Matérias Mais Lidas

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal

imagemSteven Tyler dá entrada em clínica de reabilitação após sofrer recaída

imagemO que Adrian Smith descobriu ao retornar ao Iron Maiden

imagemMarcello Pompeu agradece mobilização de fãs

imagemA opinião de Arnaldo Antunes sobre a competição interna que havia nos Titãs

imagemAs composições de Paul McCartney nos Beatles preferidas de John Lennon

imagemO clássico do Helloween que fez Angra mudar nome original de "Running Alone"

imagemRegis Tadeu explica porque Ximbinha é um dos melhores guitarristas do Brasil

imagemNicko McBrain, do Iron Maiden, mostra o seu novo (e enorme) kit de bateria

imagemNick Mason relembra a época que o Pink Floyd desastrosamente tentou tocar reggae

imagemO reencontro entre Steve Harris e Paul Di'Anno na Croácia

imagemLars Ulrich diz que shows do Metallica na América do Sul foram incríveis

imagemDo alicerce do Metallica até bossa nova com o eclético Kirk Hammett

imagemMark Tremonti, do Alter Bridge, revela que é grande fã de lendária banda de metal

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim


Pixies: depravação humana como fonte de inspiração

Resenha - Come On Pilgrim - Pixies

Por Paulo Severo da Costa
Em 22/02/13

Incesto, violação, vouyerismo - a depravação humana sempre foi uma fonte inesgotável de inspiração e, de SHAKESPEARE ao grindcore, esses temas foram explorados a exaustão. No campo do rock n´roll, o porão da obscuridade foi aberto pelos pioneiros do SABBATH e transitou livremente entre a obsessão necrófila de ALICE COOPER e a escatologia herege de NAPALM DEATH e G.G ALLIN. No meio termo, o rock gótico do BAUHAUS e SISTERS OF MERCY deu foco às mesmas distorções; porém, dando um tratamento lírico mais polido. Dentre os frutos musicais dessa filtragem saíram nomes como o KILLING JOKE, SONIC YOUTH e um grupo formado em 1986 que ainda não sabia - mas iria influenciar profundamente uma nova estética musical que surgiria no fim daquela década.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Contando com BLACK FRANCIS (vocais e guitarra), KIM DEALL (baixo e backing) - DAVID LOVERING - bateria e JOEY SANTIAGO (guitarra) – time que nunca foi modificado ainda que a banda tenha ficado quase dez anos de molho na década de 1990- o PIXIES foi o responsável por dois clássicos do indie rock americano- "Surfer Rosa" e "Doolitlle" são citados em noventa e nove por cento das listas de álbuns alternativos e, sua influência inspirou a criação e os modelos de composição de bandas como o NIRVANA, FOO FIGHTERS, RADIOHEAD- isso, de acordo com os próprios membros das respectivas. Carregados por uma mistura de noise, punk e pós-punk se encontraram com letras doentias que tiveram como primeiro passo o lançamento de EP "Come On Pilgrim" de 1987- "patrocinado" pela pai de BLACK FRANCIS.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Alimentados por uma então bizarra intersecção entre os BEATLES, VELVET UNDERGORUND e hardcore californiano, o disco é curto e mostra que a banda ainda estava a quilômetros de distância da linearidade de "Here Comes Your man"- seu maior clássico. Se "Caribou" vai em uma pegada lenta e vertiginosa, "Vamos" parece algo saído de um disco do CRAMPS- psicótica e acelerada. "Isla de Encanta" com seus vocais em espanhol não perde no quesito surrealismo e, se você não estiver atento nem percebe que já se está em "Ed is Dead"- tudo aqui é urgente, intenso e beirando à claustrofobia.

"Minha irmã me segurou perto e sussurrou à minha cabeça sangrando / Você é o filho de uma ..." é a singela mensagem de "Nimrod"s Son", uma faixa que trata de incesto."I´ve been tired" trata de frustração sexual e do cotidiano medíocre ao qual estamos todos submetidos. Todas as letras do PIXIES trazem em si muita mais que o imediatismo do texto- tratam-se, na verdade de pequenos estudos sobre o caos do cotidiano e falta de reflexão sobre o que se passa ao nosso redor o tempo todo... Rápido e certeiro, "Come On Pilgrim" é, certamente, um dos vinte minutos mais interessantes que você pode ter na vida.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Track list:
1. "Caribou"
2. "Vamos"
3. "Isla de Encanta"
4. "Ed Is Dead"
5. "The Holiday Song"
6. "Nimrod"s Son"
7. "I"ve Been Tired"
8. "Levitate Me"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Rock e Surrealismo: Clipes em que estas linguagens se misturam de forma brilhante


Massachusetts: 15 grandes bandas que surgiram no estado de nome complicado

Rolling Stone: lista das melhores músicas sobre sangue


Axl Rose: "ele é um fracassado", diz mulher de Slash


Sobre Paulo Severo da Costa

Paulo Severo da Costa é ensaísta, professor universitário e doente por rock n'roll. Adora críticas, mas não dá a mínima pra elas. Email para contato: [email protected]

Mais matérias de Paulo Severo da Costa.