Cavalera Conspiracy: Groove Metal com uma pegada agressiva

Resenha - Blunt Force Trauma - Cavalera Conspiracy

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Renato Spacek
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Misture tudo que possa ser ligado ao Groove Metal com uma pegada muito agressiva e "largada", é esse o modo perfeito de descrevermos Blunt Force Trauma, o novo disco do Cavalera Conspiracy, banda formada pelos irmãos Max e Igor Cavalera, brasileiros, apesar do grupo ter sido formado nos Estados Unidos. Lançado três anos depois de seu último (e primeiro, diga-se de passagem) lançamento, Inflikted, Blunt Force Trauma me contagiou do início ao fim.

Em 02/09/1993: Sepultura lançava o clássico "Chaos A.D."Runaways: Jackie Fox conta como foi estuprada por Kim Fowley

Muitas bandas pesadas fazem um som, por mais que seja bom, maçante, e esse é muitas vezes o problema de bandas Groove, mas com certeza não é o problema do Cavalera Conspiracy, pois aqui o grupo faz um som ao mesmo tempo pesado, agressivo e nada cansativo, podendo ser ouvido na íntegra sem nenhum cansaço. Riffs de guitarras excelentes, com notas agudas intercaladas entre acordes velozes e graves - característica muito comum no Groove Metal - vocais bem versáteis, pois temos aquele vocal "semi-gutural" gritado comum no gênero, o clássico gutural de Max Cavalera, e poucos vocais limpos.

A cozinha da banda mantém uma velocidade, peso e rítmo incríveis. Muitas vezes remetendo ao Thrash e até ao Death Metal - outro fator bem comum em bandas do gênero -, o grupo não foge de nenhum parâmetro proposto pelo Groove Metal, mas dentro de tais, fazem coisas excelentes. Solos de guitarras vicerais são presentes em todas as músicas, assim como riffs e linhas de baixo grooveadas.

Simplesmente excelente. Max Cavalera se superou novamente com o mais novo disco do Cavalera Conspiracy. Desde a produção até a mixagem do álbum estão impecáveis, e, principalmente, a música, que não peca em praticamente nada.

1. Warlord - 03:05
2. Torture - 01:51
3. Lynch Mob - 02:31
4. Killing Inside - 03:28
5. Thrasher - 02:49
6. I Speak Hate - 03:10
7. Target - 02:36
8. Genghis Khan - 04:23
9. Burn Waco - 02:52
10. Rasputin - 03:22
11. Blunt Force Trauma - 03:58

Max Cavalera - Vocals, Guitars
Igor Cavalera - Drums
Marc Rizzo - Guitars
Johnny Chow - Bass


Outras resenhas de Blunt Force Trauma - Cavalera Conspiracy

Cavalera Conspiracy: Mais Sepultura do que eles própriosCavalera Conspiracy: "Blunt Force Trauma" é um discaçoCavalera Conspiracy: Ainda não mata a ansiedade dos bangersCavalera Conspiracy: Deve causar alvoroço em todo planeta




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Cavalera Conspiracy"Todas as matérias sobre "Sepultura"


Em 02/09/1993: Sepultura lançava o clássico "Chaos A.D."

Sepultura: novo álbum já tem nome, diz Andreas KisserSepultura
Novo álbum já tem nome, diz Andreas Kisser

Petbrick: ouça novo single de projeto experimental de Iggor Cavalera

Max Cavalera: ele não entende como o Slayer consegue pensar em se aposentarMax Cavalera
Ele não entende como o Slayer consegue pensar em se aposentar

Sepultura: veja entrevista de Andreas Kisser no programa CMCHRodz Online: Sepultura vs Max Cavalera (vídeo)

Sepultura: banda já está gravando sucessor de Machine MessiahSepultura
Banda já está gravando sucessor de "Machine Messiah"

Collectors Room: os 50 anos de Max Cavalera (vídeo)

Phil Anselmo: Max Cavalera sobe ao palco para uma canjaPhil Anselmo
Max Cavalera sobe ao palco para uma canja

Petbrick: projeto experimental de Iggor Cavalera anuncia novo álbumKisser: regravando "Mote das Amplidões" a convite de Zé Ramalho

Andreas Kisser: Andre Matos tocava Iron Maiden numa época que poucos conseguiamAndreas Kisser
Andre Matos tocava Iron Maiden numa época que poucos conseguiam

Sepultura: álbum Against completa 20 anos

Sepultura: um vocalista como Max é quase impossível de achar, diz AndreasSepultura
Um vocalista como Max é quase impossível de achar, diz Andreas

Sepultura: Iggor Cavalera gostaria de uma reuniãoSepultura
Iggor Cavalera gostaria de uma reunião

Andreas Kisser: Max e Igor hoje são pessoas totalmente diferentesAndreas Kisser
Max e Igor hoje são "pessoas totalmente diferentes"


Runaways: Jackie Fox conta como foi estuprada por Kim FowleyRunaways
Jackie Fox conta como foi estuprada por Kim Fowley

Mulheres no Rock: resistência em um meio machistaMulheres no Rock
Resistência em um meio machista

Fotos de Infância: Skid RowFotos de Infância
Skid Row

Black Sabbath: um Tony Iommi que você não conheciaBandas: Por que ninguém está indo a seus shows?Myles Kennedy: de início, ele se negou a cantar com o Guns no Rock HallSkank: muitos que vestem camiseta preta e se tatuam têm pouco de rock

Sobre Renato Spacek

Brasiliense e amante do Metal, reside no exterior e tem preferência pelos subgêneros Folk, Power e Groove, mas não se limita a isso, pois também aprecia outros estilos tais como Thrash Metal, Hard Rock, Glam Metal, Death Metal e Black Metal, mas é bem seletivo com os dois últimos. É baixista e conheceu o Rock através do KISS, em 1999, entretanto sua banda preferida é o Dream Theater. Fã de Tolkien, adora os Estados Unidos e a Suécia.

Mais matérias de Renato Spacek no Whiplash.Net.