Mork: Black Metal Sinfônico feito na capital federal

Resenha - Preposterous - Mork

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Direto da capital do Inferno - Brasília - surge um conjunto com grande potencial para se destacar entre os nomes do Black Metal Sinfônico do Brasil. O Mork surgiu em 2006 com a proposta de tocar covers do Dimmu Borgir, mas, em paralelo a essa atividade, sabiamente passou a elaborar suas próprias composições.
5000 acessosVersões originais: 10 músicas que foram "tomadas" emprestadas5000 acessosMulheres no Rock: as mais importantes segundo rádio inglesa

E o resultado foi tão satisfatório que o Mork nem se preocupou em liberar uma primeira demo. Partiu direto para um caprichadíssimo EP - atentem para a magnífica ilustração da arte da capa! – dono de cinco belas canções. Ok, ainda que se esforcem para inserir características que faça a diferença, em especial ao flertar vez ou outra com o Death Metal, é inegável que a influência direta que sofrem do Dimmu Borgir continua a ser grande.

Então, de forma caótica e brutal, está tudo lá: linhas vocais torturadas, ótimos riffs de guitarras, teclados majestosamente melódicos e obscuros, além de uma certeira e velocíssima seção rítmica. A gravação, mixagem e masterização ficaram sob a responsabilidade de Caio Duarte (Dynahead), que garantiu uma definição e timbragem qualquer coisa próximo do espetacular, o que aumenta ainda mais a ótima impressão que canções como “Heretic Doctrine" ou “Forbidden Flesh” exercem sobre o ouvinte.

A sensação de 'já ter ouvido isso antes' existe, mas isso está longe de significar que o repertório é descartável, porque ele certamente não o é. O Mork é formado por músicos jovens que provavelmente irão ajustando e moldando seus arranjos até encontrarem uma sonoridade que os distinga dos mestres noruegueses, e o trabalho é tão promissor que o selo Free Mind saiu na frente e já está assumindo a distribuição de "Preposterous", o que facilita para os admiradores do gênero dar uma cuidadosa conferida.

Contato: www.myspace.com/morkofficial

Formação:
Samuel - voz, baixo e sintetizadores
Pedro Peres - guitarra
Rafael Foizer - guitarra
Gabriel Rodrigues - bateria

Mork - Preposterous
(2008 / Free Mind Media - nacional)

01. Calumnious (intro)
02. The Misanthropic
03. Divine Sovereignty Corrupted
04. Heretic Doctrine
05. Forbidden Flesh
06. Hellstorm

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Mork"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Mork"

CuriosidadesCuriosidades
10 músicas que foram "tomadas" emprestadas

Mulheres no RockMulheres no Rock
As mais importantes segundo rádio inglesa

RushRush
Alex Lifeson lista seus três melhores solos de guitarra

5000 acessosMotorhead: a gafe nazista de Lemmy em Nuremberg5000 acessosEm 10/08/1993: Euronymous é assassinado por Varg Vikernes5000 acessosA importância da revista Playboy na vida de alguns rockstars5000 acessosMusas do Metal Nacional: combo de talento e sensualidade5000 acessosEm vídeo: os estilos de segurar o microfone no rock e metal5000 acessosTimo Tolkki: fãs da banda cearense Fireline o acusam de plágio

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online