Project 46: Da capa às músicas, Doa a Quem Doer impressiona

Resenha - Doa a Quem Doer - Project 46

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig, Fonte: Collectors Room
Enviar Correções  

publicidade

9


O crescente número de bandas cantando heavy metal em português pode não ser ainda uma tendência, mas é uma ótima notícia. Se, por um lado, a escolha em compor letras na nossa língua limita a exposição externa destes grupos, já que o idioma padrão do rock e do metal sempre foi o inglês, por outro lado há um enorme benefício: a aproximação com o público. Ao relatar em suas músicas questões do cotidiano, problemas sociais ou o que mais for, e cantando na língua que o cara que está ali na frente do palco fala e entende, estas bandas constróem uma relação muito mais profunda com o ouvinte, conquistando novos fãs não só através dos riffs e das melodias, mas também pelo que tem a dizer.

Excessos: como os rockstars gastam os seus milhões

Garagens: adolescentes frustrados, guitarras baratas e energia

O Project 46 é um destes grupos. O quinteto teve origem em 2008, em São Paulo, e é formado por Caio MacBeserra (vocal), Jean Patton (guitarra), Vinícius Castellari (guitarra), Rafael Yamada (baixo e vocais) e Henrique Pucci (bateria). A banda lançou um EP em 2009, e agora chega ao seu primeiro disco, o ótimo "Doa a Quem Doer", produzido por Adair Daufembach (Hangar) e lançado de forma totalmente independente. Aliás, o disco está disponível também para download gratuito no site da banda.

"Doa a Quem Doer" é impressionante. Da capa às músicas, tudo é do mais alto nível. O som é uma mescla de death melódico, metalcore e deathcore, com algumas passagens mais thrash e muito peso. A produção, excelente, acertou a mão e tornou tudo ainda mais agressivo, com timbres graves e gordurentos. Com composições muito bem construídas e com dinâmicas bem interessantes, o álbum transpira violência, fúria e agressão.

As onze faixas formam um tracklist homogêneo, onde o trabalho de guitarras é o principal destaque. "Violência Gratuita" tem ótimos riffs e um solo excelente, e o mesmo pode ser dito de "Se Quiser". Mas a melhor faixa do play é, provavelmente, "Amanhã Negro", onde a banda acerta ao fazer uma interessante combinação entre o peso e trechos mais melódicos.

O projeto gráfico também merece destaque, com uma bela capa e o encarte em formato de poster, com todas as letras e diversas fotos da banda.

O que temos aqui é um disco muito bom, que mostra uma jovem banda dona de um talento imenso. O futuro é promissor para o Project 46, e "Doa a Quem Doer" é a prova maior disso. Eu ficarei de olho na banda, e, se fosse você, faria o mesmo!

Faixas:
898072
Atrás das Linhas Inimigas
Impunidade
Capa de Jornal
Se Quiser
Violência Gratuita
Amanhã Negro
#46
Dor
No Rastro do Medo
Acorda pra Vida


Outras resenhas de Doa a Quem Doer - Project 46

Project 46: Thrash modernão com Hardcore e toques Death

Project 46: Fazendo muito conservador torcer o nariz




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Metal Nacional: Confira bandas que se destacaram em 2015Metal Nacional
Confira bandas que se destacaram em 2015

Bill Hudson: BR bangers são persecutivos e têm baixa autoestimaBill Hudson
BR bangers são persecutivos e têm baixa autoestima


Excessos: como os rockstars gastam os seus milhõesExcessos
Como os rockstars gastam os seus milhões

Garagens: adolescentes frustrados, guitarras baratas e energiaGaragens
Adolescentes frustrados, guitarras baratas e energia


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin