Dream Theater: EP é um marco na carreira do grupo

Resenha - A Change Of Seasons - Dream Theater

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Afonso Viana
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


“A Change of Seasons” é um EP dos gigantes do Prog Metal, o DREAM THEATER, lançado em 1995. E este é um EP nada comum, pois apesar de conter apenas cinco músicas, ele conta com quase 60 minutos de duração! Isto torna este, que era pra ser só um “Extended Play”, maior que os dois primeiros álbuns da banda!
1103 acessosDream Theater: "Pull Me Under" é a mais importante da banda5000 acessosAxl Rose: Um dos vocalistas com maior alcance

Isso se deve principalmente ao fato da faixa título possuir nada mais nada menos que quase 24 minutos de duração! Isso somado às outras, que beiram os 10 minutos, torna o CD muito grande. Mas quanto ao tamanho, os fãs agradecem, afinal, este é também um marco na carreira do DT. Isto porque o time agora passava a ser composto por James LaBrie (vocal), John Petrucci (guitarra), John Myung (baixo), Mike Portnoy (bateria) e o recém-chegado Derek Sherinian (teclado), encarregado por substituir Kevin Moore.

A primeira faixa, como não poderia deixar de ser, é a título, que, diga-se de passagem, é uma das maiores músicas já concebidas pela banda (em todos os sentidos (risos))! Uma verdadeira obra prima musical! Contendo uma belíssima letra, que fala sobre o ciclo da vida, ela foi escrita por Portnoy para falar sobre a morte de sua mãe. Mike mostrou ainda o seu declarado amor por filmes, e usou varias frases extraídas de “Sociedade dos Poetas Mortos”. E para facilitar a “identificação”, a música foi separada liricamente em sete partes. “The Crimson Sunrise” é a parte um, sendo instrumental, e nela já vemos o potencial estupendo da música. “Innocence” é a segunda parte, onde os vocais iniciam. Em “Carpe Diem” o estilo da música muda drasticamente (fato tão comum nesta, que nem se vale comentar), e pelo próprio título, já vemos a inspiração vinda do filme.

A quarta parte, “The Darkests of Winters” é um instrumental vigoroso, mostrando a virtuosidade comum ao DT. Ótimos solos são vistos nessa parte, e Derek mostra que é realmente um ótimo tecladista, apesar de se diferenciar muito de Kevin. “Another World” traz um momento climático para a música, que logo se vai com mais uma enxurrada de peso do ótimo instrumental da sexta parte, “The Inevitable Summer”. “The Crimson Sunset” vem simplesmente devastadora, para então encerar a magnifica faixa da mesma forma que ela inicia, dando assim a alusão ao “ciclo”. Simples palavras não explicam toda a magnificência desta canção, por muitos considerada a melhor música do Dream Theater. Mas gostos à parte, ela é realmente fantástica.

Aposto que a própria banda achou que seria difícil colocar outra composição própria após essa arrasadora música, então o EP segue com quatro covers gravados ao vivo no Ronnie Scott’s Jazz Club, em Londres. A primeira é “Funeral For A Friend/Love Lies Bleeding”, cover de Elton John, onde o DT apenas fez questão de exaltar uma música que já era incrível. Detalhe ao fato de que ela parece ser “boas vindas” ao Derek, pois o teclado é o principal destaque.

Na seguinte, “Perfect Strangers”, a banda não alterou muito, apenas mantendo toda a pegada e incluindo um virtuoso solo de guitarra. Na próxima Sherinian tem um intervalo, e eles ousam fazer o medley “The Rover/Achilles Last Stand/The Song Remains The Same”, composto de covers do gigante Led Zeppelin. Tarefa arriscada, mas que executam de forma impecável. E é muito válido frisar uma cena que realmente não é vista com frequência: o destaque absoluto de Myung! Não que ele não se seja espetacular em outros momentos, mas ele não costuma chamar atenção para si mesmo, mas neste caso o baixista simplesmente arrebenta em sua interpretação para as linhas de John Paul Jones.

A música que fecha o álbum é um medley de puro bom gosto: “The Big Medley”. Nele o DT colocou algumas de suas influencias para fazer uma música realmente sensacional. Ela é composta por “In The Flesh?” (Pink Floyd), “Carry On Wayward Son” (Kansas), “Bohemian Rhapsody” (Queen), “Lovin’, Touchin’, Squeezin’” (Journey), “Cruise Control” (Dixie Dregs) e “Turn It On Again” (Genesis), em uma junção perfeita, digna apenas de Dream Theater.

Um EP realmente incrível, que acabou ganhando grande fama, tanto que a faixa título chegou a fazer parte de um comercial dos Jogos Olimpicos de Inverno de 2002 e alcançou a surpreendente marca de 58º na Billboard, algo que provavelmente não foi esperado. Realmente recomendado!

Faixas:
01 – A Change of Seasons
02 – Funeral For A Friend/Love Lies Bleeding
03 – Perfect Strangers
04 – The Rover/Achilles Last Stand/The Song Remains The Same
05 – The Big Medley

Gravadora: EastWest

Publicado originalmente em http://musicisthedoctor.tumblr.com/

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Dream TheaterDream Theater
"Pull Me Under" é a mais importante da banda, diz Petrucci

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Dream Theater"

John PetrucciJohn Petrucci
"Steve Morse é meu músico preferido de todos os tempos"

Mike PortnoyMike Portnoy
"Eu baixo músicas o tempo todo"

Dream TheaterDream Theater
Jordan Rudess comenta pior show de sua vida

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Dream Theater"

Axl RoseAxl Rose
Um dos vocalistas com maior alcance

MetalMetal
As bandas e sub-gêneros mais odiados pelos metalheads

Marc Ferr?Marc Ferr?
A música "Wasting Love", do Iron Maiden, é um Plágio?

5000 acessosPhil Anselmo: mandou um "White Power" mas nega ser racista5000 acessos20 Filmes Mais Punk: "Rock N Roll High School" em primeiro5000 acessosIron Maiden: as 20 melhores músicas da "Era de Ouro"5000 acessosO Rock Nunca Morrerá: duas bandas finlandesas que você precisa conhecer5000 acessosPattie Boyd: o infernal triângulo com George Harrison e Eric Clapton5000 acessosAquiles Priester sobre Whiplash: "Também já sangrei tocando"

Sobre Afonso Viana

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online