Black Veil Brides: Metalcore com sleaze, hard e glam

Resenha - Set the World on Fire - Black Veil Brides

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marcelo Vieira, Fonte: Collector's Room
Enviar Correções  


Metalcore de origem, o Black Veil Brides acaba de lançar seu segundo álbum, Set the World on Fire. As diferenças em relação ao antecessor, We Stitch These Wounds (2010), são muitas, apesar de a banda continuar a mesma – exceto por Christian "CC" Coma no lugar de Sandra Alvarenga na bateria. O que antes era somente mais um nome à sombra do Avenged Sevenfold agora possui identidade própria, amparado, principalmente, no visual e nos elementos sleaze, hard e glam recém incorporados ao seu som.

Teoria da Conspiração: Slipknot troca membros em shows ao vivo?Cristina Scabbia: "Símbolo sexual? Fico surpresa com isto!"

A proposta é até fácil de assimilar. O problema está na falta de criatividade e diversidade. Todas as canções soam muito genéricas. Falta aquele riff de guitarra que arrepie os pelos do braço, ou aquele solo que não pareça vídeo-aula de arpejos. A bateria se resume a conduções velozes no pedal duplo e espancamento frenético de caixa e surdo. E o pobre contrabaixo parece não ter vez diante disso.

Outro problema está nas letras. Algumas são belos exemplos da prepotência resultante da imaturidade do quinteto. A faixa de abertura, "My Religion", termina com uma oração (com direito a amém no final) na qual a banda se autodenomina "profana" e "filhos bastardos da cultura midiática". Em "The Legacy" uma promessa é feita: "We'll change the world with these guitars"…Baixa essa bola, molecada!

Ao final dos 42 minutos de música rolando fica a impressão de que o quinteto acertou apenas na escolha da música de trabalho. "Fallen Angel" tem um refrão que é totalmente anos 80 e possui aquele quê a mais responsável por cativar o ouvinte e colocar todo mundo para cantar junto. E o videoclipe é um barato. A faixa título é outra que vale menção, não só por ter feito parte da trilha-sonora do mais recente filme da série Transformers, mas também pelo teor encorajador de sua letra – aqui eles acertaram em cheio!

1. New Religion - 3:50
2. Set the World on Fire - 3:39
3. Fallen Angels - 3:45
4. Love Isn't Always Fair - 4:13
5. God Bless You - 3:18
6. Rebel Love Song - 3:57
7. Savior - 4:23
8. The Legacy - 4:40
9. Die for You - 3:43
10. Ritual - 3:30
11. Youth and Whiskey - 3:30


Outras resenhas de Set the World on Fire - Black Veil Brides

Resenha - Set The World On Fire - Black Veil Brides



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Lista: bandas que mudam a imagem a cada álbum lançadoLista
Bandas que mudam a imagem a cada álbum lançado

Metal: as bandas e sub-gêneros mais odiados pelos metalheadsMetal
As bandas e sub-gêneros mais odiados pelos metalheads


Teoria da Conspiração: Slipknot troca membros em shows ao vivo?Teoria da Conspiração
Slipknot troca membros em shows ao vivo?

Cristina Scabbia: Símbolo sexual? Fico surpresa com isto!Cristina Scabbia
"Símbolo sexual? Fico surpresa com isto!"


Sobre Marcelo Vieira

Marcelo Vieira é jornalista, DJ e ex-guitarrista das bandas Mafia, Os Neuza e Burning Stars. Fundou em 2007 o blog Combe do Iommi e tem textos e matérias publicados nos sites Collector's Room e Van do Halen. Trabalha também como assessor de imprensa na empresa SPS Comunicação e é repórter da Federação de Automobilismo do Estado do Rio de Janeiro (FAERJ). Escreve resenhas de CDs, DVDs e livros e cobre shows para o site ROCK ZONE desde setembro de 2011. Contato: [email protected] / Twitter: @mvmeanstreet .

Mais matérias de Marcelo Vieira no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin