Matérias Mais Lidas

imagemBeatles: A música que Paul McCartney compôs para calar a boca de Pete Townshend

imagemAs 10 músicas mais estranhas do Guns N' Roses, em lista do Ultimate Classic Rock

imagemAs obscuras músicas favoritas do Red Hot Chili Peppers de John Frusciante

imagemMaranhão Open Air anuncia line-up com 24 bandas em dois dias

imagemA opinião de Dave Mustaine sobre a clássica "The Unforgiven", do Metallica

imagemGene Simmons sobre o Ramones: "Punk nos EUA não significava nada"

imagemCinco músicas lançadas após o ano 2000 que se tornaram clássicos do rock - Parte II

imagemAudioslave: Tom Morello recorda seu sinistro primeiro encontro com Chris Cornell

imagemKiss: Fã de comédia romântica, Paul Stanley lista seus filmes preferidos

imagemBatera do Polyphia perde click e técnico salva marcando o tempo em sua perna

imagemDez clássicos do thrash metal que não foram gravados pelo "Big Four" - Parte I

imagemO hit do Engenheiros do Hawaii frequentemente confundido com confissão de aborto

imagemBlaze Bayley diz que um dos menores shows da carreira do Maiden foi o seu melhor

imagemIggor Cavalera relembra quando Max foi para delegacia e delegado palmeirense o salvou

imagemBruce Dickinson: curiosidades sobre a voz por trás do Iron Maiden


Dream Theater 2022

Pyramaze: a banda antes da entrada de Matt Barlow

Resenha - Legend of the Bone Carver - Pyramaze

Por Maurício Dehò
Em 19/04/08

Nota: 7

Todos já estão alertados de que o Pyramaze só ficou conhecido de fato com a entrada de Matt Barlow, lendário vocalista do Iced Earth, para assumir seus vocais. Mas, a banda dinamarquesa tem uma história antes disso. O grupo surgiu em 2001, lançou seu debut em 2004, intitulado "Melancholy Beast", e galgou seu espaço na cena Prog-Power com seu mais recente álbum, "Legend of the Bone Carver", de 2006.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O disco foi lançado em território brasileiro em 2007, quando a notícia da presença de Matt já animava os fãs do vocalista, o que certamente alavancou o trabalho em termos da recepção do público. Na sonoridade, nenhuma grande novidade do que os fãs destes estilos de música já conhecem, mas, sem dúvida, com qualidade tanto na composição quanto na execução do sexteto, à época formado por Lance King (vocal), Michael Kammeyer e Toke Skjonnemand (guitarras), Lance King (voz), Niels Kvist (baixo) e Jonah Weingarten (teclado).

O som do Pyramaze é bem "cheio", com grandes climas de teclado e buscando bastante um lado épico e melódico. A voz de Lance King, americano que chegou a trabalhar com o brasileiro Fabio Rocha, na banda Shining Star, gravando o disco "Enter Eternity", possui um timbre poderoso, mas é mais um dos que traz à lembrança as clássicas linhas de Michael Kiske. Se nisso o Pyramaze é cria do Helloween, o lado "alegre" dos alemães parece ser o diferencial para os dinamarqueses, que apostam em climas mais sombrios e guitarras pesadas, com uma característica mais melancólica.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Entre as faixas, destacam-se a abertura em "The Birth", que mostra um bom trabalho de vozes, assim como "What Lies Beyond", que é mais veloz e apresenta narrações e backing vocals feminino. Por falar nas narrações, a tradicional e maquiavélica disputa "bem e mal" é tema do disco conteitual – por sinal, as primeiras palavras da narração da intro "Era of Chaos". Vale ainda ouvir faixas mais quebradas como o Prog de "The Bone Carver" e a pesadona "Bring Back Life".

O Pyramaze conseguiu seu espacinho na cena e não é sem méritos. É claro que, para virar uma banda Grande, teria de ter algo mais do que a atenção do público e da mídia pela presença de Matt Barlow, já que o disco referido aqui não apresenta grandes novidades e se destaca mais por dar um toque de personalidade ao estilo e pela perfeição da produção e da execução. E, na real, é até difícil de imaginar qual será o rumo da banda com uma diferença tão grande entre Lance King e o monstro Barlow, não pela qualidade, mas pelos estilos quase incompatíveis. "Immortal", que está para ser lançado em junho (nos EUA), trará as respostas para este enigma.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Formação no disco
Lance King – Vocais
Michael Kammeyer – Guitarras
Motern Sorensen – Bateria
Niels Kvist – Baixo
Jonah Weingarten – Teclados
Toke Skjonnemand – Guitarras

Track List
1 - Era Of Chaos
2 - The Birth
3 - What Lies Beyond
4 - Ancient Words Within
5 - Souls In Pain
6 - She Who Summoned Me
7 - The Bone Carver
8 - Bring Back Life
9 - Blood Red Skies
10 - Tears Of Hate

Lançamento nacional – Silent Music Records


Outras resenhas de Legend of the Bone Carver - Pyramaze

Resenha - Legend Of The Bone Carver - Pyramaze

Resenha - Legend Of The Bone Carver - Pyramaze

Resenha - Legend Of The Bone Carver - Pyramaze

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Iron Maiden: Perguntas e respostas e curiosidades diversas

King Diamond: O que significa ser Satanista?


Sobre Maurício Dehò

Nascido em 1986, é mais um "maidenmaníaco". Iniciou-se no metal ao som da chuva e dos sinos de "Black Sabbath", aos 11 anos, em Jundiaí/SP. Hoje morando em São Paulo, formou-se em jornalismo pela PUC e é repórter de esportes, sem deixar de lado o amor pela música (e tentando fazer dela um segundo emprego!). Desde meados de 2007, também colabora para a Roadie Crew. Tratando-se do duo rock/metal, é eclético, ouvindo do hard rock ao metal mais extremo: Maiden, Sabbath, Kiss, Bon Jovi, Sepultura, Dimmu Borgir, Megadeth, Slayer e muitas, muitas outras. E é de um quarteto básico que espera viver: jornalismo, esporte, música e amor (da eterna namorada Carol).

Mais matérias de Maurício Dehò.