Creedence Clearwater Revival: maior hit maker do rock

Resenha - Chronicle Vol.1 - Creedence Clearwater Revival

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Paulo Severo da Costa
Enviar Correções  


Quando o assunto é classic rock, a iconoclastia não vale: bandas como THE ANIMALS e THE WHO merecem nossas honras hoje e sempre. Baseado no aspecto discográfico, inclui-se aí, sem dúvida, o irrepreensível material produzido entre as décadas de 60 e início de 70 pelos californianos de EL Cerrito, o CREEDENCE CLEARWATER REVIVAL, banda de nome esdrúxulo e som fervente capitaneada pelos irmãos Fogerty. Do primeiro e homônimo álbum de 1968 até "Mardi Grass" de 1972 - já sem TOM FOGERTY - o CREEDENCE se firmou com um dos maiores hit makers do rock n´roll, fornecendo, de modo inconsciente, material para bandas cover pelos próximos dois séculos.

John Fogerty: "Green River" na live em quarentena com os filhos na montanhaTrollagem: quando as bandas decidem zoar com o playback

A discografia da banda, como um todo, vale o dispêndio. Entretanto para iniciáticos, ou mesmo para se ter uma bela trilha sonora naquela viagem longa, "Chronicles Vol. 1", lançado originalmente como álbum duplo em 1976, vale pelo resumão dessa clássica obra. Fazendo um percurso discográfico que passa pelos sete discos oficiais lançados, "Chronicles" dá ao ouvinte uma mapa preciso da mistura de country, blues, rock n´roll e soul - que alguns já chamaram de swamp rock- que deu origem ao mito.

Em canções autorais ou em covers objeto de ususcapião ("Suzie Q, "I Put a Spell on You", "I Heard It Through the Grapevine") a grande chave do CREEDENCE parece ser a simplicidade: "Bad Moon Rising", "Hey Tonight", "Down on the Corner" são as mais democráticas possíveis em termos de recursos harmônicos, baseadas na voz impactante ( até os dias de hoje) e na guitarra modesta de JOHN FOGERTY.

Outra marca do DNA do CREEDENCE é sustentada no departamento de baladas: "Long As I Can See the Light", "Who'll Stop the Rain", "Lodi" e até mesmo a mais acelerada "Proud Mary" são áudio –aulas para compositores, influenciando desde RANDY NEWMAN até GARTH BROOKS. Rock n´roll raiz? "Sweet Hitch-Hiker" e "Travelin' Band". Guitarras estalando? Run Through the Jungle" e "Fortunate Son". Classic country? "Lookin' out My Back Door". "Have You Ever Seen the Rain?" Tem sim senhor.

Resumo: necessário.

1. "Susie Q"
2. "I Put a Spell on You"
3. "Proud Mary"
4. "Bad Moon Rising"
5. "Lodi"
6. "Green River"
7. "Commotion"
8. "Down on the Corner"
9. "Fortunate Son"
10. "Travelin' Band" –
11. "Who'll Stop the Rain"
12. "Up Around the Bend"
13. "Run Through the Jungle"
14. "Lookin' out My Back Door"
15. "Long As I Can See the Light"
16. "I Heard It Through the Grapevine"
17. "Have You Ever Seen the Rain?"
18. "Hey Tonight"
19. "Sweet Hitch-Hiker"
20. "Someday Never Comes"




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


John Fogerty: "Green River" na live em quarentena com os filhos na montanha

Creedence: dedicatória na coletânea Chronicle de 1976Creedence
Dedicatória na coletânea "Chronicle" de 1976


Creedence: dedicatória na coletânea Chronicle de 1976Creedence
Dedicatória na coletânea "Chronicle" de 1976

Kerry King: John Fogerty é o Creedence Clearwater RevivalKerry King
John Fogerty é o Creedence Clearwater Revival


Trollagem: quando as bandas decidem zoar com o playbackTrollagem
Quando as bandas decidem zoar com o playback

Black Sabbath: a passagem de Ian Gillan pela bandaBlack Sabbath
A passagem de Ian Gillan pela banda


Sobre Paulo Severo da Costa

Paulo Severo da Costa é ensaísta, professor universitário e doente por rock n'roll. Adora críticas, mas não dá a mínima pra elas. Email para contato: [email protected]

Mais matérias de Paulo Severo da Costa no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin