Ponto Nulo No Céu: Metalcore cantado em português

Resenha - Brilho Cego - Ponto Nulo No Céu

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar Correções  

publicidade

8


Por mais que se negue, o Metal e suas vertentes possuem épocas em que uma tendência comanda o cenário e renova o público. O Metalcore é a bola da vez entre a garotada e vem angariando também os fãs de Metal em geral. A banda catarinense Ponto Nulo No Céu investe no Metalcore, mas se safa da mesmice ao cantar em português.

Formada por Dijjy (vocais), Vinícius e André (guitarras), Júlio (bateria) e Henrique (baixo), a banda demonstra em "Brilho Cego" influências que passam por Stuck Mojo e até Suicidal Tendencies, mas seu som é mais melódico e até mais pesado, devido às excelentes linhas de baixo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O som do grupo possui leves toques de Rap e Hip Hop que passam despercebidos se prestarmos mais atenção nos belos riffs de guitarra e nas letras que demonstram revoltas contra o caos do mundo atual, além de possuírem momentos de positivismo. Destaque para as faixas Brilho, Clarão, Ponto Nulo No Céu e Subsolo, que possuem um algo mais perante as outras nove, que são boas composições.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Entre os músicos, não há como não falar dos vocais de Dijjy. O cara consegue em uma só composição cantar limpo, gutural e rasgado, sem se perder. Às vezes nem parece o mesmo vocalista. Sem contar, que a parte gutural soa raivosa e a limpa acessível, e até melódica demais.

Como foi dito antes, o baixo também merece destaque, pois dá o groove necessário às músicas, fazendo com que o peso impere na maior parte do tempo. As guitarras fazem um trabalho digno, assim como a bateria que soa variada e dá o ritmo necessário ao trabalho.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Brilho Cego" foi produzido por Adair Daufembach (Hangar, Project 46) que alcançou um excelente resultado. O som do álbum ficou nítido, com todos os instrumentos equilibrados e os timbres com uma boa dose de peso. Você pode baixar o disco aqui:

http://bit.ly/xQ4TJh




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

WhiFin Cli336 Cli336