Brainwash Machine: qualidade atemporal ao Progressivo

Resenha - Modern Day Sisyphus - Brainwash Machine

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Oras, são raros os discos de bandas de outras nações da América do Sul que são lançados em território brasileiro! O The Brainwash Machine é natural de Bogotá (Colômbia) e iniciou suas atividades em 2011, quando o tecladista Jorge Arango propôs um projeto de Rock Progressivo à Pontificia Universidad Javeriana. A ideia foi levada adiante e rapidamente lançaram "Modern Day Sisyphus", debut que recebeu muita atenção em seu país e que está chegando às nossas lojas através de uma parceria com a MS Metal Records.

Slash: Alucinações, sexo, dinheiro e armas de fogo no auge do vícioMegadeth: "Magia negra arruinou minha vida", diz Mustaine

"Modern Day Sisyphus" possui todo um conceito musical, visual e até mesmo lírico que segue, de alguma forma, alguns dos modelos estabelecidos pelos mestres que deram origem ao Rock Progressivo. Mas o resultado final não soa totalmente antiquado, pois tudo possui generosas doses de distorção e uma evidente preocupação com a seleção de timbres e áudio final, elementos que conseguem injetar certa qualidade atemporal à sua proposta.

Inspirados pela tragédia e filosofia, o conceito de "Modern Day Sisyphus" abraça os eternos conflitos entre a razão e emoção (muito bem escritos, diga-se), e vemos como a música do The Brainwash Machine consegue ser inteligente, afiada, concisa e, ainda assim, emotiva. E, ao contrário da viagem instrumental interminável que caracteriza o estilo, aqui a maioria das canções oscila entre os quatro e cinco minutos, tendo em "Rye Awakening" e "Of Man And Moth" momentos realmente excelentes.

O The Brainwash Machine merece todos os elogios pelo bom trabalho de estreia, que acaba se tornando bastante recomendável ao público devoto do Rock Progressivo de King Crimson, Gentle Giant ou até mesmo o delirante Camel, além de, obviamente, nomes mais atuais como Pain Of Salvation, Opeth, Dream Theater, etc.

Para finalizar, um pouco de cultura acerca do título deste disco: Sisyphus foi um personagem condenado pelos deuses a realizar um trabalho inútil, empurrando sem descanso uma enorme pedra até o alto de uma montanha de onde ela rolaria encosta abaixo, para que então a mesma fosse novamente deslocada ao topo da montanha e... Bom, enquanto o leitor lê estas linhas absurdas, o grego continua empurrando essa pedra. Ô dura eternidade!

Contato:
wwwthebrainwashmachine.com/
http://www.myspace.com/thebrainwashmachine

Formação:
Andrés Ramírez - voz
Alvaro Cote - guitarra
Diego Ante - guitarra
Jorge Arango - teclados
Manuel Henao - baixo
Christian Gaitán - bateria

The Brainwash Machine - Modern Day Sisyphus
(2012 / MS Metal Records - nacional)

01. Diglossia
02. Rye Awakening
03. Sinister Paragon
04. Of Man And Moth
05. Unwilling Flame
06. Enter Chronos
07. Rout
08. Event Horizon


Outras resenhas de Modern Day Sisyphus - Brainwash Machine

Brainwash Machine: lado desconhecido do Metal Sul-americano




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "The Brainwash Machine"


Slash: Alucinações, sexo, dinheiro e armas de fogo no auge do vícioSlash
Alucinações, sexo, dinheiro e armas de fogo no auge do vício

Megadeth: Magia negra arruinou minha vida, diz MustaineMegadeth
"Magia negra arruinou minha vida", diz Mustaine

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1981Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1981

Black Metal: banda brasileira fez clipe mais bizarro do universoMegadeth: Pepeu Gomes comenta convite e fala sobre Kiko LoureiroJimmy Page: "não ouçam Led Zeppelin em MP3"Dream Theater: o vacilo na capa de "A Dramatic Turn of Events"

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.