Claustrofobia: guitarras na cara e vocais doentios

Resenha - Fulminant - Claustrofobia

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo Noé de Souza
Enviar Correções  

9


O Claustrofobia surgiu na metade dos anos 90, quando o Sepultura estava no auge da carreira. Formada em Leme (SP) pelos irmãos Marcus D'Ângelo (v/g) e Caio D'Ângelo (bt), Daniel Bonfogo (bx/bv) e Alexandre De Orio (g), a banda gravou duas Demo-tapes, até realizarem seu primeiro disco auto-intitulado, lançado em 2000. Antes disso, fizeram várias apresentações, como a abertura do Soulfly, do seu ídolo Max Cavalera, na época recém-saído do Sepultura. Mas o sonho dos garotos estavam no começo...

Claustrofobia: novo vídeo em modo Quarantine Sessions, assista "War Stomp"Exemplos: 10 músicos com deficiências ou problemas de saúde

Depois do segundo disco, Thrasher (2002), eis que eles se autointitularam o som da banda de "Metal Malóka", sugestão do produtor Ciero, dono do estúdio Da Tribo. Aparições em programas especializados, como Fúria (MTV), Musikaos (Cultura), até mesmo na Rede Globo eles deram as caras. Depois de vários shows, ao lado de Napalm Death, Sepultura, RDP, Destruction e Paul Di'Anno, o Claustro gravaria seu trabalho mais importante.

Com uma gravação analógica, Fulminant define o que é a essência da banda. Guitarras na cara, bateria na raça e vocais doentios são de sangrar nossos tímpanos. Com as participações de Andreas Kisser (Eu Quero é que se foda) e Alex Camargo (Fact), o Claustro mostra que o Brasil não está preparado para os problemas corriqueiros.

Com um golpe fulminante, faixas como Disorder And Decay, Claustruth, Terror Against Terror Roots Of Disease e Two Faced deveriam ser tocadas no Congresso nacional. Já a Reality Show é um soco na boca de quem acha que a realidade só existe na TV, inclusive Dimebag Darrell é homenageado com um solo matador de De Orio. Até os britânicos do Napalm Death foram honrados com a versão de Necessary Evil.

Fulminant fez o nome do Claustrofobia ecoar na Europa, quando a banda fez sua primeira turnê. É o Metal Malóka espalhando no velho continente.

Formação:
Marcus D'Ângelo – vocal/guitarra
Daniel Bonfogo – baixo/backing vocal
Caio D'Ângelo – bateria
Alexandre De Orio – guitarra

Tracklist:
1-Disorder And Decay
2-Reality Show
3-Claustruth
4-Underground Party
5-It's not Enough to Exceed... You Must Run Over
6-Terror Against Terror
7-Protective Hate
8-Witness
9-Roots Of Disease
10-Eu Quero É Que Se Foda
11-Necessary Evil (Napalm Death cover)
12-Two Faced
13-Fact

Confira o clipe de Reality Show:


Outras resenhas de Fulminant - Claustrofobia

Resenha - Fulminant - Claustrofobia



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Claustrofobia: novo vídeo em modo Quarantine Sessions, assista "War Stomp"Claustrofobia: banda libera novo vídeo em Quarantine Sessions, desta vez de "Caosfera"Claustrofobia: assista vídeo em Quarantine Sessions de "Bastardos do Brasil"Claustrofobia: estreia vídeo em estilo Quarentine Session da música "Thrasher"

Death Metal: mais cinco álbuns nacionais que você deve escutarDeath Metal
Mais cinco álbuns nacionais que você deve escutar


Exemplos: 10 músicos com deficiências ou problemas de saúdeExemplos
10 músicos com deficiências ou problemas de saúde

VH1: 100 melhores músicas de hard rock de todos os temposVH1
100 melhores músicas de hard rock de todos os tempos


Sobre Rodrigo Noé de Souza

Nasci em 1984. Esse ano não é só o início de uma nova democracia, mas também é o ano em que vários discos foram lançados, como Powerslave (IRON MAIDEN), Stay Hungry (TWISTED SISTER), W.A.S.P., Don't Break The Oath (Mercyful Fate), Slide It In (WHITESNAKE), 1984 (VAN HALEN), The Last In Line (DIO) e, o meu favorito de todos, Ride the Lightning (METALLICA). Sou um aficcionado por Metal, desde AC/DC e ZZ Top, até Anaal Nathrakh e Krisiun.

Mais matérias de Rodrigo Noé de Souza no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin