Brutal Truth: a volta de uma lenda do Grindcore

Resenha - Evolution Through Revolution - Brutal Truth

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Os devotos das vertentes mais extremas do Heavy Metal ficaram empolgados quando o norte-americano Brutal Truth anunciou que estaria de volta aos palcos. Tendo começado suas atividades na cidade de New York em 1990, a banda encerrou suas atividades oito anos depois, mas deixando legados importantíssimos como "Extreme Conditions Demand Extreme Responses" (92) e "Need To Control" (94), que foram os responsáveis pelo status de ‘lenda do Grindcore’ adquirido desde então.
5000 acessosAC/DC: a história do nome e a idéia do uniforme de Angus5000 acessosMMA: os lutadores que curtem Rock e Heavy Metal

Mas agora o carismático mentor Danny Lilker (baixo, Nuclear Assault), o bastante versátil (e subestimado) Kevin Sharpe (voz) e Rich Hoak (bateria) contam com a parceria do guitarrista Erik Burke (que também passou uns tempos pelo Nuclear Assault). E assim o quarteto dá seqüência à sua ruidosa discografia liberando "Evolution Through Revolution", um quinto álbum que novamente não se limita somente ao que se espera dos padrões do Grindcore.

E essa intenção de não se limitar mostra o Brutal Truth em sua constante – ainda que por vezes discreta – evolução. É história mais do que conhecida o estrago que o velho trio faz com seus respectivos instrumentos, mas é Burkes quem consegue atrair algumas novas atenções com seu senso para elaborar riffs ferozes, bacanas mesmo, e inserindo em meio ao caos espasmódico algumas melodias discretíssimas, mas que se tornam mais marcantes a cada audição.

São 20 faixas modernas, velozes e com uns grooves dispersos aqui e acolá, e nunca faltariam momentos destruidores do porte de "Turmoil", "Afterworld" ou "Lifer"; ou ainda o groove de "Get A Therapist" e, finalizando, a curiosa "Detached", que surpreende por sua atmosfera tipicamente Black Metal (!?). Porém, mesmo com a devida coerência no extremismo de sua musicalidade, algumas faixas não se mostram à altura do que o grupo já expôs ao mundo, pois nos 40 minutos de audição várias delas se mostram por demais similares entre si.

Assim, mesmo que possua sua cota de arranjos atraentes e inteligentes, "Evolution Through Revolution" não se apresenta essencial como seria o ideal. Provavelmente muitos dos velhos fãs terão suas reservas quanto ao CD, mas é bom saber que o pessoal está de volta e com um trabalho muito acima da média para oferecer aos que não abrem mão do extremismo musical.

Brutal Truth - Evolution Through Revolution
(2009 / Relapse Records - importado)

01. Sugardaddy
02. Turmoil
03. Daydreamer
04. On The Hunt
05. Fist In Mouth
06. Get A Therapist
07. War Is Good
08. Evolution
09. Powder Burn
10. Attack Dog
11. Branded
12. Detached
13. Global Good Guy
14. Humpty Finance
15. Slow
16. Itch
17. Afterword
18. Lifer
19. Bob Dylan Wrote Propaganda Songs (cover do Minutemen)
20. Grind Fidelity

Homepage:
http://www.brutaltruth.com

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Brutal Truth"

Heavy MetalHeavy Metal
Os melhores álbuns de 2009 segundo o About.com

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Brutal Truth"

ACDCACDC
A história do nome e a idéia do uniforme de Angus

MMAMMA
Os lutadores que curtem Rock e Heavy Metal

Blasfêmias?Blasfêmias?
Rockstars que atacaram a igreja, Jesus Cristo e Deus

5000 acessosMotörhead: em 1995, Lemmy comenta versão do Sepultura5000 acessosMetallica: NME elege as 10 melhores músicas do grupo5000 acessosFotos de Infância: Cradle Of Filth5000 acessosHit Parader: Os maiores vocais do Heavy Metal segundo a revista5000 acessosSem Ingresso: Paul McCartney é barrado em festa por "não ser VIP"5000 acessosMax Cavalera: "Os quatro Ramones ao lado no palco, olhando o nosso show"

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online