Three Hour Ceasefire: sabe fazer um bom Thrash/Death Metal

Resenha - Cry Havoc - Three Hour Ceasefire

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar Correções  

publicidade

8


Que a Irlanda não tem tradição nenhuma no Metal não é novidade para ninguém. Salvo o grandioso Thin Lizzy no passado, nada de relevante na cena metálica mundial é oriundo do país de Bono e Cia. De Limerick City, vem o Three Hour Ceasefire que pode não mudar isso, mas que sabe fazer um Thrash/Death Metal de pompa, isso sabe.

Formado por D.C. (vocal), M.M. (guitarra), A.L. (baixo) e K.C. (bateria) o grupo bebe nas melhores fontes dos estilos citados, principalmente o que foi feito nas décadas de 80 e 90, ainda assim soando atual e muito, mas muito potente e empolgante. Sepultura (fase "Arise"), Slayer e Bolt Thrower são citados como influências e se aliam às características próprias da banda que prima em um vocal raivoso e músicas velozes.

publicidade

Desde Time Of The Empty Throne que abre o disco com berros de D.C. e um instrumental apocalíptico até Fall Under Foot que fecha com riffs velozes e cavalgados, a porrada come solta em "Cry Havoc". A variação de riffs, a cozinha brutal, com um baixo distorcido e bateria versátil, até os vocais semi guturais formam um time vencedor.

São seis composições que retratam em suas letras morte, guerras e enfermidades e que não deixam a peteca cair em momento algum. Se piscar os olhos o negócio passa batido, já que a média das faixas é em torno de dois minutos e meio. Grande estreia, e que venha o debut.

http://www.threehourceasefire.net
http://www.facebook.com/threehourceasefire
[email protected]
http://www.savouryourscene.co.uk

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Bruce Dickinson: Ele lamenta não ter dado um soco em Axl RoseBruce Dickinson
Ele lamenta não ter dado um soco em Axl Rose

Cinco contra um?: Roqueiros comentam como a revista Playboy os marcouCinco contra um?
Roqueiros comentam como a revista Playboy os marcou


Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin