RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemDeep Purple: David Coverdale revela quem quis como substituto de Ritchie Blackmore

imagemAndi Deris tem problemas de saúde e shows do Helloween são adiados

imagemO brasileiro com a voz parecida com a de Axl Rose que viralizou no TikTok

imagem"Quem não gosta de Beatles bom sujeito não é", diz João Gordo

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemProdutor da turnê de Paul Di'Anno explica problemas no primeiro show

imagemVocalista do Fleshgod Apocalypse é pedida em casamento durante show da banda

imagemO motivo nada musical que fez Bruce Dickinson querer se juntar aos hippies

imagemZelador viraliza após incrível semelhança com voz de Steve Perry em "Don't Stop Believin'"

imagemTony Iommi conta quais são os riffs preferidos que ele escreveu

imagemShane Hawkins, filho de Taylor Hawkins, ganha prêmio de melhor performance do ano

imagemEm disputa acirrada, fãs batem recorde e elegem melhores discos de metal de 2022

imagemEloy Casagrande repete o feito sendo eleito melhor baterista de metal do mundo

imagemPaul Stanley sabia que seria um rockstar desde a sua juventude


Big Phat Mama: para quem curte Blues, eis uma excelente pedida

Resenha - Ao Vivo - Big Phat Mama

Por Marcos Garcia
Postado em 12 de abril de 2013

Nota: 8

É incrível como muitas pessoas ainda desconhecem mais profundamente o Blues, estilo que deu origem ao Rock, e por sua vez, ao Metal. Há trabalhos fascinantes que saem tanto no exterior quanto no Brasil, e a lista de artistas que, no Brasil, são adeptos ferrenhos do estilo não é pequena. Nomes como BLUES ETÍLICOS e ANDRÉ CHRISTOVAM são respeitadíssimos, e o público do estilo é bem amplo. E um bom nome que está mostrando seu trabalho no momento é o quinteto carioca BIG PHAT MAMA, que neste CD, 'Ao Vivo', mostra seu potencial.

O grupo faz um trabalho bem intimista e que lembra bastante o gênero clássico, aquele mesmo praticado nos pubs americanos, com vocais femininos muito bem postados e com boa dicação, guitarras limpas e bem tocadas, um baixo bem proeminente e técnico, gaita extremamente bem casada ao grupo, e uma bateria bem firme nos andamentos e mostrando uma técnica bem legal.

Apesar de ser gravado ao vivo, o trabalho tem uma sonoridade muito boa e limpa, permitindo que as nuances do instrumental da banda não se embolem ou fiquem 'esfumaçados', e somos capazes de ouvir os aplausos do público, sem nenhum tipo de overdub feito.

O CD é muito bom, contagiante, e cujo único pecado está no repertório, já que o quinteto optou por um trabalho feito quase todo em cima de covers de nomes fortes do estilo, como Big Mama Thornthon, Muddy Waters e B. B. King. Mas mesmo assim, é impossível não babar com as versões personalizadas de 'Hound Dog', bem animada e que incrivelmente ganhou um certo toque de sofisticação quase 'MPB' na interpretação da banda, com ótimos vocais; 'Coffee Blues', de autoria da própria banda, que mostra uma levada deliciosamente cadencaida e crioula, com belíssimo trabalho de baixo e gaita (esta reforçando demais o clima deprê da canção); 'Walk on', um Bluesão com uma levada que mostra explicitamente a vocação de se tornar mais intenso e virar o Rockabilly alguns anos depois, com vocais femininos maravilhosos; a mais cadenciada e com aquele ar de melancolia tão tradicional do Blues Norte-Americano do Mississippi de 'Bala Perdida', outra composição da banda, com o baixo e bateria mostrando boa técnica e dando um show à parte; e a animada e com um toque de Country 'Got My Mojo Working', com ótimos backing vocals.

Para quem curte Blues, eis uma excelente pedida!

Ao Vivo - Big Phat Mama
(2013 - Independente - Nacional)

Tracklist:

01. Hound Dog
02. Coffe Blues
03. Walk on
04. Bala Perdida
05. Before You Accuse Me
06. Got My Mojo Working
07. Thrill is Gone

Formação:

Mariana Benjamin - Vocais
Kevin Shortall - Guitarra e vocais
David Taveira - Gaita
Daniel Taveira - Baixo e vocais
Tiago Zebende - Bateria

Contatos:

http://www.bigphatmama.com.br/
https://www.facebook.com/pages/Big-Phat-Mama/156021771130546
[email protected]

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Slayer: a trágica e não revelada história do fim de Jeff Hanneman


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Marcos Garcia

Marcos Garcia é Mestrando em Geofísica na área de Clima Espacial, Bacharel e Licenciado em Física, professor, escritor e apreciador de todas as subdivisões de Metal, tendo sempre carinho pelas bandas mais jovens e desconhecidas do público, e acredita no Underground como forma de cultura e educação alternativas. Ainda possui seu próprio blog, o Metal Samsara, e encara a vida pela máxima de Buda "esqueça o passado, não pense no futuro, concentre-se apenas no presente".
Mais matérias de Marcos Garcia.