Adrenaline Mob: Heavy Metal atual, cheio de energia e peso

Resenha - Adrenaline Mob - Adrenaline Mob

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Quando for ouvir o Adrenaline Mob tenha uma coisa em mente: o som do grupo não tem nenhum dos elementos progressivos que sempre estiveram presentes na música do Dream Theater, banda fundada pelo baterista Mike Portnoy. Ao lado de Portnoy no Adrenaline Mob estão o ótimo vocalista Russell Allen (Symphony X), os guitarristas Mike Orlando e Rich "The Duke" Ward (Stuck Mojo, Fozzy) e o baixista Paul DiLeo, e o quinteto executa um heavy metal atual, repleto de energia e peso.

Megadeth: Pepeu Gomes comenta convite para tocar na bandaMetal: Gibson.com enumera 50 melhores músicas do gênero

A curiosidade e expectativa em relação às primeiras composições próprias do quinteto eram imensas. A divulgação de um vídeo com a banda tocando uma estupenda versão da clássica "The Mob Rules", do Black Sabbath, só fez a espera ficar ainda mais demorada. Mas e daí, vale a pena? Pra que lado vai o Adrenaline Mob? Como é a banda? Vale o play? Olha meu amigo, vale, e muito!

"Adrenaline Mob EP" tem apenas cinco faixas - quatro inéditas e o já citado cover do Black Sabbath. As músicas próprias são heavy metal de alto quilate turbinados pela adição de sutis e certeiros elementos que tornam o som do quinteto extremamente atual. O principal responsável por isso, ao contrário do que se poderia pensar, não é Portnoy, mas sim o outro Mike da banda. Mike Orlando é um guitarrista fenomenal, e que no Adrenaline Mob encontrou o terreno perfeito para explorar toda a sua criatividade e talento. Amparado pelas bases seguras do competentíssimo Rich Ward, Orlando escreve um capítulo à parte com a sua guitarra nesse EP, colocando os holofotes sobre si e, de certa forma, ofuscando o integrante mais famoso do conjunto.

Esse mesmo raciocínio vale para Russell Allen. Todo mundo que acompanha o Symphony X sabe que Allen é um vocalista excepcional, e aqui ele reafirma, de novo e mais uma vez, o quanto é diferenciado. Seguindo a linha do que tem feito nos últimos discos do Symphony X, Russell canta de forma agressiva, soando como uma espécie de Ronnie James Dio décadas mais jovem - o que ele faz em "The Mob Rules" deixaria o falecido Dio orgulhoso, com certeza absoluta.

Falando exclusivamente de Mike Portnoy, que é o motivo principal pelo qual a maioria das pessoas irão ouvir o Adrenaline Mob, o baterista surge de forma diferente em seu novo grupo. Ao invés da exuberância percussiva característica do Dream Theater, o que temos aqui é um trabalho de bateria mais direto, centrado nas composições e não tanto em exibições individuais muitas vezes gratuita. Portnoy parece mais focado na banda, usando toda a sua impressionante e reconhecida técnica para tornar as faixas ainda mais atraentes e pesadas. Estamos falando daquele que muitos consideram, com justiça, o melhor baterista de sua geração, e em seu novo grupo Mike Portnoy mostra que é capaz de se reinventar, tocando de uma maneira bastante diferente daquela que estávamos acostumados a ouvir no Dream Theater.

O que dá pra sentir nesse EP é que o Adrenaline Mob promete, e bastante. Formado por cinco excelentes músicos - sendo que os dois Mikes são verdadeiros fenômenos em seus instrumentos -, o grupo apresenta um sólido trabalho de composição em sua estreia, o que, aliado à performance inspirada e um tanto selvagem de todos, resulta em um disquinho pra lá de competente. Entre as faixas inéditas, todas muito interessantes, as minhas preferidas são "Believe Me", com ótimas variações vocais de Russell Allen, e "Hit the Wall".

Produzido por Russell Allen e mixado por Mike Orlando, o EP de estreia do Adrenaline Mob aponta para um futuro promissor, e que será conferido em sua plenitude no primeiro álbum do grupo, previsto para o primeiro semestre de 2012. Porém, após ouvir as suas faixas, fica uma certeza: quem estava esperando algo na linha do Dream Theater irá se decepcionar, pois o som do Adrenaline Mob não tem nada a ver com a antiga banda de Portnoy.

Pessoalmente gostei bastante, e não vejo a hora de ouvir o álbum completo!

Faixas:
Psychosane - 4:39
Believe Me - 3:58
Hit the Wall - 6:27
Down to the Floor - 3:46
The Mob Rules - 3:17


Outras resenhas de Adrenaline Mob - Adrenaline Mob

Adrenaline Mob: Supergrupo ainda carece de personalidade




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Adrenaline Mob"


Metal Hammer: as dez piores capas de 2012Metal Hammer
As dez piores capas de 2012

Duran Duran: top 5 de covers feitos por bandas de Rock/MetalDuran Duran
Top 5 de covers feitos por bandas de Rock/Metal

Wikimetal: Os melhores álbuns da última décadaWikimetal
Os melhores álbuns da última década


Megadeth: Pepeu Gomes comenta convite para tocar na bandaMegadeth
Pepeu Gomes comenta convite para tocar na banda

Metal: Gibson.com enumera 50 melhores músicas do gêneroMetal
Gibson.com enumera 50 melhores músicas do gênero

Esquisitices: algumas exigências bizarras para showsEsquisitices
Algumas exigências bizarras para shows

Slash: Saul Hudson explica qual a origem de seu apelidoHelter Skelter: a música que Charles Manson "roubou" dos BeatlesAC/DC: Brian foi demitido como se fosse vendedor do Wal-Mart, diz amigoMasterplan: segundo Grapow, Jorn Lande nunca fez nada pela banda

Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.