Ponto Nulo No Céu: Metalcore cantado em português

Resenha - Brilho Cego - Ponto Nulo No Céu

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Por mais que se negue, o Metal e suas vertentes possuem épocas em que uma tendência comanda o cenário e renova o público. O Metalcore é a bola da vez entre a garotada e vem angariando também os fãs de Metal em geral. A banda catarinense Ponto Nulo No Céu investe no Metalcore, mas se safa da mesmice ao cantar em português.
5000 acessosSpike: os sete piores solos de guitarra5000 acessosMetallica: foto rara de formação original do grupo

Formada por Dijjy (vocais), Vinícius e André (guitarras), Júlio (bateria) e Henrique (baixo), a banda demonstra em “Brilho Cego” influências que passam por Stuck Mojo e até Suicidal Tendencies, mas seu som é mais melódico e até mais pesado, devido às excelentes linhas de baixo.

O som do grupo possui leves toques de Rap e Hip Hop que passam despercebidos se prestarmos mais atenção nos belos riffs de guitarra e nas letras que demonstram revoltas contra o caos do mundo atual, além de possuírem momentos de positivismo. Destaque para as faixas Brilho, Clarão, Ponto Nulo No Céu e Subsolo, que possuem um algo mais perante as outras nove, que são boas composições.

Entre os músicos, não há como não falar dos vocais de Dijjy. O cara consegue em uma só composição cantar limpo, gutural e rasgado, sem se perder. Às vezes nem parece o mesmo vocalista. Sem contar, que a parte gutural soa raivosa e a limpa acessível, e até melódica demais.

Como foi dito antes, o baixo também merece destaque, pois dá o groove necessário às músicas, fazendo com que o peso impere na maior parte do tempo. As guitarras fazem um trabalho digno, assim como a bateria que soa variada e dá o ritmo necessário ao trabalho.

“Brilho Cego” foi produzido por Adair Daufembach (Hangar, Project 46) que alcançou um excelente resultado. O som do álbum ficou nítido, com todos os instrumentos equilibrados e os timbres com uma boa dose de peso. Você pode baixar o disco aqui:

http://bit.ly/xQ4TJh

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Brilho Cego - Ponto Nulo No Céu

1504 acessosPonto Nulo No Céu: Resenha do álbum "Brilho Cego"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Ponto Nulo no Céu"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Ponto Nulo no Céu"

SpikeSpike
Os sete piores solos de guitarra

MetallicaMetallica
Foto rara de formação original do grupo

Em 20/08/2005Em 20/08/2005
Iron Maiden é atacado com ovos no Ozzfest

5000 acessosBruce Dickinson: punks não sabem tocar e tem inveja do metal5000 acessosGuitarras e Baixos: Perguntas e Respostas5000 acessosMaquiagem, spikes e sorrisos: conheça o Happy Black Metal5000 acessosLinkin Park: um exemplo mostra que é a banda mais foda do mundo4934 acessosSlayer: uma ótima versão de "Raining Blood"com crianças true do Japão5000 acessosFrances Bean Cobain: assustada com tatuagem de fã

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online