Resenha - Under Grind - Crunch Delights

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Se você reparar no fantástico nome do trabalho, na gravadora responsável e adivinhar a desgraceira que essa banda produz, você ganha um pútrido vômito na cara. E aí? Sim meu caro, o Crunch Delights investe no que há de mais podre no reino e sabe muito bem como fazê-lo.

Oops!: 10 erros eternizados em gravações de clássicosBackmasking: Existem mensagens ao inverso em discos de rock?

O Goregrind desta banda curitibana transborda podridão, mas consegue fazer isso de forma que não soe piegas e pode agradar aos fãs de Metal extremo em geral. O instrumental é muito bem executado, com riffs bem elaborados, baixão distorcido e batera rápida. Os vocais variam entre o 'suínogore' (inventei agora, aquele típico de porco cachaço), passando pelos guturais borbulhados até os vomitados, ou seja, se você tem ouvido sensível, não se arrisque.

A introdução denuncia de cara o que está por vir e, logo em seguida, Infecção Hospitalar confirma o 'podrerio'. Com uma pegada meio Hardcore, a banda destrói logo de cara. Corja Festilenta é um deleite aos grinders de plantão, com um riff muito bem elaborado e uma cozinha nada dócil.

Prazeres Da Trituração se envereda pelo Gore/Death, e se mostra uma faixa de extremo bom gosto, com uma levada muito interessante e até acessível (dentro dos termos do gênero). Country Gore segue quase a mesma linha, mas possui um riff mais light e pegada mais 'alegre'.

Hemosfermia é o tipo de faixa que alivia o ódio de qualquer um. Possui um peso descomunal, com um baixo incrível, um trator. A segunda versão de Country Gore, que fecha o disco, ficou hilária, com um berrante (isso mesmo!) no começo e uma bela e sacada prolongação.

Vale ressaltar que se trata de um CD-R que é envolto por uma bela embalagem em papelão, onde o improviso conseguiu tornar-se profissional. Aliás, a produção em geral é muito boa. Trabalho digno, insano e feito por quem entende do assunto. Se você gosta de respirar um ar podre, respire este aqui.

http://www.myspace.com/crunchdelights



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Crunch Delights"


Oops!: 10 erros eternizados em gravações de clássicosOops!
10 erros eternizados em gravações de clássicos

Backmasking: Existem mensagens ao inverso em discos de rock?Backmasking
Existem mensagens ao inverso em discos de rock?

Guitarra: em vídeo, o solo mais destrutivo que você já viuGuitarra
Em vídeo, o solo mais destrutivo que você já viu

Motörhead: em 1995, Lemmy comenta versão do SepulturaRafael Serrante: Ele invadiu o palco do Maiden no Rock In RioOzzy Osbourne: produtor confessa trambicagem na gravação de disco ao vivoChris Holmes: "Lemmy não me quis no Motörhead por minha altura"

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.