Pixies: depravação humana como fonte de inspiração

Resenha - Come On Pilgrim - Pixies

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Paulo Severo da Costa
Enviar correções  |  Ver Acessos


Incesto, violação, vouyerismo - a depravação humana sempre foi uma fonte inesgotável de inspiração e, de SHAKESPEARE ao grindcore, esses temas foram explorados a exaustão. No campo do rock n'roll, o porão da obscuridade foi aberto pelos pioneiros do SABBATH e transitou livremente entre a obsessão necrófila de ALICE COOPER e a escatologia herege de NAPALM DEATH e G.G ALLIN. No meio termo, o rock gótico do BAUHAUS e SISTERS OF MERCY deu foco às mesmas distorções; porém, dando um tratamento lírico mais polido. Dentre os frutos musicais dessa filtragem saíram nomes como o KILLING JOKE, SONIC YOUTH e um grupo formado em 1986 que ainda não sabia - mas iria influenciar profundamente uma nova estética musical que surgiria no fim daquela década.

O amor: 10 músicas para roqueiros apaixonadosSlayer: Kerry King fala sobre sua relação com religiões

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Contando com BLACK FRANCIS (vocais e guitarra), KIM DEALL (baixo e backing) - DAVID LOVERING - bateria e JOEY SANTIAGO (guitarra) - time que nunca foi modificado ainda que a banda tenha ficado quase dez anos de molho na década de 1990- o PIXIES foi o responsável por dois clássicos do indie rock americano- "Surfer Rosa" e "Doolitlle" são citados em noventa e nove por cento das listas de álbuns alternativos e, sua influência inspirou a criação e os modelos de composição de bandas como o NIRVANA, FOO FIGHTERS, RADIOHEAD- isso, de acordo com os próprios membros das respectivas. Carregados por uma mistura de noise, punk e pós-punk se encontraram com letras doentias que tiveram como primeiro passo o lançamento de EP "Come On Pilgrim" de 1987- "patrocinado" pela pai de BLACK FRANCIS.

Alimentados por uma então bizarra intersecção entre os BEATLES, VELVET UNDERGORUND e hardcore californiano, o disco é curto e mostra que a banda ainda estava a quilômetros de distância da linearidade de "Here Comes Your man"- seu maior clássico. Se "Caribou" vai em uma pegada lenta e vertiginosa, "Vamos" parece algo saído de um disco do CRAMPS- psicótica e acelerada. "Isla de Encanta" com seus vocais em espanhol não perde no quesito surrealismo e, se você não estiver atento nem percebe que já se está em "Ed is Dead"- tudo aqui é urgente, intenso e beirando à claustrofobia.

"Minha irmã me segurou perto e sussurrou à minha cabeça sangrando / Você é o filho de uma ..." é a singela mensagem de "Nimrod"s Son", uma faixa que trata de incesto."I've been tired" trata de frustração sexual e do cotidiano medíocre ao qual estamos todos submetidos. Todas as letras do PIXIES trazem em si muita mais que o imediatismo do texto- tratam-se, na verdade de pequenos estudos sobre o caos do cotidiano e falta de reflexão sobre o que se passa ao nosso redor o tempo todo... Rápido e certeiro, "Come On Pilgrim" é, certamente, um dos vinte minutos mais interessantes que você pode ter na vida.

Track list:
1. "Caribou"
2. "Vamos"
3. "Isla de Encanta"
4. "Ed Is Dead"
5. "The Holiday Song"
6. "Nimrod"s Son"
7. "I"ve Been Tired"
8. "Levitate Me"




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Pixies"


Rolling Stone: lista das melhores músicas sobre sangueRolling Stone
Lista das melhores músicas sobre sangue

Q Magazine: os melhores dos anos 80Q Magazine
Os melhores dos anos 80


O amor: 10 músicas para roqueiros apaixonadosO amor
10 músicas para roqueiros apaixonados

Slayer: Kerry King fala sobre sua relação com religiõesSlayer
Kerry King fala sobre sua relação com religiões


Sobre Paulo Severo da Costa

Paulo Severo da Costa é ensaísta, professor universitário e doente por rock n'roll. Adora críticas, mas não dá a mínima pra elas. Email para contato: joaopsevero@bol.com.br.

Mais matérias de Paulo Severo da Costa no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336