At Vance: reciclando boas idéias que deram certo

Resenha - VII - At Vance

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O alemão At Vance, na ativa desde 1998 e capitaneado pelo guitarrista Olaf Lenk, apresenta a tendência de alterar sua formação frequentemente, mas esta instabilidade parece não prejudicar a qualidade de seus discos, tanto que "Only Human" (02) ou "Chained" (05) conquistaram de vez os fãs de vários países do globo. Agora, contando com o vocalista sueco Rick Altzi (Treasure Land), o grupo está chegando com seu mais novo álbum, batizado como “VII”, aportando no Brasil via Rock Brigade Records.
5000 acessosMotorhead: Lemmy e o direito de morrer como quiser5000 acessosGuns N' Roses: Slash e DJ Ashba, as semelhanças

A perda de Mats Levén, que fez um trabalho espetacular nos dois últimos discos da banda, realmente não comprometeu em nada o bom trabalho vocal que o At Vance sempre apresentou. Rick Altzi se mostra um substituto à altura, interpretando com garra e dono de uma voz extraordinária, lembrando até mesmo David Coverdale (Whitesnake). Quanto ao restante dos instrumentos, todos foram tocados pelo onipresente Olaf, que ainda assumiu a produção. A fórmula musical, que foi se solidificando ao longo dos nove anos de existência da banda, continua a mesma, dona daquele Power Metal com toneladas de melodias requintadas que beiram o Hard Rock europeu, bem tocado e estruturado.

Mas isso não faz de "VII" um álbum matador. É inegavelmente um bom trabalho, as 10 faixas integram distorção e melodia na medida exata. Aliás, tudo é tão exato que acaba se mostrando previsível e, em várias ocasiões, isento da inspiração – afora algumas guitarras realmente engenhosas – que eram abundantes em alguns de seus discos do passado. É como se a criatividade estivesse preste a se esgotar, e a saída foi reciclar as boas idéias que já deram certo.

Mas, como já foi dito, ainda assim é um álbum que possui seus encantos, que podem ser divididos em momentos velozes e outros mais lentos. "Cold As Ice" é um Hard Rock cativante e até mesmo simples, sendo uma forte candidata para se tornar o grande hit, onde o novo vocalista mostra muito de seu potencial, o cara é realmente excelente. As velozes "Breaking The Night", "Golden Leaves" e "Victory” são clássicas composições do At Vance; e "Truth" também fisga o ouvinte em função de sua agressividade. Vale mencionar a bonita balada acústica "Lost In Your Love", que fecha a audição de forma bastante apropriada.

Se por um lado os fãs talvez não achem "VII" tão interessante quanto poderiam esperar, por outro também não encontrarão muitos motivos para reclamações. Agora, o ouvinte mais exigente que procura por ousadia que adicione algum tipo de inovação nas canções, com certeza não terá muitos atrativos neste disco, e arrisco a dizer que poderá até mesmo soar enfadonho em várias ocasiões. Confira e tire suas próprias conclusões...

At Vance – VII
(2007 / AFM Records - Rock Brigade Records - nacional)

01. Breaking The Night
02. Shiver
03. Cold As Ice
04. Victory
05. Friendly Fire
06. Golden Leaves
07. Answer Me
08. Shine
09. Truth
10. Lost In Your Love

Homepage: www.at-vance.com

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de VII - At Vance

1507 acessosAt Vance: mantendo o nível do grupo em alta

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "At Vance"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "At Vance"

MotorheadMotorhead
Lemmy e o direito de morrer como quiser

Guns N RosesGuns N' Roses
Slash e DJ Ashba, as semelhanças

Kurt CobainKurt Cobain
Filha presta tocante homenagem ao pai, que faria 50 anos hoje

5000 acessosAquiles Priester: os álbuns que marcaram o baterista5000 acessosUltraje a Rigor: Roger diz que foi tratado como lixo pela equipe dos Stones5000 acessosReligião: Top 10 citações sobre Deus e o Diabo3596 acessosBruce Dickinson: uma otimista homenagem do animador Val Andrade5000 acessosMetallica: Cliff Burton não era um grande fã do Iron Maiden5000 acessosDave Navarro relembra overdose de drogas

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online