Frank Zappa: Uma aula de boa música e um exercício aos ouvidos

Resenha - Roxy & Elsewhere - Frank Zappa / Mothers

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Matheus Cavalheiro
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Hoje tentarei me expressar o melhor que eu puder e escrever com muito cuidado. Mas por que escrever com cuidado? Por que quando se trata de falar a respeito de um gênio do calibre de Frank Zappa, oque você deve ter de sobra na manga são as palavras certas e dignas. Só para começar, para se ter uma pitada de ideia sobre a genialidade deste cara, sabe como ele compunha suas músicas? Ele criava a música toda antes de se quer relar a mão na guitarra através de partituras. Não só isso, Zappa também tinha o hábito de tirar sarro com uma cacetada de coisas envolvendo astros hollywoodianos, bandas pop que faziam sucesso na época como por exemplo o Bee Gees até deputados, governadores e outras ilustres figuras da política americana. O cara até cogitou a presidência dos E.U.A. acredite se quiser. Era inteligente e pensava muito, mas muito a frente de seu tempo.
594 acessosPunk e Progressivo: dois artistas que tentaram juntar ambos5000 acessosMetallica: Jason explica o baixo apagado de And Justice For All

Eu amo diversos álbuns de Zappa como 'Freak Out!' ao qual já resenhei aqui para o Whiplash, o maravilhoso 'One Size Fits All', mas oque realmente me chocou tamanha genialidade, espontaneidade e irreverência foi o tesouro em forma de disco que atende por 'Roxy & Elsewhere'. Esse diamante platinado, foi concebido entre os anos de 1973 e 1974 com diversas gravações, jams, improvisos, interação com o público e muita bizarrice no Roxy Theatre - Hollywood, California e no Edinboro State College - Edinboro, Pennsylvania além de trechos gravados em Chicago. Zappa foi um grande arquiteto no que se diz sobre edição de som e gravou trechos de concertos diferentes na mesma canção, por exemplo o solo de "More Trouble Every Day" que contém partes no Roxy Theatre e Chicago. Essa técnica seria usada e abusada por ele em muitos trabalhos de estúdio e ao vivo de sua discografia.

O que é mais incrível que temos as já citadas jams contrastando com críticas sociais regadas a muito cinismo e deboche por parte de Zappa. Canções como "Village Of The Sun", "Pygmy Twylyte", "Echidna's Arf (Of You)" e "Don't You Ever Wash That Thing?" são improvisos instrumentais maravilhosos. Aqui encontramos saxofones, xilofones, sintetizadores, metais e diversos instrumentos por parte dos The Mothers of Invention. São Riffs criativos a colidirem com Jazz, Funk e até um pouco de Blues. É simplesmente brilhante! Não só improvisos e habilidades, mas Zappa além de dar uma aula sobre boa música, nos ilumina com suas ilustres palavras e ácidas críticas. "Penguim In Bondage" por exemplo, tem um letra bem sacana e surreal, mas o ponto alto mesmo do disco em questão de letra pode-se dizer que é com a canção "Cheepnis" aonde o mestre faz praticamente um 'stand-up comedy' antes de executarem a música. Zappa nos fala de filmes toscos e mal-feitos que insultam a nossa inteligência com efeitos especiais porcos e amadores, e o quão divertidos podem ser quando assistidos. Ele se inspirou no filme de ficção de 1958 chamado 'It Conquered The World' para escrever esta canção, e a letra da mesma fala sobre um cachorro poodle gigante chamado Frunobulax que invade a cidade e destrói tudo oque vê... Uma baita tiração de sarro também com filmes japoneses estranhos por exemplo como
'Godzilla' lançado em 1954.

"Dummy Up" é uma jam pra lá de bizarra que tem como tema a educação e o seu verdadeiro propósito. Oque adianta um idiota possuir um diploma se o mesmo exala incompetência e não enxerga um palmo se quer a sua frente? Zappa em um momento propõe ao individuo fumar o diploma já que ele não lhe serve de nada. É interessante que você ao mesmo tempo fica deslumbrado não só com a música, mas com a postura de manifesto bem presente aqui e em diversos trabalhos de Zappa. O mestre seria uma pedra no sapato de muita gente importante...

"Son of Orange County" conta com um solo maravilhoso e muito feeling que seguem em uma levada mais arrastada. De longe uma das mais lindas do disco e os Mothers acompanham perfeitamente seu maestro. "More Trouble Every Day" é uma releitura de "Trouble Every Day" do disco 'Freak Out!' de 1966. A banda aqui dá um show a parte com o instrumental e o clima sério de pura revolta em uma ácida crítica sobre violência racial e repórteres parasitas inúteis. Zappa abusa de seu carisma ao vivo e propõe um desafio no palco em "Be-Bop Tango (Of The Old Jazzmen's Church)" com uma jam esquisitíssima de 16 minutos aonde um casal tenta fazer uma dança bem estranha. No geral 'Roxy & Elsewhere' é uma aula de puro bom gosto e um belíssimo exercício aos ouvidos. Se você não conhece, sugiro ir conhecendo aos poucos e se acostumando para digerir e captar a mensagem que este gênio nos deixou.

Zappa você faz muita, mas muita falta mesmo neste mundo... Pensar que artistas ilustres como você se foram, e coisas como One Direction, Justin Bieber e Michel Teló explodem nas rádios feito uma epidemia de rubéola nos matando de desgosto... É bem triste... Mas nós ficamos felizes logo, ao lembrar que caras como Frank Zappa são eternos, e essas idiotices sonoras que aturamos aí fora sequer serão lembradas em no máximo 1 ano. E quando perdem a fama, vão para 'A Fazenda' ou chorar no programa da Sônia Abrão tentado ficar na mídia de novo... Isso nos prova que números não são nada comparados com a inteligência e genialidade. Esses "artistas" descartáveis podem vender milhões e milhões de discos, porém, eu recomendo a eles que aproveitem bem a fama e comprem seus Camaros Amarelos e façam seu pé de meia, por que ninguém vai se quer lembrar deles daqui uns meses... Mediocridade atrai um público medíocre.

Um grande abraço e fiquem com Deus e com a boa música! Confiram meu canal Café Cavalheiro no YouTube! Valeu!

TRACKLIST:

01. Penguin in Bondage - (6:48)
02. Pygmy Twylyte - (2:13)
03. Dummy Up - (6:03)
04. Village of the Sun - (4:18)
05. Echidna's Arf (Of You) - (3:54)
06. Don't You Ever Wash That Thing - (9:41)
07. Cheepnis - (6:34)
08. Son of Orange County - (5:54)
09. More Trouble Every Day - (6:01)
10. Be-Bop Tango (Of the Old Jazzmen's Church) - (16:41)

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

594 acessosPunk e Progressivo: dois artistas que tentaram juntar ambos0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Frank Zappa"

Mike PortnoyMike Portnoy
Um santuário na perna para seus artistas favoritos

Pirações SonorasPirações Sonoras
Os 50 álbuns mais estranhos da música

RockRock
As dez lendas mais macabras do gênero

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Frank Zappa"

MetallicaMetallica
Jason explica o baixo apagado de And Justice For All

Lady GagaLady Gaga
"O Iron Maiden mudou a minha vida!"

Ozzy x SharonOzzy x Sharon
Conheça a mulher que supostamente causou a separação

5000 acessosMetallica e Lady Gaga: veja a performance conjunta no Grammy5000 acessosVocalistas: as vozes mais agudas do Metal segundo o Noisecreep5000 acessosZodíaco True: Os perfis de cada signo em versão Headbanger5000 acessosBruce Dickinson: Use Your Illusions? Aquele formato é uma bosta!5000 acessosGuns N' Roses: exigências para os shows no Brasil4327 acessosKiss: banda toca clássico do Led Zeppelin em versão acústica

Sobre Matheus Cavalheiro

Matheus Cavalheiro é mega-fanzaço não só de Rock N´ Roll mas da boa música em geral. Curte desde Marvin Gaye e Miles Davis até Slayer e Alice In Chains, afinal a música é excelente em diversos aspectos! É o dono do canal Café Cavalheiro no YouTube.

Mais matérias de Matheus Cavalheiro no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online