Hatefulmurder: Uma verdadeira cacetada nos tímpanos!

Resenha - Wartrail - Hatefulmurder

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marcos Garcia
Enviar Correções  

9


É de trazer lágrimas de felicidade aos olhos quando vemos bandas que são capazes de evoluir sem abrir mão de seus estilos, trabalhando cada vez mais sua sonoridade sem se tornar repetitivos, mas sem deixar sua essência de lado. E os cariocas do HATEFULMURDER fazem bonito em mais um ótimo trabalho, o terceiro deles, chamado ‘The Wartrail’, centro de nossa atenção nesta resenha.

Sepultura: veja Fernanda Lira, Mayara Puertas e Angélica Burns na SepulQuarta

Lynyrd Skynyrd: a história da espetacular "Simple Man"

A banda, ainda adepta de um híbrido entre Thrash e Death Metal, bem particular e agressivo, mas sem ser repetitivo, conseguiu polir ainda mais seu talento e botou para fora esta verdadeira cacetada nos tímpanos, capaz de satisfazer o fã mais exigente de estilos mais extremos sem perder mão de uma ótima instrumentação.

‘The Wartrail’ já tem um grande destaque na arte do CD, que é extremamente conceitual com as letras das canções, muito bem feita em todos os aspectos. A produção sonora está um pouco mais limpa e seca que em seu trabalho anterior, ‘When the Slaughter Begins’, já focado por aqui, e a banda ficou ainda mais brutal e direta, mas sem perder o trabalho instrumental refinado que possuem desde o início.

Após a intro ‘Rise Up the Hordes’, que é um belo aquecimento para a bordoada que é a faixa ‘The Wartrail’, que entra veloz e empolgante, mas que logo dá uma cadenciada, onde podemos comprovar os ótimos riffs de guitarra e ver a técnica apurada no baixo, que não apenas acompanha, mas tem vários momentos em que se sobressai e dá a tônica dos andamentos. ‘Caught by the Arms of Death’ inicia cadenciada e trampada, com urros cada vez mais insanos e o batera, estreante na banda, dá um autêntico show particular de técnica e peso, seja nas viradas ou nas variações, sem deixar de segurar bem os andamentos. ‘Black Chapter’ encerra o disquinho, mas tome mais pancadaria com velocidade e técnica, vocais urrados a extremo, ótimos riffs, e a cozinha fazendo bonito nos quesitos peso e técnica.

Mais um bom lançamento da banda, e esperemos que algum selo se interesse pelos rapazes, pois a banda merece uma chance de lançar um CD próprio.

Formação:

Felipe Lameira - Vocais
Renan Ribeiro - Guitarras
Ernani Henrique - Baixo
Thomas Martinoia - Bateria

Tracklist:

Tracklist:

01. Rise Up the Hordes
02. The Wartrail
03. Caught by the Arms of Death
04. Black Chapter

Contatos:

http://www.myspace.com/hatefulmurder
reverbnation.com/hatefulmurder
[email protected]


Outras resenhas de Wartrail - Hatefulmurder

Hatefulmurder: Thrash/Death metal bem agressivo e pesado




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Sepultura: veja Fernanda Lira, Mayara Puertas e Angélica Burns na SepulQuartaSepultura
Veja Fernanda Lira, Mayara Puertas e Angélica Burns na SepulQuarta

Sepultura: Fernanda Lira, Mayara Puertas e Angélica Burns na SepulquartaSepultura
Fernanda Lira, Mayara Puertas e Angélica Burns na Sepulquarta

Hatefulmurder: banda realizará show em formato de "Live"


Thrash Metal: 20 bandas brasileiras de qualidade inquestionávelThrash Metal
20 bandas brasileiras de qualidade inquestionável


Lynyrd Skynyrd: a história da espetacular Simple ManLynyrd Skynyrd
A história da espetacular "Simple Man"

Eagles: o significado da clássica Hotel CaliforniaEagles
O significado da clássica "Hotel California"


Sobre Marcos Garcia

Marcos Garcia é Mestrando em Geofísica na área de Clima Espacial, Bacharel e Licenciado em Física, professor, escritor e apreciador de todas as subdivisões de Metal, tendo sempre carinho pelas bandas mais jovens e desconhecidas do público, e acredita no Underground como forma de cultura e educação alternativas. Ainda possui seu próprio blog, o Metal Samsara, e encara a vida pela máxima de Buda "esqueça o passado, não pense no futuro, concentre-se apenas no presente".

Mais matérias de Marcos Garcia no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin