Asia: a mesma mistura de pop, progressivo e rock de arena

Resenha - Phoenix - Asia

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Rodrigo Simas
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O supergrupo lançou seu debut em 1982 e, emplacando três fortes singles nas paradas americas (“Heat of the Moment", "Only Time Will Tell" e "Sole Survivor”), foi a banda que mais vendeu álbuns naquele ano.
5000 acessosMulheres: as bandas mais famosas em suas versões femininas5000 acessosManowar: A vida real e nada épica dos Reis do Metal?

Com 15 milhões de cópias vendidas pelo mundo, mais de 25 anos se passaram e o Asia voltou à ativa com "Phoenix". Um título nada original, principalmente porque parece que o tempo não passou para o grupo: para a alegria dos saudosistas eles conseguiram reproduzir exatamente o mesmo som de sua estréia.

Com a formação original reunida: ninguém menos que Steve Howe (guitarra - Yes), Carl Palmer (bateria - ELP), John Wetton (baixo e voz - King Crimson, Wishbone Ash, entre outras) e Geoff Downes (teclados - Yes) - todos lendas vivas da música - o Asia apostou na mesma mistura de pop, progressivo e rock de arena que o consagrou na década de 80. Com arranjos pomposos, muitos teclados e refrãos grudentos, as músicas miram direto em seu público alvo: se não acertam em cheio, erram por muito pouco.

Os músicos, com raras exceções e poucos solos (ainda mais se pensarmos em quem são eles), trabalham mais em função das composições e não se preocupam em destaques individuais. Além do instrumental, extravagante, mas sem partes longas e complexas, o destaque óbvio fica por conta de John Wetton, que parece estar em seu auge e, mesmo depois de tanto tempo, mostra que mantém sua garganta em forma, cantando e interpretando de forma excepcional músicas como “Never Again”, “Heroine” e “I Will Remember You”.

O maior problema é que dificilmente quem não está familiarizado com o som do Asia vai conseguir digerir as baladas melosas que surgem aos montes no decorrer das 12 faixas (mais uma bônus) de "Phoenix". Andando na linha tênue que separa o belo do brega, eles podem soar piegas e fora do contexto, mas os fãs vão adorar e aprovar.

É o dilema de uma banda que não precisa provar nada para ninguém, mas ressurgiu em um tempo que pode contribuir para seu fracasso – já que um dos objetivos do projeto é claramente comercial, pelas próprias composições e direcionamento. Se lançado em 1984, venderia mais 3 milhões de cópias: hoje só o tempo vai dizer.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Phoenix - Asia

816 acessosAsia: transmutados de descartáveis em relevantes

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Asia"

Asia e YesAsia e Yes
Roger Dean processa criadores de Avatar

AsiaAsia
O nome de disco que gera duplo sentido

Sem imaginação?Sem imaginação?
Os nomes de bandas mais estúpidos da história

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Asia"

MulheresMulheres
As bandas mais famosas em suas versões femininas

ManowarManowar
A vida real e nada épica dos Reis do Metal?

RockstarsRockstars
As filhas mais lindas dos astros do rock

5000 acessosIron Maiden: Bruce Dickinson revela sua "canção de merda"5000 acessosDossiê Guns N' Roses: A versão de Slash para os fatos5000 acessosBon Scott, o eterno Rocker...3489 acessosSuperação: morador de rua arrasa cantando Rock em programa de TV5000 acessosGuns N' Roses: vídeo da Fender mostra cenas de ensaio da banda5000 acessosMegadeth: Dimebag Darrell quase foi guitarrista da banda

Sobre Rodrigo Simas

Designer, carioca e tricolor. Começou a ouvir música aos 11 anos, com Iron Maiden, Metallica e Rush. Tem como hobby quase profissional, a música. Além de produzir shows e eventos, trabalhou por 5 anos em loja especializada em Heavy Metal, e já escreveu para alguns sites e revistas de música. Hoje escuta de tudo um pouco, e cada vez mais descobre que existem apenas dois tipos de música: a boa e a ruim, independente do estilo. Bandas e artistas favoritos: Dave Matthews Band, Peter Gabriel, Rush, Iron Maiden, Led Zeppelin, Ben Harper, Radiohead, System of a Down... e a lista continua…

Mais informações sobre Rodrigo Simas

Mais matérias de Rodrigo Simas no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online