Agonist: Mistura sóbria de Metalcore e Death Metal Melódico

Resenha - Prisioners - Agonist

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marcos Garcia
Enviar Correções  

10


Cada vez mais, o Metalcore e o Death Metal Melódico andam se fortalecendo e mutando, evoluindo e se desenvolvendo a olhos vistos, uma vez que bandas jovens estão surgindo em um e em outro e mostrando trabalhos dignos não só de uma audição cuidadosa, mas de reconhecimento por parte do público e da crítica.

Tragédias: 10 das piores ocorridas em shows de Rock e MetalBlack Sabbath: mais uma do Tony Iommi pra cima do pobre Bill Ward

E imaginem só uma banda que faz a mistura de ambos os estilos de maneira equilibrada e sóbria, aproveitando o que cada uma das subdivisões tem de melhor.

É, meus caros, tal banda existe, e é o quinteto canadense THE AGONIST, uma banda forte e coesa, que apresenta trabalhos diferenciados e bem coesos, como é o caso de seu novo CD, ‘Prisioners’, que acaba de sair via Century Media Records.

Tendo na frontwoman Alissa White-Gluz uma vocalista privilegiada que foge completamente de qualquer modelo pré-existente, combinando vocalizações guturais com outras mais suaves, e algumas mais rasgadas, sem causar nenhum tipo de instabilidade no som da banda, ainda mais com uma ótima dupla de guitarras que se alterna em ótimas bases e solos inspirados, com muita técnica e feeling, e uma rítmica muito pesada e ultra-variada, sabendo não só alternar andamentos, mas fazer quebradas de ritmo bem encaixadas.

Tendo a produção de Christian Donaldson (CRYPTOSY), e a mixagem e masterização feitas pelo arroz-de-festa Tue Madsen (THE HAUNTED, DARK TRANQUILLITY, SUICIDE SILENCE), o que sai das caixas de som é um som intenso, pesado e limpo, sabendo focar cada elemento da música da banda sem privilegiar este ou aquele instrumento.

Ouvir este CD é algo tão prazeroso aos ouvidos e empolgante que acaba sendo injusto com a banda destacar esta ou aquela faixa, mas não falar da ótima ‘The Escape’, onde a tônica é a mudança constante de andamentos, com técnica exacerbada; a intensa e melódica ‘Predator and Prayer’, com um andamento um pouquinho mais cadenciado, embora existam momentos mais velozes, e com peso de sobra, especialmente pela bateria, mesmíssimos elementos encontrados na arrasa-quarteirão ‘Anxious Darwinians’, onde as vocalizações se destacam bastante; a rápida e variadíssima ‘Panophobia’; a climática ‘Dead Ocean’, pesada e azeda na medida certa, o que não mata o forte toque melódico da banda; e as empolgantes ‘The Mass of the Earth’, ‘Everybody Wants You "Dead"’ e Revenge of the Dadaists, sabendo variar do extreme ao climático e pesado sem pudores e sem medo de ousar.

Recomendadíssimo aos que não são puritanos.

Prisioners – The Agonist
(2012 – Century Media Records – Importado)

Tracklist:
01. You’re Coming With Me
02. The Escape
03. Predator and Prayer
04. Anxious Darwinians
05. Panophobia
06. Ideomotor
07. Lonely Solipsist
08. Dead Ocean
09. The Mass of the Earth
10. Everybody Wants You "Dead"
11. Revenge of the Dadaists

Formação:
Alissa White-Gluz – Vocais
Danny Marino – Guitarras
Pascal "Paco" Jobin – Guitarras
Chris Kells – Baixo
Simon McKay – Bateria

Contatos:
http://www.youtube.com/theagonistofficial
http://www.facebook.com/theagonistofficial
http://www.myspace.com/theagonist
http://www.twitter.com/theagonist



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Metalhead: as mulheres mais sexys do Heavy MetalMetalhead
As mulheres mais sexys do Heavy Metal

Doyle: Alissa White-Gluz é a Rainha Monstro do MetalDoyle
Alissa White-Gluz é a "Rainha Monstro do Metal"


Tragédias: 10 das piores ocorridas em shows de Rock e MetalTragédias
10 das piores ocorridas em shows de Rock e Metal

Black Sabbath: mais uma do Tony Iommi pra cima do pobre Bill WardBlack Sabbath
Mais uma do Tony Iommi pra cima do pobre Bill Ward


Sobre Marcos Garcia

Marcos Garcia é Mestrando em Geofísica na área de Clima Espacial, Bacharel e Licenciado em Física, professor, escritor e apreciador de todas as subdivisões de Metal, tendo sempre carinho pelas bandas mais jovens e desconhecidas do público, e acredita no Underground como forma de cultura e educação alternativas. Ainda possui seu próprio blog, o Metal Samsara, e encara a vida pela máxima de Buda "esqueça o passado, não pense no futuro, concentre-se apenas no presente".

Mais matérias de Marcos Garcia no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin