Anopsy: Death Metal mais cru com enormes doses de Grindcore

Resenha - Unusual Sexual Methods... - Anopsy

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Marcos Garcia
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Desde que o CARCASS lançou seu clássico LP ‘Reek of Putrefaction’ em 1988, trazendo ao mundo o estilo que rotulamos de Splatter Death Metal, devido às letras abusivamente insanas e musicalidade extrema, é possível afirmar que nenhuma subdivisão do Metal tem o efeito do mesmo: ou se ama profundamente o estilo de pura paixão, ou se odeia na mesma proporção. Sempre foi e sempre será assim.
5000 acessosMetallica: "membros são mensageiros de Deus", diz pastor5000 acessosMetallica: não tocam o Justice porque não teria nada para Trujillo fazer

De lá para cá, o tempo passou, o estilo foi se tornando mais tecnicamente apurado e bem gravado, mas sem nunca perder suas convicções lírica e sonora, e hoje em dia, mais e melhores bandas vão surgindo nos quatro cantos do mundo, cada uma com suas idiossincrasias, e o Brasil não fica fora desse eixo. E uma das boas bandas do estilo por aqui é o já veterano carioca ANOPSY, que produzem uma sonoridade mais puxada para um Death Metal mais cru, à lá MORBID ANGEL e AUTOPSY, mas com enormes doses de Grindcore na linha de bandas como MACABRE e IMPALED, porém a banda tem personalidade bem definida; as letras abordam temas escatológicos de um ponto de vista sexista/alcólatra, falando bastante de distúrbios comportamentais que os seres humanos possuem.

Seu EP de estréia, centro de nossa atenção nessa resenha, é de 2008, e é algo totalmente insano e doentio, e lembro que em se tratando desta vertente, isso é mais que um elogio: é uma referência obrigatória.

Produzido por Dennis Pombo, a sonoridade do EP é incrivelmente clara, mas pesada e intensa, como a banda pede; a arte é algo de fazer médico legista ter ânsias de vômito, mas que é um digno cartão de apresentação ao trabalho da banda, e um aviso aos incautos.

O EP abre com o assassinato ‘Sequels of a Hammer’, uma música bem intensa e pesada, sem ser à velocidade da luz, com ótimas variações rítmicas na bateria e bases de guitarras bem chapadas; seguindo ‘Anatopathologic’ é um pouco mais candenciada, mas que possui inúmeras variações em seu andamento por toda a música, com baixo e bateria se destacando pelo peso cavalar que se faz presente por toda a faixa, bem como na música seguinte, ‘Tasting Rotten Pussy’, onde o típico vocal gutural extremo (que alguns teimam em chamar simplesmente de vocal à lá ‘porco sendo morto’), mostra um trampo bem eficiente, bem como o baixo dá alguns toques bem jazzísticos bem interessantes, fora umas surpresinhas nela que deixo para que os leitores possam comprovar por si mesmos; ‘Exhumed by a Compulsive Feet Lover’ tem uma levada mais Hardcore, que vai levar o público ao pogo ilimitado sem sombra de dúvidas, e alguns momentos mais cadenciados que se encaixam perfeitamente à música. ‘Slum Dweller Stabbed’ é mais uma música cheia de alternâncias de andamentos, indo da cadência ao esporro sem pudor algum. E o EP fecha com um outro, ‘Big Chainsaw Masturbation’ me trouxe à mente algo um tanto quanto incômodo à mente em relação ao título.

Um bom trabalho que nos prepara para o próximo, que pelo que sei, pode sair ainda este ano. Esperemos mais este belo ataque por parte da banda, que promete bastante.

Em tempo: a formação da banda atualmente é outra, contando com o vocalista Iron (ex- GUTTED SOULS, NECROPEDOPHILE e DEVORATION) e Thiago se deslocou para a bateria.

Formação:

Thiago ‘Splatter’ – Vocais
Léo ‘Death’ Rodrigues – Guitarras
Oton Felipe – Baixo
Mauro Morgado – Bateria

Tracklist:

01. Sequels of a Hammer
02. Anathopathologic
03. Tasting Rotten Pussy
04. Exhumed by a Compulsive Feet Lover
05. Slum Dweller Stabbed
06. Big Chainsaw Masturbation (Outro)

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Anopsy"

MetallicaMetallica
"Membros são mensageiros de Deus", diz pastor

MetallicaMetallica
Não tocam o Justice porque não teria nada para Trujillo fazer

PreconceitoPreconceito
O Heavy Metal nos limites da simples filosofia

5000 acessosÁlbuns ao vivo: 10 grandes registros da história do rock5000 acessosMotorhead: a opinião de Lemmy sobre Viagra, Hendrix e velhice5000 acessosOzzy Osbourne: Nirvana e Green Day entre as bandas favoritas5000 acessosFrontman: quando o original não é a melhor opção1879 acessosLoudwire: Em vídeo, 10 circle pits épicos5000 acessosUltimate Classic Rock: Os 20 álbuns mais aguardados para 2015

Sobre Marcos Garcia

Marcos Garcia é Mestrando em Geofísica na área de Clima Espacial, Bacharel e Licenciado em Física, professor, escritor e apreciador de todas as subdivisões de Metal, tendo sempre carinho pelas bandas mais jovens e desconhecidas do público, e acredita no Underground como forma de cultura e educação alternativas. Ainda possui seu próprio blog, o Metal Samsara, e encara a vida pela máxima de Buda "esqueça o passado, não pense no futuro, concentre-se apenas no presente".

Mais matérias de Marcos Garcia no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online