Black Veil Brides: Mais atenção ao visual que à música

Resenha - Set The World On Fire - Black Veil Brides

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 4

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Na ativa desde 2007, o norte-americano Black Veil Brides pode ser considerado novato na cena e um caso clássico de banda de Rock´n´Roll que dá mais atenção ao visual do que à música propriamente dita – não que boa parte do público se importe com esse detalhe, é claro. O fato é que, após a boa recepção diante do som pesado, moderno e ‘clichezão’ do debut “We Stitch These Wounds” (2010), o grupo assinou com a Lava / Universal Records para o lançamento de “Set The World On Fire”, que está alcançando inúmeros países do globo.
5000 acessosMetallica: "membros são mensageiros de Deus", diz pastor5000 acessosMetallica: não tocam o Justice porque não teria nada para Trujillo fazer

Mas, independente das declarações pretensiosas do jovem vocalista Andy Biersack, que fatalmente rasga todos os elogios sobre seu próprio trabalho, “Set The World On Fire” está longe de merecer tantos adjetivos positivos. A linha musical mudou consideravelmente, e a atual abordagem Hard / Heavy moderninha que oscila entre o alto-astral e o sofrido é forçada e inconsistente, tendo como melhor exemplo a balada “Saviour”, tão emocionalmente atrofiada que chega a ser desconfortável.

Um dos grandes problemas é a insistência em se repetir os mesmos recursos – os manjados ‘oh-oh-oooh!’ batem os recordes! – por praticamente todas as composições. As primeiras faixas até funcionam e revelam um single muito bom, "Fallen Angels", mas tudo acaba se tornando um exercício de paciência para (tentar) segurar as atenções do ouvinte, monotonia que se acentua ainda mais na segunda metade do álbum, tal a dificuldade em criar uma real diversidade a partir de uma fórmula tão básica.

Contando com o novo e esforçado baterista Christian ‘CC’ Coma, “Set The World On Fire” soa artificial, ainda que tente se mascarar com todo o couro e maquiagem pesada com que o Kiss ou Mötley Crüe já fizeram tanto uso. Mas a diferença é óbvia... Ainda que cuidadosos com o aspecto visual, essas duas bandas aí se caracterizaram por criar verdadeiros hits em seus dias de glória, e ainda o fazem esporadicamente, enquanto o vulnerável Black Veil Brides está apenas engatinhando e tateando ao procurar o sucesso comercial diante da nova geração. Mas o caminho não é fácil, meus caros!

Contato:
http://bvbarmy.com
http://www.myspace.com/blackveilbrides

Formação:
Andy Biersack - voz
Jake Pitts - guitarra
Jinxx - guitarra
Ashley Purdy - baixo
Christian "CC" Coma - bateria

Black Veil Brides - Set The World On Fire
(2011 - Lava / Universal Records - importado)

01. New Religion
02. Set The World On Fire
03. Fallen Angels
04. Love Isn't Always Fair
05. God Bless You
06. Rebel Love Song
07. Saviour
08. The Legacy
09. Die For You
10. Ritual
11. Youth & Whisky

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Set The World On Fire - Black Veil Brides

2012 acessosBlack Veil Brides: Metalcore com sleaze, hard e glam

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Black Veil Brides"

MetalMetal
As bandas e sub-gêneros mais odiados pelos metalheads

BateristasBateristas
Os dez melhores em vídeo, com algumas surpresas

Black Veil BridesBlack Veil Brides
Frontman pula na plateia e briga com fã no meio de show

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Black Veil Brides"

MetallicaMetallica
"Membros são mensageiros de Deus", diz pastor

MetallicaMetallica
Não tocam o Justice porque não teria nada para Trujillo fazer

PreconceitoPreconceito
O Heavy Metal nos limites da simples filosofia

5000 acessosOs fãs mais chatos do mundo da música5000 acessosRolling Stone: as 100 melhores músicas de guitarra5000 acessosGrammy: "Master Of Puppets" é tocada após Megadeth ser anunciado vencedor5000 acessosCannibal Corpse: Saiba como é dentro de um circle pit5000 acessosDennis Willcock: "Eu não preciso de apoio do Iron Maiden"5000 acessosMetallica: "Eles eram bons em tudo", diz Corey Taylor

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online