Nervochaos: talvez o melhor disco de sua carreira até hoje

Resenha - To the Death - Nervochaos

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar Correções  

9


Com diversas mudanças de formação ao longo de seus 16 anos de carreira, mas mantendo-se forte até hoje, o NERVOCHAOS é uma verdadeira instituição do death metal nacional. E nesse quinto disco de estúdio, a formação da banda conta com Guiller (vocal e guitarra), Quinho (guitarra), Felipe Freitas (baixo) e Edu Lane (bateria), e mais uma vez nos surpreende com um grande disco, talvez o melhor de sua carreira até o momento.

"To the Death" possui uma produção forte e precisa, e conta com uma arte gráfica (a cargo de Joe Petagno) também belíssima, mostrando todo o capricho dos envolvidos para que o disco saísse o mais perfeito possível. Mas é quando apertamos o play na bolachinha é que sentimos todo o poderio da banda, que está mais coesa e intensa do que nunca.

publicidade

Longe de ser a banda mais técnica ou mais brutal do death metal, o NERVOCHAOS se destaca por seguir a temática mais old school, e primar pela qualidade das composições, todas excelentes, repletas de peso e com climas soturnos, lembrando os melhores momentos do estilo, mas transmitindo uma personalidade gigantesca ao longo de todo o play. Os riffs estão intrincados e precisos, assim como os solos, enquanto a cozinha tem uma pegada bem intensa e avassaladora, e, tudo isso, aliado aos vocais insanos de Guiller, fazem da audição do material uma experiência das mais prazerosas.

publicidade

Além disso, as músicas estão ainda mais grudentas, com refrãos marcantes e passagens hipnóticas, como se verifica em faixas como as excelentes "Mark of the Beast" e "To the Death". O disco ainda conta com as participações especiais de Jão (RATOS DE PORÃO), em "Sheep Among Wolves", um das mais viciantes; Cherry (HELLSAKURA), em "Gospel Of Judas"; Ralph Santolla, em "The Exile", uma das melhores do material, mais cadenciada e repleta de peso; Antônio Araujo, em "Mark Of The Beast"; e Zhema (VULCANO), em "Wolves Curse".

publicidade

Portanto, mais uma vez o NERVOCHAOS mostra toda sua competência em produzir metal extremo de qualidade, com um disco que tem tudo para consolidar ainda mais sua carreira mundo afora. Inclusive, passou da hora da banda ser mais reconhecida em nossas terras, não acham?

To the Death - Nervochaos
(2012 – Cogumelo - Nacional)

Track List:

1. Mark of The Beast
2. Sheep Amongst Wolves
3. Your World s Trend
4. Gospel of Judas
5. The Exile
6. To the Death
7. Hate
8. Smoking Mortal Remains
9. Mind Under Siege
10. Delusions and Lies
11. Destroyer of Worlds
12. Warlords Unbound
13. Wolves Curse

publicidade


Outras resenhas de To the Death - Nervochaos

NervoChaos: Death Metal feito na medida certa

Nervochaos: incansável e vigorosamente caótico

Nervochaos: em time que está ganhando não se mexe




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Death Metal: 5 álbuns nacionais que não se pode deixar de escutarDeath Metal
5 álbuns nacionais que não se pode deixar de escutar

Krisiun: se não tivessem agido rápido, a banda poderia ter sido presa, diz MoysesKrisiun
Se não tivessem agido rápido, a banda poderia ter sido presa, diz Moyses


Nirvana: quem é o bebê da capa de Nevermind?Nirvana
Quem é o bebê da capa de Nevermind?

Bruce Dickinson: punks não sabem tocar e tem inveja do metalBruce Dickinson
Punks não sabem tocar e tem inveja do metal


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin