]

Zappa não estava brincando. Assim, do nada, ele nos disse para ir a seu escritório na segunda de manhã e falar com seu gerente de negócios, Herbie Cohen. Cohen nos ofereceu um adiantamento de 6 mil dólares para que nossos três primeiros álbuns fossem lançados pelo novo selo de Zappa: Straight-Bizarre, distribuído pela Warner Bros. (...)

[an error occurred while processing this directive]

O primeiro álbum de Alice Cooper não decolou. Pretties For You, lançado em junho de 1969, revela uma banda cheia de ideias e inspirada em diferentes sonoridades, como o som psicodélico do Pink Floyd:

Bem como os sons de diferentes nuances, especialmente o rock mais básico, "de garagem", feito à época. Algumas dessas músicas soavam como meros experimentos e não são particularmente memoráveis. Nem se pode dizer que ouvindo Pretties For You (ou o álbum seguinte, Easy Action) poder-se-ia ter uma noção do que viria a ser o som da banda. (Lembrem-se: o mago Bob Ezrin ainda não fazia parte do trabalho da banda).

[an error occurred while processing this directive]

"Sing Low, Sweet Cheerio" ao mesmo tempo que nos chega com tambores ruidosos, nos apresenta Alice cantando com um sotaque britânico sua letra de versos psicodélicos como:

"But this story starring me had already begun,
‘cuz I had some vision in my sight
on the journey to be one,"

Mas essa história estrelando a mim já tinha começado
Porque eu tive uma tal visão
Na jornada para ser um.

Seria um tributo às bandas psicodélicas de São Franciso da época?

"Living" é uma grande música exibicionista que faz lembrar os Beatles de "Tomorrow Never Knows, sem os efeitos sonoros.

"Fields Of Regret"é a única canção longs do álbum (5:40) que permite à banda alongar-se em um arranjo bem peculiar, tendo o baixo de DD como destaque.

"Reflected" é a precursora do hit de 1972, "Elected" Não tão elaborada quanto sua segunda e definitiva versão, mas ainda assim um bom exemplo do potencial da banda.

"Earwigs To Eternity" é uma auto-referência ao início da banda, ainda em Phoenix, Arizona, quando, ainda garotos e estudantes de colégio se apresentavam em show de talentos locais e gravavam seus primeiros singles.

Não é o caso aqui de passar por todas as faixas desse álbum, que teve como mérito principal, apresentar Alice Cooper ao mundo do rock.

Musicalmente é um álbum de uma banda que sabia o que estava buscando e o caminho que queria percorrer. Os shows já tinham uma teatralidade que esboçava o que estava por vir. Aqui se estava no estágio do pós-nascimento. Eles estavam, digamos assim, engatinhando e apalpando, descobrindo e sendo descobertos. E, como já foi dito, ainda tinham um longo caminho a percorrer.

Notas:

Faixas:
Titanic Overture [1:09]
10 Minutes Before the Worm [1:27]
Sing Low, Sweet Cheerio [5:33]
Today Mueller [1:38]
Living [3:02]
Fields Of Regret [5:36]
No Longer Umpire [1:54]
Levity Ball (Live At the Cheetah) [4:23]
B. B. On Mars [1:08]
Reflected [3:10]
Apple Bush [2:57]
Earwigs to Eternity [1:14]
Changing, Arranging [2:58]
Música, letras e arranjos de Alice Cooper (Group)

Produção: Alice Cooper Group (embora seja esse o crédito que aparece na ficha do álbum, a produção foi, na verdade de Ian Underwood e Herb Cohen)
Cover Painting By Ed Beardsley
Photography by Ed Caraeff
Design by John Williams
Gravado nos Whitney Studios, Burbank, California durante apenas duas noites.

Foi na tour de Pretties For You que a banda participou do Toronto Rock n' Roll Revival, que tinha como estrelas principais John Lennon e The Doors. Durante a apresentação da banda, ocorreu o famoso incidente em que alguém da plateia atirou uma galinha ao palco e Alice a arremessou de volta.

Eis o set list desses primeiros shows da banda:
No Longer Umpire
Today Mueller
10 Minutes Before the Worm
Levity Ball
B.B. On Mars
Sing Low, Sweet Cheerio
Changing, Arranging

Algumas outras músicas foram tocadas em um ou outro show, mas não em todos:
Lay Down and Die, Goodbye
Nobody Likes Me


Outras resenhas de Pretties for You - Alice Cooper

Resenha - Pretties for You - Alice Cooper

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Def Leppard Motley Crue 2

Alice Cooper: Rei do shock rock relembra encontro inusitado com Syd Barrett


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Neimar Secco

Welcome to my nightmare. Sou professor de inglês e de português e também tradutor eventual. Rock sempre foi e continua sendo a minha trilha sonora de todas as horas. Minhas preferências são hard rock, progressivo e classic rock em geral (anos 60, 70 e 80). Bandas favoritas: Alice Cooper, Led Zeppelin, Black Sabbath, Ozzy Osbourne, Pink Floyd, Beatles, Creedence, The Doors, Dire Straits, entre muitas outras.
Mais matérias de Neimar Secco.