Millencolin: Punk, HC melódico, rock em estado bruto e pop

Resenha - Machine 15 - Millencolin

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Giorgio Moraes
Enviar Correções  


Os suecos do Millencolin - banda de Punk Rock formada em 1992 a partir da iniciativa do guitarrista Erik Ohlsson - chegam ao seu 8º trabalho, "Machine 15", misturando Punk, HC melódico, Rock em estado bruto e Pop sem nenhum medo de ser feliz ou com qualquer preocupação quanto a rótulos. O importante, como diria Chico Science, é "deixar tudo soando bem aos ouvidos".

Duff McKagan: Anestesias não funcionam mais no baixista

Kerrang: os melhores singles já lançados

E o resultado desse mix não poderia mesmo soar melhor: melodias infernalmente grudentas e pulsantes, como em "Detox", 3ª faixa do CD; vocais transbordando groove e elegância em "Vicious Circle" e "Saved By Hell"; a faixa-título, que dispara seus acordes sob a moldura da contagiante bateria de Fredrik Larzon. Ainda no bloco dos destaques temos "Brand New Game", com suas guitarras gordas que me remeteram ao bom e velho Shelter; "Done Is Done", que emerge trazendo belíssimos arranjos de cordas; e "Come On", onde o vocalista (e baixista), Nikola Sarcevic, canta em alto e bom som: "Dream On! We gotta make a try". Impossível não aumentar o som do CD-player e fazer um mosh básico no sofá da sala.

Outro ponto interessante fica por conta da temática das letras. Apesar da veia Punk, o Millencolin não se rende ao clichê barato de escrever sobre política partidária e seus efeitos nocivos sobre os destinos da humanidade. Ao invés disso, "Broken World" traz a receita pessoal para uma sociedade melhor: "Get out of the broken world and start a band". E quem seria eu para discordar?

Vale dar destaque ao investimento feito em "Machine 15": gravado na Suécia; mixado na Alemanha; e masterizado nos Estados Unidos. Sem contar com a Sweden Chamber Orchestra, que dá o ar da graça ao longo do CD.

Finalizo dizendo que o Ministério da Saúde Musical recomenda "Machine 15" sem restrições.

Conheça mais:
http://www.millencolin.com
http://www.myspace.com/millencolin




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Duff McKagan: Anestesias não funcionam mais no baixistaDuff McKagan
Anestesias não funcionam mais no baixista

Kerrang: os melhores singles já lançadosKerrang
Os melhores singles já lançados


Sobre Giorgio Moraes

Giorgio Moraes, 33 anos, é formado em Letras. Natural do Rio de Janeiro, ele reside a 20 anos em São Luis do Maranhão. Tem em seu currículo shows como Raimundos, Detonautas, Skank, e a histórica apresentação dos Stones em Copacabana, no ano de 2006. Escritor, atualmente divulga seu 1º Ebook de poesia.

Mais informações sobre Giorgio Moraes

Mais matérias de Giorgio Moraes no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin