Statik Majik: som vigoroso com raízes na década de 70

Resenha - Stoned on Musik - Statik Majik

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marcos Garcia
Enviar correções  |  Ver Acessos


Historicamente falando, muitas e muitas vezes um mesmo estilo receberá inúmeros nomes conforme o tempo passa, numa necessidade de atualização constante que o ser humano possui desde séculos atrás. O que hoje é chamado de Stoner Rock nada mais é do que aquele som tão característico do final da década de 60, princípio da de 70, mais especificamente o som que o bom e eterno BLACK SABBATH fazia em seus primeiros três discos. Alguns mais trabalhados, outros mais simples, outros mais psicodélicos, outros mais pesados, mas todos sob esta mesma bandeira, e que no Brasil, possui alguns representantes, e entre eles, o já conhecido STATIK MAJIK.

Bandas extremas: 10 álbuns que causaram surpresaQuando shows dão errado: 25 apresentações desastrosas

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A banda vem do Rio de Janeiro, terra do sol e samba, mas seu som remete diretamente ao Stoner Rock mais raiz possível, com muitas influências extras de Hard Rock, Metal Tradicional, e mesmo algumas pitadas de Metal extremo, que todos podem ouvir prestando bastante atenção, mostrando um som com raízes na década de 70, mas atualizado, vigoroso, e longe de ser datado, fruto de muita labuta e experiência que os anos de estrada deram a banda, que a um bom tempo se mantém como um Power Trio.

A parte visual do CD é simples, mas elegante e com certo clima 'Vintage', essencial ao estilo da banda, mostrando uma vitrola antiga, daquele modelo em que era necessário se pôr moedas, uma bela referência a toda uma época. Musicalmente, o clima pesado e 'setentista' é mantido do início ao fim, algo que muitos tentam e não conseguem, e um detalhe: a gravação é toda digital.

O CD abre com 'Shadows of Hope', uma música pesada e com andamento nem veloz e nem lento, mas que empolga muito o ouvinte por ter um jeitão meio 'sabbathiano' de ser, com bases e solos inspirados por parte de Artur Círio (que deixou a banda depois de gravar o CD, e que atualmente se dedica ao COLDBLOOD), e 'Reality' é um pouquinho mais cadenciada, com o baterista Luis Carlos pegando pesado e dando a tônica da música. 'Statik Majik' é um típico rockão bem cadenciado, com jeitão de W.A.S.P. fase 'The Crimson Idol', pesado, bem melodioso e com certa acessibilidade, assim como 'Peccata Mundi 2 (Blessed Still)', que tem a participação de Flaveus Van Neutralis nos vocais, onde a linha Hard'n'Heavy mais uma vez está presente, e vocalista Thiago Dominogorgoth (que também é baixista) mostra domínio de sua voz, alternando entre momentos mais agressivos com sua voz rouca e gritada, e outros mais amenos, onde sua voz usa tons mais normais. 'Damned' é uma das músicas de trabalho do CD, com jeitão daquele Rock/Blues característicos do final dos anos 60, mas com enorme agressividade e pesos atuais, e guardadas as proporções, tem aquele climão 'Purpleriano'. Na faixa 'Born on a New Day', novamente uma faixa mais cadenciada à lá BLACK SABBATH, assim como 'I'm Not Your Puppet'. Agora, 'The War Song' tem um início bem Rock'n'Roll de quem andam freqüentando a escola 'Motorheadiana' assiduamente, exceto pelo refrão mais cadenciado, e depois a música fica mais cadenciada e pesada. Encerrando o CD, vem a faixa-título, 'Stoned on Musik', que é outra faixa cadenciada, mas que entusiasma o ouvinte, com um certo 'q' de BEATLES em sua fase mais psicodélica.

A banda ainda conta com convidados como Anderson Engel e Daemon Ross nas guitarras em algumas músicas, já que a guitarra da banda é um posto de alta rotatividade, tanto que, como citei, Artur já saiu, e seu substituto é Thiago D'Lopes, que também toca na banda de Hard Rock GREAZY LIZZARD.

Se recomendo o CD?

Óbvio que recomendo!

Tracklist:
01. Shadows of Hope
02. Reality
03. Statik MAjik
04. Peccata Mundi 2 (Blessed Still)
05. Damned
06. Born on a New Day
07. I'm Not Your Puppet
08. The War Song
09. Stoned on Music




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Statik Majik"


Statik Majik: A coleção de vinis do baterista Luis CarlosStatik Majik
A coleção de vinis do baterista Luis Carlos

Regis Tadeu: 5 álbuns de metal nacional que merecem a sua atençãoRegis Tadeu
5 álbuns de metal nacional que merecem a sua atenção


Bandas extremas: 10 álbuns que causaram surpresaBandas extremas
10 álbuns que causaram surpresa

Quando shows dão errado: 25 apresentações desastrosasQuando shows dão errado
25 apresentações desastrosas


Sobre Marcos Garcia

Marcos Garcia é Mestrando em Geofísica na área de Clima Espacial, Bacharel e Licenciado em Física, professor, escritor e apreciador de todas as subdivisões de Metal, tendo sempre carinho pelas bandas mais jovens e desconhecidas do público, e acredita no Underground como forma de cultura e educação alternativas. Ainda possui seu próprio blog, o Metal Samsara, e encara a vida pela máxima de Buda "esqueça o passado, não pense no futuro, concentre-se apenas no presente".

Mais matérias de Marcos Garcia no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336