Pegazus: mostrou ao mundo que o metal não estava morto

Resenha - Breaking the Chains - Pegazus

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar Correções  

9


Todos sabem que o período entre meados dos anos 90 e início da década de 2000 não foi uma época muito boa para o heavy metal, com o surgimento de diversos modismos, a queda na venda de discos, e o surgimento do famigerado movimento nu-metal nos EUA. Contudo, mesmo nesse período de vacas magras para o estilo, algumas bandas conseguiram se destacar, lançando discos inesperados para a época, como, por exemplo, o HAMMERFALL, e esses australianos do PEGAZUS, que em 1999 lançaram seu grande clássico.

Com uma sonoridade totalmente voltada ao heavy metal tradicional clássico, com influências de bandas como IRON MAIDEN, ACCEPT, JUDAS PRIEST e outra, o PEGAZUS, em seu terceiro disco, mostrou ao mundo que o metal não estava morto (como nunca esteve), mas sim ainda tinha muito espaço, inclusive para seus clichês, como roupas de couro e pregos.

publicidade

Com um som calcado nos excelentes riffs do guitarrista e líder Johnny Stoj e nos vocais agudos e marcantes de Danny Cecati, os caras criaram 9 faixas excelentes, do mais puro metal tradicional, tudo de forma bem simples, mas muito cativante, inclusive tendo chamado a atenção da mídia especializada na época, que considerou o disco como um dos melhores lançados naquele ano.

publicidade

Não é para menos, pois faixas como as rápidas "Metal Forever" e "Breaking the Chains", a épica "The Crusade" (a melhor faixa já gravada pela banda) e as marcantes "Queen Evil", "Chariots of the Gods" e "Apache Warriors" são excelentes, com uma qualidade surpreendente para uma banda até então iniciante, e que agradam de imediato os fãs de metal, qualquer que seja sua vertente preferida.

publicidade

A versão especial digipack do disco ainda contava com um excelente cover para "A Little Time", do HELLOWEEN, em que o vocalista Danny Cecati mostra todo seu talento e sua extensão vocal.

Infelizmente esse foi o último registro da banda com essa formação, já que Danny, após alguns shows de divulgação do material, resolveu sair da banda, que posteriormente jamais conseguiu atingir a qualidade encontrada em "Breaking the Chains".

publicidade

Portanto, trata-se de um discaço indispensável para todos os amantes do bom e velho metal tradicional, feito com amor e muita competência, altamente indicado para se escutar em uma roda de amigos, com o copo de cerveja bem cheio, de preferência.

Breaking the Chains - Pegazus
(1999 – Nuclear Blast - Importado)

01. Metal Forever
02. The Crusade
03. Queen Evil
04. Breaking the Chains
05. Tears of the Angels
06. Chariots of the Gods
07. Emerald Eyes (Instrumental)
08. Bastards of War
09. Apache Warriors
10. A Little Time (Bonus Track)

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Iron Maiden: Fã em cadeira de rodas emociona Bruce em Belo HorizonteIron Maiden
Fã em cadeira de rodas emociona Bruce em Belo Horizonte

Metal Hammer: dez capas que provocam ânsia de vômitoMetal Hammer
Dez capas que provocam ânsia de vômito


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin