Bad Company: exemplos de como compor grandes canções

Resenha - Straight Shooter - Bad Company

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Segundo álbum do Bad Company, “Straight Shooter” divide com o debut o título de melhor trabalho do grupo. Preferências à parte, o fato é que ambos são discos espetaculares. Gravado em setembro de 1974 no Gloucestershire Castle, na Inglaterra, utilizando mais uma vez o estúdio móvel de Ronnie Lane, “Straight Shooter” está amparado em duas excepcionais composições: “Feel Like Makin´ Love” e “Shooting Star”.
5000 acessosGuitarristas: os maiores do Hard & Heavy segundo a revista Burnn5000 acessosIron Maiden: curiosidades sobre o "The Number Of The Beast"

A primeira é uma belíssima balada, dona de inspiradíssimas linhas vocais de Paul Rodgers, que canta transpirando emoção. Primeiro single do disco, tendo no lado B “Wild Fire Woman”, alcançou a décima posição nos charts, e tornou-se, com o passar dos anos, uma das mais conhecidas faixas da banda.

Já “Shooting Star” conta a história de um rock star que ganha o mundo mas acaba morrendo precocemente. Segundo Mick Ralphs e Simon Kirke, a letra foi inspirada nas vidas de Jimi Hendrix e Jim Morrison. “Shooting Star” é uma narrativa cadenciada, uma história contada passo a passo por Paul Rodgers. O arranjo, com Ralphs tocando magistralmente seu violão, é uma aula de composição.

Mas “Straight Shooter” tem mais seis faixas além dessas duas. O disco abre com “Good Lovin´ Gone Bad”, um hardão na linha de “Can´t Get Enough”, do disco anterior, e que também saiu em single, atingindo a posição de número trinta. Já “Weep No More” segue por outro caminho, unindo um arranjo de cordas a uma levada blues funk contagiante. “Deal With The Preacher” e “Wild Fire Woman” exploram o lado hard rock da banda, sendo que a segunda é um grande exemplo do alcance e da técnica vocal de Paul Rodgers. O disco fecha com a balada “Anna” e com o boogie soul de “Call On Me”.

“Straight Shooter” é um trabalho que mostra, de forma clara, todo o talento de Rodgers, Ralphs, Burrel e Kirke. Suas faixas são exemplos de como compor uma grande canção, e deveriam ser estudadas por toda e qualquer pessoas que decidisse ganhar a vida como músico. Garanto que, se fizessem isso, nossos ouvidos não seriam tão maltratados como são…

Faixas:
1. Good Lovin' Gone Bad
2. Feel Like Makin' Love
3. Weep No More
4. Shooting Star
5. Deal With the Preacher
6. Wild Fire Woman
7. Anna
8. Call on Me

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Bad Company"

Baladas HardBaladas Hard
Blog elege o Top 20 de todos os tempos

Planet RockPlanet Rock
As quarenta maiores vozes da história do rock

Hard RockHard Rock
As 25 melhores músicas acústicas do gênero

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Bad Company"

BurnnBurnn
Os maiores guitarristas Hard & Heavy da história

Iron MaidenIron Maiden
Curiosidades sobre o "The Number Of The Beast"

Heavy MetalHeavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados no ano de 1982

5000 acessosMetal: As bandas mais expressivas surgidas nos últimos 15 anos5000 acessosAC/DC: isso sim é uma bela estrada para o inferno5000 acessosTwisted Sister: segundo Dee, "ser pobre e famoso é uma merda"3606 acessosGames: metaleiro transforma clássicos de games em puro Metal5000 acessosCoisa de boy: Mais de 50% dos roqueiros é da classe A, diz IBOPE5000 acessosLobão: a defesa do roqueiro solitário

Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online