Cavalera Conspiracy: "Blunt Force Trauma" é um discaço

Resenha - Blunt Force Trauma - Cavalera Conspiracy

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Por motivos óbvios, foi natural que parte do público ligasse o antigo Sepultura ou o próprio Soufly a "Inflikted", o debut que os irmãos Cavalera liberaram em 2008. Pois bem, agora está chegando ao mercado nacional "Blunt Force Trauma", um sucessor que mostra o Cavalera Conspiracy procurando se estender para além da violência do Thrash Metal, Hardcore e Punk proporcionada por seu antecessor.
5000 acessosMax e Iggor Cavalera: conheça o ônibus de turnê dos irmãos5000 acessosFotos de Infância: Dave Mustaine, do Megadeth

É claro que "Blunt Force Trauma" mantém muitos dos conhecidos elementos nas estruturas de suas composições, em especial o Thrash e Hardcore, e tudo com aquela simplicidade que há tempos se comprovou atraente. Se não há muito espaço para Igor explorar sua fissura tribal, ou os riffs sejam apenas eficientemente genéricos, é nos solos de guitarra onde reside um dos pontos positivos de "Blunt Force Trauma", com Marc Rizzo mostrando definição e explorando as melodias com muito bom gosto.

E essas melodias também estão espalhadas pelo corpo de várias faixas, e empregadas de tal forma que até conseguem amenizar parte a faceta realmente extrema e tão típica de Max. Investindo com força no groove, o resultado é um repertório com um dinamismo que não se encontrava no disco anterior e, sem ser particularmente inovador ou original, o Cavalera Conspiracy mostrou que vai fazer as coisas como desejar, independente das críticas que surjam por aí.

Assim, desde a muita velocidade de “Trasher”, com algumas passagens tipicamente Death Metal; a mais moderna “I Speak Hate”; "Lynch Mob", que tem como convidado Roger Miret (Agnostic Front) dividindo as vozes com Max, o que a distingue do resto do repertório; ou a excelente “Genghis Khan”, são exemplos de muita diversidade e atrairão os mais variados gostos entre o público.

Curiosamente, Max alardeou por aí que este novo álbum faz com que o "Inflikted" soasse como música pop. Um exagero típico... A realidade é que, mesmo sendo muito agressivo, a adoção dessas tais melodias aí poderão ser um motivo para a discórdia entre as diferentes gerações de fãs. Mas, enquanto alguns ficam discutindo os prós e contras, outros passarão o tempo curtindo "Blunt Force Trauma", que se revelou um discaço!

Contato: www.myspace.com/cavaleraconspiracy

Formação:
Max Cavalera - voz e guitarra
Marc Rizzo - guitarra
Johny Chow - baixo
Igor Cavalera - bateria

Cavalera Conspiracy – Blunt Force Trauma
(2011 / Roadrunner Records - nacional)

01. Warlord
02. Torture
03. Lynch Mob
04. Killing Inside
05. Thrasher
06. I Speak Hate
07. Target
08. Genghis Khan
09. Burn Waco
10. Rasputin
11. Blunt Force Trauma

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Blunt Force Trauma - Cavalera Conspiracy

5000 acessosCavalera Conspiracy: Mais Sepultura do que eles próprios3248 acessosCavalera Conspiracy: Groove Metal com uma pegada agressiva3575 acessosCavalera Conspiracy: Ainda não mata a ansiedade dos bangers5000 acessosCavalera Conspiracy: Deve causar alvoroço em todo planeta

Max e Iggor CavaleraMax e Iggor Cavalera
Conheça o ônibus de turnê dos irmãos

1503 acessosSepultura: veja a performance da banda no programa Metropolis0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Sepultura"

SepulturaSepultura
Os discos que mudaram a vida de Andreas Kisser

Roots Bloody RootsRoots Bloody Roots
Versão arrasadora com Soulfly e Igor Cavalera

Judeus no MetalJudeus no Metal
Site elege Top 10 de músicos Judeus

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Cavalera Conspiracy"0 acessosTodas as matérias sobre "Sepultura"

Fotos de InfânciaFotos de Infância
Dave Mustaine, do Megadeth, muito antes da fama

Bret MichaelsBret Michaels
Reveja os maiores constrangimentos do vocalista

KissKiss
Vinnie Vincent é o maior filho da puta da história do rock?

5000 acessosRonnie James Dio: "Ozzy não canta como eu, Gillan ou Rob"5000 acessosCafé com Ócio: 15 melhores discos do Metal Nacional - 2000 a 20105000 acessosRock Brasileiro: uma lista das 10 maiores bandas5000 acessosIron Maiden: assista o primeiro trailer do jogo Legacy of the Beast5000 acessosAlice Cooper: "morreria se não parasse de beber"5000 acessosDave Navarro: coisas que você não sabia sobre ele

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online