Lancer: culto ao passado e avestruz com spikes como mascote

Resenha - Lancer - Lancer

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ricardo Seelig, Fonte: Collectors Room
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O saudosismo e o culto ao passado são partes integrantes da cultura heavy metal. Principalmente em relação à decada de 1980, o que não faltam são sites, publicações e até mesmo festivais dedicados exclusivamente ao som produzido naquele período. Todo esse culto fez surgir um estilo próprio dentro do metal, manifestado através da crescente onda de bandas retrô thrash surgidas nos últimos anos e que, na minha visão particular, salvo algumas excessões soam, em sua maioria, apenas genéricas, derivativas e totalmente desnecessárias.
5000 acessosDossiê Guns N' Roses: A versão de Slash para os fatos5000 acessosCrianças: veja como cresceram as de "Nevermind", "War" e outras

Seguindo outro caminho, os suecos do Lancer também olham para o passado, mas para outra seara: a do power metal. Formada em 2009 na cidade de Arvika, a banda é composta por Isak Stenvall (vocal), Peter Ellström (guitarra), Fredrik Kelemen (guitarra), Emil Öberg (baixo) e Sebastian Pedernera (bateria) e acaba de lançar o seu primeiro disco. Batizado apenas com o nome do grupo, a estreia do Lancer saiu no último dia 18 de janeiro e irá agradar em cheio uma parcela considerável de metalheads.

O motivo dessa certeza é a mistura de influências que compõe a música do quinteto: linhas vocais muito bem construídas, guitarras velozes e melodias e arranjos que remetem diretamente ao Iron Maiden do biênio 1983/1984 e ao Helloween fase 1987/1988. E a cereja do bolo: um vocalista que possui um timbre de voz que fica no meio termo entre Michael Kiske e Tobias Sammet e, em alguns momentos, nos traz à mente o jovem Bruce Dickinson.

Produzido pela dupla Tommy Reinxeed e Ronny Milianowicz, que tem no currículo trabalhos para nomes como Hammerfall, Wolf e o próprio Kiske, o debut do Lancer parece um disco perdido de power metal gravado durante a década de 1980 e que só agora viu a luz do dia. A banda possui uma diferença fundamental em relação à grande maioria dos grupos que reciclam a sonoridade e a estética daquela época: ao invés do saudosismo puro e simples, o que temos aqui é um cuidadoso e sólido trabalho de composição que bebe sim no passado, mas com talento de sobra para tornar tudo refrescante e pra lá de cativante.

Se você é fã de bandas como Iron Maiden, Helloween, Gamma Ray, Hammerfall, Edguy e Steelwing, irá às nuvens com o Lancer. As nove faixas do disco são cheias de refrões grudentos e melodias eficazes, além de solos que instigam qualquer fã de metal a empunhar a sua air guitar e sair detonando tudo.

Entre as músicas, destaque para o primeiro single e faixa de abertura, “Purple Sky”, além de “The Exiled” (Steve Harris ficaria orgulhoso), “Young & Alive” (e dá-lhe Keeper of the Seven Keys), “Dreamchasers” e “Mr. Starlight”. Há alguns delizes quando a banda tenta ir por caminhos mais dramáticos, como em “Seventh Angel” e “Between the Devil and the Deep”, mas acerta o alvo contrário em duas faixas com duração excessiva e pretensão desnecessária.

Quando o culto ao passado vem acompanhado de grandes doses de talento no lugar da saudade pura e simples, não tem como dar errado. Esse é o caso do Lancer. Os suecos fizeram um belo trabalho em seu disco de estreia e possuem potencial para irem muito além.

É bom ficar de olho no Lancer, porque a coisa aqui promete (até porque uma banda que tem um avestruz cheio de spikes como mascote não pode passar despercebida ...).

Faixas:
1 Purple Sky
2 The Exiled
3 Young & Alive
4 Seventh Angel
5 Don’t Go Changing
6 Dreamchasers
7 Mr. Starlight
8 Deja Vu
9 Between the Devil and the Deep

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 11 de março de 2013

NWOTHMNWOTHM
10 bandas novas legais para você conhecer

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Lancer"

Dossiê GNRDossiê GN'R
A versão do guitarrista Slash para os fatos

CriançasCrianças
Como cresceram as de "Nevermind", "War" e outras

RodolfoRodolfo
100% arrependido das letras dos Raimundos

5000 acessosMetallica: noiva toca "Master..." na bateria no casamento5000 acessosMegadeth: Electra mostra para Kiko como está fera no Português5000 acessosEm 08/03/1995: Ingo Schwichtenberg, baterista do Helloween, comete suicídio5000 acessosGuns N' Roses: Como Slash explica a separação em sua biografia?5000 acessosO Rock Morreu: mas a boa notícia é que ele está embalsamado3818 acessosÁlbuns Homônimos: algumas pérolas que levam o mesmo nome da banda

Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online