RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemA atitude ousada da Legião Urbana ao peitar Globo e Faustão no meio de uma grande crise

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemA razão que levou Humberto Gessinger a decidir não usar mais nome "Engenheiros do Hawaii"

imagemPor que Gisele Bündchen e Ivete Sangalo deturparam "Imagine", segundo André Barcinski

imagemDiva Satânica explica qual foi a razão que a fez deixar a banda Nervosa

imagemO último show de Bon Scott com o AC/DC, três semanas antes de sua morte

imagemA hilária reação de Keith Richards ao encontrar músicos do Maneskin

imagemDavid Coverdale relembra parceria com Jimmy Page, e fala sobre relançamento

imagemAs duas razões que levaram RPM a passar por segunda separação em 2003

imagemEm entrevista, Tony Iommi contou como aprendeu a tocar guitarra

imagemAlém do Moonspell, São Paulo Metal Fest anuncia Beyond Creation em seu cast

imagemAngra parabeniza a aniversariante Sandy nas redes sociais

imagemJimmy Page sobre o "Presence": "Não se faz músicas como aquelas caindo de bêbado"

imagemGuitarrista do Offspring continuou em seu emprego normal mesmo depois da fama

imagemPrika explica por que nova vocalista da Nervosa não é brasileira e promete single em março


Summer Breeze

Black Dahlia Murder: exemplar do melhor do metal da atualidade

Resenha - Everblack - Black Dahlia Murder

Por Guilherme Niehues
Postado em 17 de junho de 2013

Dois anos após o lançamento do álbum Ritual (2011), a banda THE BLACK DAHLIA MURDER nos brindou com seu mas novo álbum, intitulado "Everblack". A cada álbum a banda demonstra uma evolução natural e uma pegada mais rápida do que seu antecessor, deixando bastante claro que, eles ainda são capazes de mostrar do que a sua música é feita e o melhor ainda: de uma forma mais brutal e ampla. Sem esquecer também, que este álbum é o de estréia de Alan Cassidy (ex-Abigail Williams) e Max Lavelle (ex-Despised Icon), ocupando o lugar de baterista e baixista, respectivamente.

Logo de cara, iniciamos o álbum com a música "In Hell is Where She Waits for Me", que demonstra exatamente o que podemos esperar por todo o resto do álbum, e a primeira impressão que temos de Alan e Max, que não deixam nada a desejar, especialmente Alan que tem o árduo trabalho de substituir o excelentíssimo Shannon Lucas. A música? Ela é tipica da banda, rápida e pesada além de conter ótimos riffs e um vocal que não deixa a desejar, seja na parte rasgada ou gutural.

Everblack contém mais 9 faixas em que é possível notar a evolução da banda, não somente no som, mas em termos de temas abordados em suas músicas e até mesmo no vocal de Trevor. Para aqueles que conhecem a banda, não é preciso apresentar todas as faixas, uma vez que já se sabe que a qualidade e o que nos espero é meio inegável. A banda também tornou a compor mais em suas raízes, uma vez vistas em álbuns como Nocturnal (2007) e Deflorate (2009), ou seja, um Death Metal melódico, ao invés de ser algo mais brutal e voltado ao Death Metal em si, como era possível evidenciar com maior notoriedade no álbum Ritual (2011).

Na composição da banda existem 5 (cinco) excelentes músicos, que em conjunto voltam a demonstrar todo o seu arsenal, sem deixar a desejar, e outro ponto extremamente positivo, é o entrosamento dos dois novos membros que somam experiências e um toque especial ao álbum, tanto na parte mais cadenciada quanto no brutalismo. Porém, como em todo álbum, Trevor Strnad ainda se mantém invicto sendo a alma da banda, por seu vocal ser a marca registrada e bem como seus temas doentios e cativantes (de um certo modo).

Para aqueles que querem conhecer um pouco mais a banda, este álbum é recomendado e ao volume máximo, afinal aqui é exibido o melhor do metal da atualidade.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

The Black Dahlia Murder anuncia primeira turnê após morte de Trevor Strnad

Death Metal: cinco bateristas do gênero que são insanos


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal