Rotting Christ: beleza mórbida que cativa na primeira audição

Resenha - Kata Ton Daimona Eaytoy - Rotting Christ

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9


Todos que acompanham a fase mais recente do ROTTING CHRIST sabem que a banda, há muito tempo, deixou de praticar simplesmente Black Metal, criando uma sonoridade muito mais ampla e diversificada, que até então não se enquadra em nenhum dos rótulos criados pela mídia. Mas, independente disso, é fato que, a cada lançamento, a banda consegue surpreender o ouvinte, desafiando limites e sempre extrapolando no quesito qualidade.

Linkin Park: Qual a relação da morte de Chester Bennington com Chris Cornell?Iron Maiden: a reação de Bruce Dickinson ao ver músicas da era Blaze no set

Se desde o começo de sua carreira a banda já se mostrava inquieta quanto a novos experimentos, embora optasse por algo mais voltado às raízes da música negra, desde o disco "Theogonia" a banda resolveu escancarar essa tendência, que chegou ao auge com o magistral "Aealo", uma das obras mais instigantes dos últimos tempos no metal extremo. Mas, mesmo assim, a banda não deixou de evoluir ainda mais.

E nesse novo disco a coisa não é diferente, pois temos aqui uma verdadeira aula de musicalidade. A dupla Sakis e Themis Tolis realmente estava inspirada, criando faixas altamente complexas, mas ao mesmo tempo de fácil assimilação, com uma riqueza de arranjos impressionantes, e estruturas rítmicas que fazem até mesmo os mais leigos tirarem o chapéu. Além disso, as melodias criadas são fantásticas, seja nos momentos mais épicos e grandiosos, seja nos mais voltados ao metal, em que as guitarras de Sakis se destacam, com solos marcantes e riffs variados e cativantes.

Há também que se mencionar o excelente trabalho de vozes em todo o material, principalmente nos excelentes coros, que criam uma aura macabra e melancólica que chega a assustar.

Todas as 10 faixas criadas (11 na versão especial do disco) possuem uma beleza mórbida que cativa o ouvinte logo na primeira audição, trazendo enraizados diversos elementos da música grega, com um tom introspectivo que chama a atenção. Mas cumpre salientar que a banda não deixou de lado o peso, pois o disco é um dos mais agressivos e brutais de sua carreira, embora, como dito, fuja dos padrões do Black Metal tradicional.

Logo na abertura do material, com "In Yumen - Xibalba", os gregos já demonstram que se trata de um material diferenciado e que foge do lugar comum, levando o ouvinte por uma viagem sombria e devastadora. Na sequência," P'unchaw Kachun - Tuta Kachun" e "Grandis Spiritus Diavolos" mantém o clima épico e brutal do material, com uma aura de ritual sombrio e macabro, embora repletas de melodias acessíveis.

E o disco segue nessa sequência destruidora até o final, destacando-se ainda as faixas , "Cine Iubeste Si Lasa" (com os melhores riffs de guitarra do disco), "Gilgame" e "Ahura Mazda-Azra Mainiuu", que fazem desse disco uma das obras mais marcantes do metal contemporâneo.

Uma curiosidade acerca do nome do álbum, que apesar de estranho, significa "Kata Ton Daimona Eaytoy", uma releitura da frase "do what thou wilt" ("faço o que tu queres"), do mestre do ocultismo, Aleister Crowley, e retrata com maestria a proposta lírica da banda.

Destaque também para a excelente produção do material, que ficou a cargo de Sakis e Jens Bogren, com uma excelência que contribuiu muito para o maravilhoso resultado final da sonoridade de "Κατά τον Δαίμονον Εαυτού".

Vale citar ainda que o disco possui uma belíssima versão deluxe, que além do disco em digipack, com uma faixa bônus, ainda traz uma medalha de prata e um banner da banda, tudo isso embalado em um lindo box.

Assim, fica claro que o ROTTING CHRIST está em sua fase mais criativa, diversificando sua sonoridade como poucas bandas conseguem, o que fatalmente afastará diversos de seus antigos fãs (em especial os apreciadores do Black metal mais tradicional), mas que por outro lado lhe angariará ainda mais admiradores. Ainda é cedo para afirmar com certeza, mas temos aqui um forte candidato a melhor disco de 2013, indicado não apenas para os fãs de black metal, mas para todos os amantes da música extrema de qualidade. Brilhante!

Κατά τον Δαίμονον Εαυτού - Rotting Christ
(2013 - Season of Mist - Importado)

Formação:
Sakis Tolis - Guitarras, baixo, vocais, teclados, letras
Themis Tolis - Bateria
George Emmanuel - Guitarra solo (músico de estúdio)

Tracklist:
01. In Yumen - Xibalba
02. P'unchaw Kachun - Tuta Kachun
03. Grandis Spiritus Diavolos
04. Κατά τον δαίμονα του εαυτού (Kata Ton Daimona Eaytoy)
05. Cine Iubeste Si Lasa
06. Iwa Voodoo
07. Gilgame
08. Русалка
09. Ahura Mazda-Azra Mainiuu
10. Χ ξ ς (666)
11. Welcome To Hell (Bonus Track)


Outras resenhas de Kata Ton Daimona Eaytoy - Rotting Christ

Rotting Christ: o novo capítulo da reinvenção da bandaRotting Christ: o Culto das Sombras ateniense continua vivo!



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Rotting Christ"


Rotting Christ: Polêmicas com Mustaine e político norte-americanoRotting Christ
Polêmicas com Mustaine e político norte-americano

Grécia: dez das maiores bandas de metal do paísGrécia
Dez das maiores bandas de metal do país


Linkin Park: Qual a relação da morte de Chester Bennington com Chris Cornell?Linkin Park
Qual a relação da morte de Chester Bennington com Chris Cornell?

Iron Maiden: a reação de Bruce Dickinson ao ver músicas da era Blaze no setIron Maiden
A reação de Bruce Dickinson ao ver músicas da era Blaze no set


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.