Candlemass: a essência da banda com o vocalista Robert Lowe

Resenha - Death Magic Doom - Candlemass

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Os suecos do Candlemass dispensam apresentações, pois se trata de um dos maiores nomes do Heavy/Doom Metal mundial. Com quase 30 anos de carreira, o grupo possui uma discografia invejável e dezenas de clássicos.
453 acessosCandlemass: filmagem profissional do show completo no Wacken 20135000 acessosLars Ulrich: jucando no camarim do Guns N' Roses

A Laser Company (http://www.lasercompanymusicstore.com.br/) traz para o mercado nacional este belíssimo disco, que é o segundo com o vocalista Robert Lowe (Solitude Aeternus), portanto conta com uma participação mais sólida do vocalista, que ainda se adaptava à banda em “King Of The Grey Islands” (2007).

O disco conta com toda a essência do Candlemass agregado ao talento de Lowe. Apesar de seu timbre ser bem diferente ao do ex-vocalista Messiah Marcolin, o atual vocalista da banda já consegue impor sua marca, com ótimas interpretações. Seu vocal possui feeling, e uma variação que transita entre o dramático e o odioso.

Comparações de lado, “Death Magic Doom” começa bombástico com a primeira faixa If I Ever Die botando tudo abaixo em um ritmo veloz que não é muito comum na banda. Logo em seguida, Hand Of Doom demonstra toda a soturnidade típica da banda em um som arrastado em um clima sorumbático. A faixa ainda possui um refrão pegajoso e um final onde muda seu ritmo, causando euforia no ouvinte.

The Bleeding Baroness não é tão cadenciada como a anterior, porém é tão pesada e Doom quanto ela. A quebrada de ritmo para a entrada do pegajoso refrão (aliás, essa é uma das características do disco) ficou excelente, confirmando que a trinca inicial do trabalho beirou a perfeição.

Outros destaques vão para a sabbathica (não podia faltar) House Of Thousand Voices e seus belos riffs e solos, Dead Angel e mais um refrão marcante, além de My Funeral Dreams que conta com um show de Lowe.

Vale também destacar o trabalho de guitarras a cargo de Lars Johansson e Mappe Bjorkman. Ambos continuam afiadíssimos em solos e riffs magistrais. O baixo de Leif Edling (um dos fundadores da banda) continua dando o tom do peso e a bateria de Jan Lindh, ora da o ritmo brutal das composições ora entoa a cadência necessária.

Há rumores de que o Candlemass lançará seu último trabalho em estúdio ainda este ano, portanto aproveite bem “Death Magic Doom”, pois o álbum possui todas as características da banda e mais um pouco.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Death Magic Doom - Candlemass

2728 acessosCandlemass: queda pelo lado obscuro da existência

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

453 acessosCandlemass: filmagem profissional do show completo no Wacken 20130 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Candlemass"

Heavy MetalHeavy Metal
10 vídeos involuntariamente engraçados

Heavy MetalHeavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados no ano de 1986

LoudwireLoudwire
As dez melhores bandas de Doom Metal da história

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Candlemass"

Lars UlrichLars Ulrich
Vomitando no camarim do Guns N' Roses

NirvanaNirvana
Lendário show no Hollywood Rock completa 20 anos

MetallicaMetallica
As 10 melhores músicas segundo a Loudwire

5000 acessosAstros mortos: como estariam alguns se ainda estivessem vivos?5000 acessosDeath Metal: as 10 melhores (ou piores?) capas do estilo5000 acessosUncut Magazine: fãs elegem as 10 melhores músicas do Pink Floyd5000 acessosResenha - Marilyn Manson (Maximus Festival, São Paulo, 07/09/2016)5000 acessosGene Simmons: declarações polêmicas sobre bandas de sucesso5000 acessosTr00s Virtuais: Como se tornar um em 100 passos

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online