Mötley Crüe: testosterona sem preocupação com o correto

Resenha - Saints of Los Angeles - Mötley Crüe

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Thiago El Cid Cardim
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Confesse: vivemos uma chatíssima era de bom-mocismo tomando conta do rock ‘n’ roll, com canções e bandas que fazem questão de ser assépticas e limpinhas, para toda família ouvir juntinha. O rock está se tornando um pouco High School Musical demais. Justamente por isso dá até gosto ouvir um álbum como este “The Saints of Los Angeles”, mais recente disco de inéditas do Mötley Crüe. É hard rock com pegada, com testosterona em nível máximo, sem preocupação com a praga do politicamente correto. Vince, Mick, Nikki e Tommy expõem o lado mais sombrio da cidade dos anjos, com todas suas drogas, mulheres seminuas e roqueiros tatuados e psicóticos. Por onde eles andavam, afinal?
714 acessosConsequence of Sound: 10 discos de Hair Metal que "não são ruins"5000 acessosEurope: toco de Lemmy, pito de Freddie, mijada com Axl Rose

Primeiro disco de inéditas do grupo em oito anos – e o primeiro a reunir novamente a formação original desde “Generation Swine” (1997), “The Saints of los Angeles” tem um ar nitidamente autobiográfico. Quem já pôde ler a autobiografia do grupo, “The Dirt”, vai encontrar referências, por vezes explícitas e por vezes veladas, em cada canção. “White Trash Circus”, por exemplo, é uma ode a todas as brigas nas quais estes quatro já se meteram um com o outro na estrada, numa elação de amor e ódio que perdura até hoje (“Been livin'on the road about a year and half / If we go another mile we're gonna kick each other's ass / Someone's gonna quit or someone's gonna die / And we don't give a shit because we love it to death”). Isso para ficar no óbvio.

Todas as músicas, no entanto, estão intimamente ligadas por uma sonoridade que está longe de ser datada. É o Mötley Crüe em sua melhor forma, com refrões ganchudos e os riffs de guitarra pesados e venenosos de Mick Mars dando o tom – basta escutar o primoroso trabalho em “Mutherfucker Of The Year”, por exemplo.

É praticamente impossível resistir à levada da faixa-título, que dá ao ouvinte a vontade de se juntar aos convidados Jacoby Shaddix (Papa Roach), Josh Todd (Buckcherry), Chris Brown (Trapt) e James Michael (Sixx A.M.) no refrão poderoso, bem no meio de um clube pegando fogo na Sunset Strip.

Igualmente endiabrada e incendiária é “Just Another Psycho”, com um groove de bateria que vai grudar na sua cabeça por dias – sim, as vozes vão ficar ressoando na sua cabeça, mas isso é perfeitamente normal. E diferente da música de mesmo nome do Bon Jovi, nem em “This Ain't A Love Song” a adrenalina cai. Pelo contrário: o que se pode esperar de uma música dedicada uma mulher de roupa sadomasoquista e com uma tatuagem de prisão, a quem foram necessárias apenas duas carreiras de cocaína para chegar na cama? Faz sentido o que eu disse sobre “sem preocupação com a praga do politicamente correto”?

Na canção que dá nome ao disco, “The Saints of Los Angeles”, o Mötley Crüe diz: “One day you will confess and pray to the Saints of Los Angeles”. E eu só posso complementar dizendo “amém”.

Line-up:
Vince Neil - Vocal
Mick Mars - Guitarra
Nikki Sixx - Baixo
Tommy Lee - Bateria

Tracklist:
1. L.A.M.F.
2. Face Down In The Dirt
3. What's It Gonna Take
4. Down At The Whisky
5. Saints of Los Angeles
6. Mutherfucker Of The Year
7. The Animal In Me
8. Welcome To The Machine
9. Just Another Psycho
10. Chicks = Trouble
11. This Ain't A Love Song
12. White Trash Circus
13. Goin' Out Swinging

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Saints of Los Angeles - Mötley Crüe

4143 acessosMötley Crüe: bom, mas sem a energia dos bons tempos

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mötley CrüeMötley Crüe
Nikki Sixx anuncia aposentadoria

714 acessosConsequence of Sound: 10 discos de Hair Metal que "não são ruins"1417 acessosHair Metal: dez álbuns que valem a pena473 acessosMötley Crüe: como crianças de hoje reagem ao som da banda?0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Motley Crue"

Nikki SixxNikki Sixx
Baixista diz ter transado com mulher de Bruce Dickinson

Motley CrueMotley Crue
Nikki Sixx: "Não bebam, não usem drogas!"

Rock In RioRock In Rio
5 shows inesperados que o festival trouxe ao Brasil

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Motley Crue"

EuropeEurope
Toco de Lemmy, pito de Freddie, mijada com Axl Rose

PunkPunk
10 músicos que são mais ricos do que você pensa

MetallicaMetallica
Lars é um bom baterista? Mike Portnoy explica

5000 acessosSlayer: Araya fala sobre fé e sua relação com o cristianismo5000 acessosAngra: banda errou na escolha de Fabio Lione?5000 acessosSeparados no nascimento: Ozzy Osbourne e Renato Aragão5000 acessosTalento: pra quem tem, a idade é apenas um detalhe5000 acessosCapas de álbuns: as mais obscuras e marcantes da história3341 acessosNoisecreep: os 10 melhores álbuns duplo do rock

Sobre Thiago El Cid Cardim

Thiago Cardim é publicitário e jornalista. Nerd convicto, louco por cinema, séries de TV e histórias em quadrinhos. Vegetariano por opção, banger de coração, marvete de carteirinha. É apaixonado por Queen e Blind Guardian. Mas também adora Iron Maiden, Judas Priest, Aerosmith, Kiss, Anthrax, Stratovarius, Edguy, Kamelot, Manowar, Rhapsody, Mötley Crüe, Europe, Scorpions, Sebastian Bach, Michael Kiske, Jeff Scott Soto, System of a Down, The Darkness e mais uma porrada de coisas. Dentre os nacionais, curte Velhas Virgens, Ultraje a Rigor, Camisa de Vênus, Matanza, Sepultura, Tuatha de Danaan, Tubaína, Ira! e Premê. Escreve seus desatinos sobre música, cinema e quadrinhos no www.observatorionerd.com.br e no www.twitter.com/thiagocardim.

Mais informações sobre Thiago El Cid Cardim

Mais matérias de Thiago El Cid Cardim no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online