Matérias Mais Lidas

imagemA resposta de John Lennon quando perguntado se retornaria aos Beatles em 1975

imagemO clássico dos Paralamas que Gilberto Gil escreveu a letra e ditou pelo telefone

imagemCinco curiosidades sobre "The Sick, The Dying... And The Dead!", do Megadeth

imagemEric Clapton comenta a lenda do pacto com o diabo feito por Robert Johnson

imagemO clássico da Legião inspirado em novela da TV Globo e acusado de plagiar The Doors

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1991 é um ano tão celebrado

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1984 é um ano vital para o metal

imagemBob Dylan explica a diferença entre suas composições e as de Paul McCartney

imagemQuantos discos o Guns N' Roses vendeu no Brasil e no mundo? Veja os números

imagemKiss: Tommy Thayer responde se Gene Simmons e Paul Stanley se dão bem

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1988 é um ano inesquecível

imagemCadáveres, sangue e girombas: a história da capa de "Reign In Blood", do Slayer

imagemNey Matogrosso relembra como foi abrir o Rock in Rio de 1985

imagemO rock está morto? Alice Cooper responde Gene Simmons: "Não acredito!"

imagemComo o clássico "Angel Dust" fez o guitarrista Jim Martin sair do Faith No More


Airbourne: o melhor cd do AC/DC não feito pelo AC/DC

Resenha - No Guts. No Glory. - Airbourne

Por Jean Rodolfo Fermino
Em 13/03/10

Quando a banda australiana AIRBOURNE explodiu com seu álbum de estréia Running Wild, em 2007, a primeira coisa que veio à mente foi: "Eis os sucessores do AC/DC!" devido à semelhança incrível do seu som com o dos seus veteranos conterrâneos. Somando a qualidade indiscutível do debut com a escassez de bandas de Rock pesado na terra dos cangurus, logo as comparações foram inevitáveis e o AIRBOURNE conseguiu uma boa projeção internacional.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Vem o ano de 2010 e a expectativa era: "Será que a banda manteria a postura de ‘imitar’ seus mestres ou se arriscaria com algo diferente?" Para alegria (ou não) dos fãs do AC/DC, "No Guts. No Glory." está mais para um AC/DC rejuvenescido do que para o segundo álbum de uma banda promissora que com certeza tem muito a oferecer. Sim, por incrível que pareça esse novo álbum tem muito mais de AC/DC do que o seu antecessor.

Musicalmente falando, o vocal de Joel O'Keeffe continua sendo o grande diferencial da banda, uma vez que não tenta imitar nem Bon Scott nem Bryan Johnson, apresentando um estilo próprio de cantar, agressivo e ao mesmo tempo com a melodia necessária para acompanhar os riffs ácidos e marcantes à la irmãos Young. Instrumentalmente é AC/DC puro, desde o ritmo das guitarras, os solos como os de Angus, a batida de bateria característica e, claro, aquela pegada bem Rock ‘n Roll.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Já na faixa de abertura "Born To Kill" dá para sentir essa pegada, passando pelo 1º single "No Way But the Hard Way", a safada "Blonde, Bad and Beautiful", contrastando músicas mais rápidas, como "Raise the Flag" e "It Ain't Over Till It's Over" com outras um pouco mais lentas como "Bottom of the Well" e "Get Busy Livin", além dos refrões marcantes, como em "Steel Town", todas tocadas como manda o figurino: de forma simples e direta, fazendo com que todas as faixas parecem uma só, característica marcante dos álbuns dos seus mestres.

Ouvindo o álbum, é impossível algum fã de AC/DC não se contagiar com a vibração dos caras (a não ser que seja um fã muito conservador, daqueles que pensam que AC/DC é AC/DC, o resto é cópia). De fato as semelhanças são incríveis, até pelo fato do AIRBOURNE ter começado a tocar como cover do AC/DC, mas não dá para negar a qualidade deles em fazer um Rock ‘n Roll com pegada, coisa difícil de ver em bandas mais novas do estilo. Muito mais do que recomendado para fãs do AC/DC, "No Guts. No Glory." merece ao menos uma audição de qualquer amante do bom e velho Rock ‘n Roll.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Track list
1. "Born to Kill"
2. "No Way But the Hard Way"
3. "Blonde, Bad and Beautiful"
4. "Raise the Flag"
5. "Bottom of the Well"
6. "White Line Fever"
7. "It Ain't Over Till It's Over"
8. "Steel Town"
9. "Chewin' the Fat"
10. "Get Busy Livin"
11. "Armed and Dangerous"
12. "Overdrive"
13. "Back on the Bottle"

Bonus tracks

14. "Loaded Gun"
15. "My Dynamite Will Blow You Sky High (and Get Ya Moanin' After Midnight)"
16. "Rattle Your Bones"
17. "Kickin' It Old School"
18. "Devil's Child"

Airbourne

Joel O'Keeffe (vocais/guitarra solo)
David Roads (guitarra base)
Ryan O'Keeffe (bateria/backing vocals)
Justin Street (baixo/backing vocals)

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp