Vital Remains: Death Metal técnico capturado em ótimo DVD

Resenha - Evil Death Live - Vital Remains

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Seguir Whiplash.Net

Por Christiano K.O.D.A.
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Amigos, quando se fala de Vital Remains, o nível de exigência de um bom trabalho por parte dos fãs (estou incluído) é alto. Afinal, estamos falando de uma das melhores e mais técnicas bandas de death metal do planeta. Pondo isso na mesa, hora de analisar “Evil-Death-Live”.

5000 acessosMetallica: as extravagâncias da banda para tocar no Rock in Rio5000 acessosDébil Metal: quando os fãs assustam os ídolos

A arte da capa do DVD é linda (notem a mulher compondo a cabeça do bode, uma ideia meio manjada, mas ainda assim, muito bem feita), e anima a começar logo o show. Ah, temos como opções colocar o som em estéreo ou dolby sorround 5.1. Maravilha!

O show está em widescreen, bom sinal, embora a edição do vídeo seja tradicional, sem ousadias e afins. Não tem problema não. Agora, quanto ao som, a bateria em alguns momentos encobre o restante do instrumental, tirando o adjetivo “excelente” de sua qualidade. Ainda assim, a energia em palco é tanta que você acaba esquecendo esse fato.

Logo no começo da apresentação, vem a inevitável comparação e consequente constatação: o vocalista Damien Boyton não é tão poderoso quanto Glen Benton, e sua performance fazendo cara de malvadão parece meio forçada. Ele agita, e muito, é verdade, mas não precisa exagerar no teatro. Seu timbre lembra o de George “Corpsegrinder” Fischer quando ainda estava no começo da Monstrosity.

Fora isso, os músicos são fenomenais e executam com maestria cada petardo da Vital Remains. Você fica hipnotizado pela perfeição e agilidade dos integrantes batendo e palhetando.

Entre os cinco, dois merecem destaque pleno em suas funções: o primeiro é o baterista Antonio Donadeo, uma máquina com coordenação e velocidade quase desumanos. O mais curioso é que ele nem parece ter dificuldades em fazer aquilo tudo, tanto é que toca sem expressão. E vou dizer mais: impressionante a velocidade das músicas em seus momentos mais violentos... e põe violentos nisso!

A outra estrela é o guitarrista/vocalista Dave Suzuki, um dos maiores Músicos (com “M” maiúsculo mesmo) do death metal. Talvez muitos não saibam, mas o cara, além dos ótimos vocais e solos nas seis cordas, é um multiinstrumentista afiadíssimo. Caso alguém não saiba, ele foi o responsável pela gravação de guitarra, baixo e bateria no maior clássico do grupo, o CD “Decristianize”. Tá bom pra você? Não? Pois então, o cara agita muito também e quando faz o vocal dobrado (ele canta rasgado) com Boyton, não tem pra ninguém.

A apresentação toda é bastante intensa, mas “Dechristianize” e “Infidel” são o ápice, tocadas de forma assustadoramente brutal. Esteticamente falando, a iluminação do palco, quando fica vermelha, deixa um clima pesado no ar. Como uma luz modifica o visual! E é isso que acontece nessa última música citada, compondo um cenário demoníaco maravilhoso.

O que sempre chamou a atenção na banda é o fato de ser uma das mais completas do underground. Eles misturam partes insanas com outras puramente melódicas, e dão uma estrutura incrível para as faixas. São um exemplo de como um grupo deve tocar ao vivo. Com esse tipo peculiar de som, os caras conseguem fazer excepcionais e longas composições, sem nunca serem repetitivas e muito menos enjoativas.

O ponto negativo que fica é a curta duração do show, com menos de uma hora de apresentação.

Pois bem, vamos agora aos bônus do disco: tem uma entrevista muito legal com os guitarristas Tony Lazaro e Dave Suzuki, contando a história da banda álbum a álbum, e outros assuntos interessantes, mas por ser importado, o DVD não possui legendas. Hora de treinar o inglês!

Além disso, há também outro bom show, realizado na Polônia, cuja duração é mais curta, 40 minutos, e com imagem e som levemente inferiores, mas ainda assim, um grande registro da banda, em palco menor. Bom constatar que o quinteto se adapta a qualquer terreno. Os caras agitam demais aqui também, vale ressaltar. Fantástico!

Outro vídeo muito bacana é um em que Dave Suzuki, sempre ele, toca vários solos (só a guitarra, não é acompanhado de mais ninguém) das composições da Vital Remains. A técnica do cara é de cair e quebrar o queixo no chão. O músico é realmente fodão.

O restante do material conta com galeria de fotos, biografia, discografia, e opções para o computador (imagens para desktop, weblinks e o logotipo da banda).

“Evil-Death-Live” superou (mesmo!) as expectativas e pode ser considerado um dos mais empolgantes DVDs já lançados por uma banda de death metal. Completo e muito bem feito, esse material tem um grande valor para o underground. O mais incrível é ver que os integrantes conseguem reproduzir ao vivo suas composições de alta complexidade, e de forma mais do que convincente, transmitindo seu ódio em cada canção. Longa vida à Vital Remains, e que o próximo CD não tarde!

DVD Vital Remains – Evil-Death-Live
Metal Mind Productions – 2007 – Estados Unidos
http://www.myspace.com/vitalremains

Damien Boyton - vocal
Dave Suzuki – guitarra/vocal
Toni Lazaro - guitarra
Brian Hobbie – baixo
Antonio Donadeo – bateria

1. Intro I - Where Is Your God Now 01:50
2. Icons Of Evil 07:30
3. Scorned 08:40
4. Born To Rape the World 08:09
5. Hammer Down The Nails 06:35
6. Intro II - Let The Killing Begin 01:59
7. Dechristianize 08:56
8. Infidel 06:17
9. Devoured Elysium 05:44

Total 55:40

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Seguir Whiplash.Net

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Vital Remains"

BaphometBaphomet
A polêmica estátua em frente ao Capitólio em Oklahoma

MetalMetal
Em vídeo, 10 bandas satanistas de fato

Death MetalDeath Metal
As 10 melhores (ou piores?) capas do estilo

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Vital Remains"


MetallicaMetallica
As extravagâncias da banda para tocar no Rock in Rio

Débil MetalDébil Metal
Quando os fãs assustam os ídolos

Ratos de PorãoRatos de Porão
João Gordo crente? Vai tomar no cu quem tá acreditando!

5000 acessosMetallica: Jason explica o baixo apagado de And Justice For All5000 acessosAndre Matos: o que ele faria se fosse mulher por um dia?5000 acessosClassic Rock Magazine: os piores discos das grandes bandas5000 acessosMetallica: Lars embebedou Robert Trujillo na audição para a banda4603 acessosTestament: os álbuns da banda, do pior para o melhor4545 acessosLobão: em 2013, PT responsável por sertanejo universitário?

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.


Sobre Christiano K.O.D.A.

Um cara diretamente ligado ao Som Extremo, fã de livros e filmes, formado em Imagem e Som, Publicidade e Propaganda e Jornalismo. Faz parte da banda de grindcore Prey of Chaos e tem um blog dedicado à música barulhenta. Enfim, alguém que faz da música sua vida.

Mais matérias de Christiano K.O.D.A. no Whiplash.Net.