Sacrificed: Influências do Metal tradicional ao Prog

Resenha - Path of Reflections - Sacrificed

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Depois de lançar apenas um EP auto-intitulado a banda mineira Sacrificed traz seu primeiro full-length, denominado “The Path Of Reflections”. O disco segue a fórmula do EP e as 3 faixas do trabalho aqui estão presentes, porém mais lapidadas. A produção do disco, apesar de precisar de alguns ajustes - o som ficou um tanto sujo para o estilo praticado - ficou boa e a execução primorosa. O peso das guitarras, forte característica da banda, foi mantido e as influências que vão do Metal tradicional ao Prog continuam intactas aliados aos belos vocais de Kell Hell que, apesar de líricos, fogem um pouco da mesmice do Gothic Metal.
5000 acessosWest Ham: o time do coração de Steve Harris5000 acessosCinema: 60 filmes pra quem ama Rock e Metal

As novas composições soam muito bem, mantendo a linha das apresentadas no EP, que, por sinal, são maravilhosas. Depois da bela intro “Winds Of Liberty” a já clássica “Soulitude” dá as caras com todo seu peso, melodia e refrão. “Endless Sin” com seu ritmo cadenciado é uma das composições do grupo que mais flerta com o Prog Metal. O trabalho da cozinha nessa faixa é maravilhoso com belas variações e um baixo que só aumenta o peso da composição.

A balada “Walking Through The Flames” é outro grande destaque com um refrão bem pegajoso e a que mais flerta com o Gothic Metal, pelo belo trabalho das linhas de teclado e excelente interpretação da vocalista Kell Hell. A sequencia “Before A Dream” e “Call Of Insanity” mostra o excelente trabalho de riffs da banda com a primeira sendo mais direta, um grande Power Metal e a segunda seguindo uma linha mais Prog, porém não menos pesada e com outro grande refrão.

“Red Garden” une todos os elementos que compõe o som da banda em apenas uma faixa e conta com a participação do vocalista Fabrício “Bin” Áureo. “Prison Mind” mostra mais um grande trabalho de guitarras e a semi-balada “Far Away To Feel” mostra toda técnica e desenvoltura da banda que circunda mais um show de interpretação de Kell.

Fechando o disco “The Truth Beneth The Laments” fecha o trabalho com muito peso, variação rítmica e vocais guturais bem encaixados, a cargo de Lânio Araújo. Apesar de preferir a capa do EP que antecede “The Path Of Reflections”, o trabalho gráfico do trabalho também ficou interessante correspondendo bem ao estilo que a banda propõe. Belo disco!

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Path of Reflections - Sacrificed

640 acessosSacrificed: Estreia honesta e bastante significativa308 acessosSacrificed: Estreia carece de composições cativantes1855 acessosSacrificed: Metal brasileiro está em crise?804 acessosSacrificed: Heavy Metal que vai do Progressivo ao Thrash

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Sacrificed"

GaleriaGaleria
Mais musas do rock/metal nacional

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Sacrificed"

Iron MaidenIron Maiden
Conheça o West Ham, time do coração de Steve Harris

CinemaCinema
60 filmes pra quem ama Rock e Metal

MTV UnpluggedMTV Unplugged
As 25 melhores apresentações da história

5000 acessosSlipknot: veja a evolução das máscaras de cada integrante da estreia aos dias atuais5000 acessosMustaine: "Aos 15 entrei na magia e conheci o lado negro!"5000 acessosPower Metal: os dez álbuns essenciais do gênero5000 acessosJudas Priest e Motorhead: Faulkner e Campbell em foto suspeita!5000 acessosTime Magazine: os 100 maiores álbuns de todos os tempos5000 acessosBlack Sabbath: os agradecimentos no encarte do "13"

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online